Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O DIA EM QUE VIREI PUTA DO AMIGO PASSIVO.

Bom, me chamo Paulo, tenho uma namorada que me ama, sou corretor de seguros e assim como todo mundo, tenho amigos gays. Um deles em especial vive tentando me atiçar a participar de brincadeiras e festinhas, as vezes me bate uma vontade imensa mas o que seria de mim depois? e se um dos integrantes da "festinha" fosse um conhecido no qual nunca esperaria isso de mim? Pois bem, sempre me mantive no meu lugar, me esquivando e rindo pra nao ir. Fora as fotos de amigos dele com mastruços de fora e as experiencias que ele conta sobre isso. Isso ja me renderam muitas punhetas sozinho mas nada alem.



Devido ao transito e a minha falta de paciência com engarrafamentos, costumo deixar o carro perto da academia onde malho, que fica num ponto entre casa e o trabalho. Um belo dia saí do trabalho e chovia muito. Peguei o onibus como de costume e ao descer no ponto, encontrei esse meu amigo gay na parada esperando o ônibus para ir pra casa.



"- Olá Carlinhos!" disse eu ao meu amigo.



Ele me respondeu e nos abraçamos, como bons e velhos amigos que somos.



"- Pra onde esta indo, Paulo?"

"- Estou indo pegar o carro e ir pra casa, vem q te dou uma carona!"

"- Mas eu moro depois de voce, e esta chovendo" - disse Carlos com receio de me dar trabalho

"- Vamos, anda! Colocaremos o papo em dia."



Pegamos o carro e fomos pra casa, a rodovia estava vazia pois eram umas 21 horas e todos ja tinham vazado pra casa na chuva. Papo vai, papo vem, comecei a me lembrar das histárias dele e dos convites.



"- Carlinhos, queria te pedir uma favor simples" - disse eu ofegante de nervoso e coração palpitando forte.

"- Claro Paulo, diga"

"- Cara deixa eu Segurar seu pau? Parece bobeira mas vc ja sabe q eu tinha essa curiosidade de segurar um e como você é meu amigo me sinto mais a vontade..."



Ele colocou o pau pra fora, tava meio borrachudo mas podia-se notar uma leve diferença na textura pois aquilo tinha o excitado um pouco. Era um cacete bonito, moreno e de cabeça avermelhada. Ele notou que eu tava tremendo muito e disse pra eu prestar a atenção no transito. Eu segurei akele mastruço e comecei a acariciar enquanto iamos pra casa. Logo ele ficou duro feito rocha e eu comecei a socar uma pra ele. O rosto dele era de quem tava adorando, dava gemidinhas e dizia q esse dia ia chegar mesmo.



Daí eu disse: "- Cara, dane-se o mundo hoje, vamo até o fim? Vamos nos divertir, ta chovendo muito!"

Ele sen titubear disse: "- Vamos, vamos eu quero isso sim."



Como naquele horário era o da academia, ninguem conhecido ia me ligar....entramos num motel que era ate mesmo depois da casa dele. Por vergonha escolhi um motel dakeles que você não ve a cara de funcionario algum até pagar a conta. Eu tremia muito, muito mesmo, minha mente brigava comigo, era a razão brigando com o tesão. Entramos no quarto e ele me ofereceu um tal de "barba, cabelo e bigode" e q eu jamais esqueceria isso. Fomos pro banho e la nos banhamos e rolou muito sarro, chupadas etc. Ah, esqueci de mencionar que ele é passivo, mas naquele dia ele pediu pra ser o ativo, e me fez repetir varias vezes q eu era a menina dele. Nos enxugamos e fomos pra cama. Num tinha nada de romantico nao, era aquele sarro com raiva e tesão, parecia q estavamos nos alimentando um do outro. desci e caí de boca nakele pau duro(adoro falar "caíd e boca") chupava aquele cacete com muita vontade, estava delicioso e cheiroso, passava a lingua e mamava como se fosse uma refeição, chupei muito o saco dele, as bolas o pau dele era grosso e grande nao conseguia enfiar tudo na boca, dava aquela ansia de vomito qdo batia na goela mas era aquilo que eu queria, me engasgar muito. Ele tava assustado de como eu tinha virado uma puta e comentou isso...eu disse que era um desejo oculto e que eu me masturbava muito pensando no que ele me dizia na net quando conversavamos. Ele perguntou se podia estocar em mim com o cacete e eu disse pra ir devagar pois até então eu enfiava coisas finas no rabo pra gozar. Ele bezuntou o cacete com MANTEIGA do frigobar, podem acreditar,

e começou sá com a cabeca e ia estocando devagar e movimentando lentamente até eu me acostumar com a situação.



"- Estoca com raiva, com força! Estoura meu cu agora!" - disse eu adorando a situação

"- Cara, tem certeza? Amanha vc vai se arrepender disso"

"- Sim sim, sou tua puta me arromba agora"



Ele comecou a estocar com força e enquanto isso ele me masturbava. O cel dele tocou muito tivemos que parar pq parecia alguem querendo falar com ele por algo importante. Era o chefe dele pedindo para ele chegar mais cedo amanhã.O clima deu uma esfriada e pedimos algo pra beber. Enquanto isso conversávamos sobre meus desejos ocultos e pq eu nunca queria ceder a isso. Esperamos muito e nada do garçom aparecer. Começamos de sarro denovo já que parecia que tinham nos esquecido. Não sei se a campainha estava quebrada ou se ele abriu de proposito, sá sei que o garçom me apareceu dentro do quarto enquanto eu estava fazendo o mastruço do meu amiguinho passivo que agora era ativo subir. O garçom era coroa, anel no dedo, com aquela cara de que trabalhava ali porque não tinha conseguido nada melhor e tinha família pra sustentar e não trepava há seculos. Ao invés dele deixar a bebida ali e sair, ele ficou parado nos olhando estatelado. Eu não o tinha visto ainda mas Carlinhos acenou pro garçom e mexeu os labios e gestos pedindo pra ele lavar o pau e voltar. O garçom gostou da idéia e quando ele apareceu pelado atrás de mim, Carlinhos disse:

"- Nosso amigo garçom veio participar"



Olhei pra ele, ele com cara de faminto, olhar estranho de quem nunca tinha feito isso. Meu amigo disse que daria as ordens ali na festinha pois ele era o mais experiente em festas gays. o garçom veo brincar conosco, meteu o cacete na boca do Carlinhos enquanto eu mamava o Carlinhos. Pau duro, garlom feliz, Carlinhos ordenou pra ele estocar na minha bunda já que eu era puta....comecei a tremer denovo e mais ainda! O garçom veio com akele pau médio, porem bem grosso e estocou no pobre do cuzinho, já arrombado pelo meu amigo. Gente!! Imagina a cena um cara cheio de pudor(eu), ali de bunda pro ar, um caralho na boca e um no cú. eles revezaram gozaram em mim e os pirulitos ficaram moles. Rapidamente comecei a punhetar eles e logo ficaram duros e a festa recomeçou. O tesão era tanto, que desmaiei. Acordei uns 40 minutos depois, todo melado e o pudor voltou também. Meu amigo perguntou o que tinha achado da noite. Eu disse pra ele que foi uma experiência extraordinária mas que isso não entraria para minha vida como algo casual. Tomamos banho, agora separados, e deixei ele em casa e fui pra minha. O cu ardia muito e passei uma pomada que meu amigo tinha me dado pra essas ocasiões. Ele nunca mais tocou no assunto para me convidar pra outras festas, mas ocasionalmente eu dou uma mamadinha nele no estacionamento quando nos esbarramos na rua.



Um abraço a todos e espero que tenham gostado!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto moreno heterocontos eroticos currada garganta profundaconto coroa chupando piroquinhacontos pai mostra mae safada e rabuda pra filhoscantos erótico comendo a mãe e a irmã juntocontos eróticos surpresa travesticontos eroticos de sequestrocontos eróticos traindo marido na sala ao ladocoroas enxutas se masturbando com tocas na cabeçaHistorias eroticas Swingpatroa dando a buceta pro vendedor ambulante contos eroticosfui tomar banho na casa do amigo e comeu a mulher delepapai viajou eu assumi a casa,contos eróticoscontos eroticos sentada no colo do.velhoContos eroticos gay iniciado pela maeconto erotico comendo minha sogra minha dobrinha pegou no fragaPedi às minhas primas novinhas para brincar com a chana delas e elas deixaram.conto erotico orgias okinawa.ufa.rucontos eróticos irmã calcinha dormindotreinando para ser puta contos eroticosvendinhacontosminha esposa ficou toda melada quando pegou outra pica pela vez contos eróticosdona florinda putaxvidio minha mina sai para tranpa e eu como Minha sogra xvidiocontos erótico de lesbianismoContos eroticos cofrinho onibusContos erótico Lara a experientecontos zoo viciada na picona do doogContos eroticos minha primeira vez foi quase um estupro e eu gosteixvidio desejo incesto proibidoContos minha doce sobrinha melesposa e sogra metendo na praia contosconto levadio e safadinho bucetinhacomi minha vizinha e minha mulher contoshomen dando cu para a gradeuContos excitantes sou gaúchaso sadomasoquismo com maridos e esposas contos eróticoschaves jupano a bucefa da chiquinhacoloquei o dedo no cu da minha namorada ela endoidotirou as pregas dela contosecotra coroa que.evie vido sexo avivofui passear nas férias e trai meu corninhorelatos eroticos derao boa noite cinderela estourou a novinha na xota e no cuconto erotico: fui vendida no mercado de escravas sexuaiscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentegosei meu sobrinho no colo contoscontos eroticos de incesto deixando a irma com ciumescontos me faço de recatadacontos eroticos lutinhavideos de mulheres peladas e toda cheia de manteigaminha mãe me ensinou ser puta contospalestra buceta divididacontos eroticos a mulher do meu cunhado crentecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto erotico funkcontos minha mulher transava e me beijavadesvirginando.a.irmanzinha.conto erotico meu professor me encoxou para senti seu paucontos punheta na calcinha sobrinhacontos eroticos feriado quitinete praiaCONTO DEPRAVADAcontos de mulheres ninfomaniaca por sexoconto ela apostou o cuzinho e perdeucontos erotico fujonaconto estrangeiro picudoCU arrombado ABERTO madrasta contomulher de vertido con as pern.a reganhdaIrmã Seduz O Irmão (contos EroticosContos eroticos forçada a dar para um.cavalo na fazendaporno pulando carnaval com a tia conto erotico filho dotadoconto.de.cormocontos esposa loira recatada