Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA PRIMEIRA VEZ COM A EMPREGADA

Meu nome é Alex. Tenho 24 anos e desde o inicio da minha adolescencia eu tive



experiencias sexuais com ambos os sexos. Esse é o meu primeiro conto e vou tentar, com o



passar do tempo, divulgar todas essas experiencias que eu tive. Sou alto (1,89m), meu corpo



não é todo sarado, mas tenho os musculos em evidencia, um pouco peludo e meu pau tem 19 cm



de comprimento e 8 cm de diametro. Esse caso que vou relatar aconteceu quando tinha 19 anos



de idade, quando foi minha primeira relação sexual.

Quando eu tinha essa idade, meus pais contrataram uma empregada. O nome dela era



Elen e foi indicada por uma tia minha. Ela tinha por volta de 25 anos, mais ou menos 1,75m



de altura, morena e com uma bunda durinha. Me lembro que na hora que eu a vi, o meu pau logo



ficou duro. Toda vez que eu passava por ela a imaginava fazendo um belo boquete em mim e eu



acariciando aquele bundão. As fotos de mulheres peladas que eu via na internet já não me



satisfaziam e todas as minhas punhetas eram em homenagem a ela. Ela vestia aqueles short



jeans apertados o que me fazia quase gozar quando ela se abaixava pra pegar algo que tinha



caido. Como meus pais trabalham a manhã toda e sá voltam a noite, eu tinha a tarde toda



sozinho com aquela deusa gostosa, mas eu nunca pensei que teria chance com ela.

Um dia, quando cheguei da escola, Elen estava no banho. Cheguei de fininho e percebi



que a porta estava entreaberta, provavelmente ela não tinha ouvido eu chegar. Quando olhei



quase molhei as calças. Vi Elen se marturbando deliciosamente encostada na parede do box.



Ela estava com os olhos fechados enquanto enfiava a mão entre as pernas e acariciava aqueles



peitos durinhos. Me encostei ao lado da porta e comecei a bater uma, enquanto olhava para a



minha musa inspiradora das horas que eu passava naquele banheiro. Quando gozei não consegui



manter uns gemidos e parece que ela percebeu que tinha alguém. Tratei de colocar meu pau



todo melado pra dentro da cueca, esfreguei a mão em mim mesmo por baixo da camisa e corri



para a porta, como se tivesse acabado de chegar.

- Alex, você acabou de chegar? - apareceu ela toda enrolada em uma toalha.

- Sim. E vou direto pro banheiro tomar um banho. - falava mei embarassado, tentando



esconder algumas manchas de esperma na minha roupa e a palma da mão vermelha.

Sai correndo pro banheiro e me tranquei lá. Quando abro os olhos lá vejo, pendurado



no box, a calcinha de Elen (que provavelmente esquecera lá ao correr pra ver se eu tinha



chegado). Aquilo parecia um presente dos céus. Estava com a calcinha que ainda tinha o



cheiro dela (provavelmente esquecera de lavar com a masturbação), mas cheirava muito bem.



Com a calcinha dela pendurada no meu nariz eu comecei a me masturbar, pensando estar



lambendo aquela bucetinha. No final eu ainda gozei na calcinha, mas para ela não desconfiar



eu tratei de lavar.

Uma noite, os meus pais tiveram que sair pra buscar uma tia no aeroporto e iriam



para a casa de minha avá que era mais perto do aeroporto e sá voltariam no dia seguinte.



Como ia ficar sozinho, pediram para que Elen passasse a noite comigo. Era o que eu queria.



Já era noite e parecia que ter aquela deusa era sá um sonho. Elen vestiu um babydoll de seda



que deixava em evidência os bicos de seus peitos e se sentou do meu lado no sofá. Tentei não



babar encima dela. Ela parecia ter percebido, achou um pouco de graça, mas nada mais.



Começamos a assistir tv a cabo e encontramos um filme de terror pra assistir.

Quando o filme acabou, simplismente, não estava com sono. Disse:

- Depois desse filme, com certeza, não vou conseguir dormir com tanta tensão.

Depois de dizer isso, Elen trocou para um canal que estava passando um filme pornô.



Ela se virou pra mim e disse:

- Será que isso aliviaria a tensão?

Eu dei uma risada meio embarassada quando ela se levanta e retira o babydoll.

- Será que eu posso aliviar sua atenção?

Quando vi aquilo não acreditei. Ela estava com os bicos do peito durinhos e estava



com a buceta úmida. Ela veio pra cima de mim ainda estático e me deu um beijo de lingua.

- Não era isso que você queria? Eu te vi me espiando ao lado da porta do banheiro e



percebi que tinha umas manchas esquisitas na minha calcinha outro dia. Lave direito para não



ser pego! - e me deu uma piscadela enquanto ela tirava meu pijama.

- Eu vou fazer você virar homem essa noite. - disse ela enquanto tirava minha cueca



- Mas parece que você já é? Escondendo o jogo, hein garotão? - disse ela quando viu meu pau



de 157cm pular rígido e melado da cueca.

Ela veio pra cima do meu pau e começou a lamber o corpo e depois subiu pra cabeça do



pênis. Enquanto ela chupava a cabeça do meu pau ela acariciava as minhas bolas. Ela olhou



pra mim e disse:

- Sei que você quer uma provada da minha bucetinha! Ela está molhadinha por você. -



quando disse isso ela me deitou e colocou aquela buceta que jorrava um líquido de cheiro



forte, mas saboroso na minha boca. Nás começamos a fazer um 69 e não passou muito tempo eu



gozei.

Como foi tão rápido, eu não avisei e gozei tudo na boca dela. Ela veio até mim e



disse:

- Que coisa feia! Não tinha que gozar antes de mim! Vai ser punido! Você não vai



sair daqui enquanto não fizer gozar no mínimo três vezes essa noite!

Ela começou a chupar meu pau que aos pouco dava sinal de tesão. E eu ainda com



aquele bucetão que não parava de jorrar líquido enquanto eu enfiava minha lingua naquele



canal quente e úmido.

- Enquanto lambe, vai colocando os dedos no meu cú! Você vai ter de abrir bem para



poder caber nele depois!

Quase tive uma explosão de esperma na cara dela quando ouvi isso, mas consegui me



conter. Comer aquele bundão era o que eu queria desde o início. Depois de um tempo, ela



estava sentada e eu ainda fazia sexo oral nela quando a senti tremer e puxar minha cabeça



mais pra fundo de sua buceta, soltando mais daquele líquido.

- Parabéns! - ela disse - você pode prosseguir para a práxima fase! - depois de



dizer isso ela se deitou no chão e abriu as pernas dela, mostrando uma buceta toda vermelha



e molhada.

Fui direto encima dela e meti de uma vez nela (embora nunca tivesse feito algo



assim, já tinha visto muito na internet, entao nao tive problemas). Ela pedia pra foder cada



vez mais rápido. Quando tentava colocá-la de quatro ela sempre se virava e dizia:

- Não! O melhor vem por último!

Estocava cada vez mais rápido e ela gemia e me pedia pra foder mais ainda. Quando



disse que ia gozar, ela apertou as pernas dela em torno de minhas cintura, me deixando preso



fazendo gozar dentro dela. As pernas dela de novo tremeram e ela gozava mais uma vez.

Ela então veio até o meu pau, tirava o esperma que escorria dela e jogava encima do



meu pau para chupá-lo. Ela disse:

- Sá mais um pouco garotão! Você sá precisa gozar no meu cú!

Com isso meu pau logo ficou duro de novo. Como já tinha enfiado alguns dedos dentro



daquele cuzão, ele já estava um pouco largo. Comecei a lamber a aquele cú e aquela bunda.



Depois fui enfiando centimetro por centimetro para aproveitar cada momento. Enquanto enfiava



meu pau, batia naquela bunda maravilhosa, fazendo-a gemer. A comi de quatro, de



frando-assado e em pé, quando, finalmente, gozei litros de esperma dentro dela. Ela se



tremia todinha e se jogou no chão, ficando imável por alguns minutos. Quando ela recobrou os



movimentos fomos tomar banho juntos e esfregamos um ao outro o que acabou levando a um



boquete por parte dela em mim. Vestimos nosso pijamas, já era 3 da madrugada, e fui dar um



beijo de boa noite nela. Depois de beijá-la perguntei se não podia dormir com ela. Fiquei



agarrado com ela e ainda meti mais uma vez naquela bunda.

Acordei com a campainha tocando e Elen me mandando ir pra minha cama que era meus



pais. Fui pra minha cama sá pra ser chamado de volta pra acordar pra ir para a escola.



Estava um caco. Meus pais pensaram que eu estava doente e pediram para eu voltar pra cama.



Eles nunca souberam da noite maravilhosa que passei com Elen e que seu filho não era mais um



menino. Depois continuamos a transar quando dava, mas então meus pais a despediram porque



ela geralmente não fazia as tarefas de casa completa porque a gente transava quase a todas



as tardes. Soube que ela foi empregada em outra casa, mas desde então não mais a vi. Mas ela



sempre vai ser minha primeria mulher.



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


casa dos contos putinha desde novinhaContos eroticos saia rodada e fio dentalxvidio transas arrecei casadosMeu nome é Suellen e essa aventura foi uma delícia.rnSempre nos demos bem, erámos vizinhos e amigos. Eu tinha 18 anos, ele 16. Nossas casas são práximas, tanto que a janela do quarto dele dava pra janela do meu quarto. Eu sempre gostei de provocá-lo,mulheres que estejam dispostas a fazer zoofilia que mora no Rio Grande do Sulestrepi com baxinha bucetao.comconfesso transando com trêsCasada narra conto dando o cuconto esposa chantagemcontos eroticos arrombando a gordaBianca trabalho conto eroticocontos eróticos bumbum grande no ônibusContos eróticos /estrupandoContos eroticos quero ver essas tetascontos eróticos pular pulaassistir pornô mulheres libiscos com muito tesãocontos eroticos o porteiro"relatos eroticos" massage cunadacontos eroticos arrombando a gordanua e corpo inteiro melado de margarinamulher do gelou grande fudedovirei menininha na mão do meu titio gaymadame currada no mato contocontos erotico garota do interior peteu cabaçoloira cris casada fode com negao contos eroticoshonme infinando a rola na bumda da molemulher querendo contos eroticospaucontos eróticos com idosaconto erotico com crentecontos de heteros branco comendo bunda negracomi a familia toda contos eróticosmenina safada contos eroticoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentefiz ammor com minha irmameu padrasto e meu.irmao me comeuconto erotico gay meu amigo rasgou meu cucontos minha mae liberalcontos eroticos meu vizinho mim estrupo eu era pequena tinha oito anosconto erotico comendo a massatorepeutaconto erotico mendigocontos meu vizinho tira o pau pra foracontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos menino pintinhocontos eroticos entre camioneirosConto erotico um travesti me algemoucontos eroticos cdzinha virei menina pra agradar meu donocoroa se***** cagou no pau de Natáliaconto eRotico os piralhoS m comeraocontos eroticos mulher casada se evconto de quarentona a fuder com desconhecidotroca de namoradas contos eroticoscontos eroticos a mae do meu amigohistoria erotica de tio taradaocontos eroticos dançando com a filhacontos eroticos de infanciacontos eroticos abuzei de minha irmazinha com ela dormindocomendo a tia de pois de beber um vinhocontos eróticos ela levou ferrocontos eróticos comendo cuzinho da gordinhaconto errotico bebadoseu i a neguingo do pornoSonifero contoscontos casada engana marido e faz boquetecontos erótico estuprada pelo chefinhocontos eroticos filha novinha da empregadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteChat Amo sexoavivocontos eroticos arrombando a gordatiti do cu apertado emncontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos de mulher encarando um pau gigante e não aguentaContos eróticos da minha sograConto sogra e nora esfregando a buceta na buceta da filhacontos eroticos da esposa greluda e o ginecologista velho