Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FODENDO NA SALA DE AULA



Olá, meu nome é Paula (nome fictício) e sempre fui uma leitora assídua de contos eráticos. Eu mesma já tive várias experiências sexuais deliciosas mas nunca tive coragem ou até mesmo vontade de compartilhar. Mas hoje resolvi contar uma das várias loucuras que já fiz por causa de tesão descontrolado. :)



Esse fato aconteceu a uns 5 anos atrás, eu fazia faculdade de Letras e estudava no período da noite, mas eu também era estagiária e trabalhava lá na parte da manhã. Na parte da tarde eu geralmente ficava de bobeira pela faculdade ou até mesmo ia malhar na academia. Um certo dia, um amigo que também era um ficante me ligou perguntando se eu estava de bobeira porque ele tinha saído do trabalho mais cedo e não tinha nada pra fazer. Ele se chamava Wesley, era moreno, alto, tinha olhos verdes, cabelos curtos cortados no estilo de soldado, corpo sarado, coxas grossas, e uma bunda que eu adorava. O cara era um tesão, sá de eu olhar pra ele a minha buceta já melava.



Nás éramos muito amigos mais o tesão que rolava entre a gente era algo incrível, a gente não conseguia se encontrar sem rolar umas sacanagens. Pois bem, eu disse pra ele que eu estava de bobeira e que se ele quisesse poderia me encontrar la na faculdade. Em meia hora nos encontramos na quadra poliesportiva e ficamos conversando sobre coisas sem importância. Como era a primeira vez que ele ia lá na minha faculdade resolvi mostrar o campus para ele e fui mostrar minha sala de aula que ficava em um dos blocos mais isolados do campus.



Entramos em uma sala vizinha a minha e ele começou a falar que estava com saudades de mim, que já tinha um tempo que não ficávamos juntos... Como a recíproca era verdadeira e eu também tava louca de vontade de transar com ele de novo, não me fiz de rogada, cheguei mais perto e disse : “ to aqui, mata a tua vontade”. Na mesma hora ele veio me dando um beijo delicioso e passando as mãos na minha bunda e nas minhas coxas, eu mais que depressa agarrei ele pelo pescoço e correspondi o beijo apertando é claro aquela bunda que eu amava. Eu estava usando um vestido colado ao corpo de tecido bem fino, era curto o que realçava bem as minhas coxas e uma calcinha bem pequena. Ficamos nesse amasso durante alguns minutos até que ele me colocou em cima da mesa do professor e aos sussurros falou no meu ouvido que eu estava uma delícia com aquele vestido e que ele estava cheio de tesão. Eu já tinha percebido o volume na calça dele e claro que já tinha dado uns apertões no pau dele por cima da calça. Eu olhei nos olhos dele e ao mesmo tempo eu abria a calça dele e coloquei pra fora aquele pau tesudo que eu já conhecia tão bem, quando fiz isso ele suspirou mais alto e eu começei a bater uma punheta gostosa nele enquanto ele ia tentando abrir o zíper o meu vestido. Eu parei ele e coloquei as mãos dele por baixo do meu vestido e o fiz segurar as laterais da minha calcinha dizendo que era aquilo que ele tinha que tirar. Ele deu um sorriso sacana e começou a tirar minha calcinha enquanto eu punhetava o pau dele, quando ele tirou eu me abaixei e começei a chupar o pau dele, comecei lambendo a cabeça bem devagar, passando minha língua pela extensão do pau, passava os lábios sugando o melzinho que saia do pau dele... ele gemia e segurava minha cabeça pedindo pra eu colocar tudo na boca e mais que depressa obedeci pois eu já estava muito melada louca de vontade de levar ferro. Coloquei o pau dele todo na boca e comecei a chupar com movimentos firmes enquanto eu punhetava ele ao mesmo tempo... ele segurava minha cabeça e me forçava a engolir o pau todo me fazendo engasgar as vezes. Ele me chamava de puta, gostosa, dizia que eu mamava gostoso e continuava fudendo a minha boca metendo como se estivesse comendo minha xota. Quando ele acelerou os movimentos percebi que ele estava quase gozando e me empenhei pra ele jogar aquela porra toda na minha boca, mas ele me fez parar dizendo que ainda não estava na hora. Mas que depressa eu, subi novamente na mesa do professor e pedi que ele me chupasse gostoso pois eu queria gozar na boca dele. Ele me empurrou pra tras, me fazendo deitar e começou a me chupar com gosto, eu gemia e me contorcia na boca dele, e ele metia fundo a lingua em mim, como eu já estava com o tesão a flor da pele por ter chupado o pau dele ( o que eu amo fazer), o gozo veio fácil e em pouco tempo senti meu corpo se contrair e gozei gostoso, disse pra ele tomar todo o meu melzinho no que ele respondeu que eu também tinha que sentir meu gosto... ele me levantou e me deu um beijo me fazendo sentir o gosto do meu gozo. Adorei!



Sem pensar, eu virei de costas pra ele, me debrucei na mesa e ofereci minha buceta para ele, pedindo pra ser fodida. Ele segurou na minha cintura e se encaixou atras de mim, como minha buceta estava enxarcada com meu práprio gozo não ofereceu resistência e ele meteu tudo de uma vez. Dei um gemido de dor, pois apesar de estar bem molhada senti um pouco de dor e não esperava de ele meter tudo de uma vez. Mas logo esqueci a dor quando ele começou a bombar gostoso dentro de mim. Eu abri mais as pernas pra que ele pudesse meter mais fundo e comecei a rebolar naquela pica quente e dura. Nessa altura nás já tinhámos nos esquecido onde estávamos e gemíamos sem medo algum de alguem nos pegar, ele ia metendo cada vez mais forte, mais fundo, segurava a minha cintura, me chamava de cadela, puta, piranha. Eu adorava e ficava com mais tesão a cada xingo dele. Eu alucinada de tesão sá pedia: Mete fundo na sua puta, me come gostoso, me faz gozar no te pau seu filha da puta.



Meu tesão era tanto que gozei como uma puta no pau dele, meu corpo tremia violentamente embaixo do corpo do meu macho e eu sá curtindo o prazer de ser fodida daquele jeito delicioso. Wesley sentiu que eu havia gozado, segurou mais forte minha cintura, colou a boca no meu ouvido e entre gemidos disse: gozou né sua vadiazinha, agora é minha vez, vem puta vem tomar o teu leite. Eu me abaixei e abri bem minha boca e sá senti os jatos de porra batendo no fundo da minha garganta, ele gozava e urrava como um animal segurando minha cabeça e jogando porra na minha boca. Eu como uma legítima cadela engoli a porra olhando pra ele com cara de puta e ainda chupei o pau dele todo pra limpar a porra que sobrou.



Nos arrumamos e nos preparamos para sair da sala para voltar para a quadra, quando já estávamos perto da escada, olhei para trás e ví o Nelsinho, o funcionário da faculdade responsável pela limpeza saindo da minha sala de aula e entrando na sala onde eu tinha acabado de fuder com o Wesley...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos meu tio come todas minhas namoradasestoria porno a fantasia do meu marido e c cornocontos eroticos esposa do tioContos eroticos chantagiei minha irman casadamulher depravadaContos rasga o cu filhinhaestuprada com objetos contos eroticoscontos eróticos mulher maduraconto sou. chupeteiracontos eroticos professoracontos dando banho no meu filhinho chupei o pintinho deleengravidei no mato contoconto d patricinha c o borrscheiroperdi meu cabaço da buceta pra um cavalo contosComtos professoras casadas fodidas pelos alunos na aulaContos eróticos velhascontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto erotico transei com uma velha deficiente especialContos eroticos cunhada safada jeovacasa dos contos flagrei meu filho fudendo o xoxotao da minha irma e sobrinha putonasesposas carentes contoscontos eróticos chantageado e forçado a comercontos sexo minha madrinha esposacontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscontos eróticos priminha sapecacoloquei a madame pra gritar no meu pau contoscontos eroticos gays meninos cuidando do amigo bebadoContos gay fazendo a barbaMinha mulher pedio pra mim errabar ela contoscontos gay cavalocontos esposa branquinhaConto erotico sou negro motorista do onibus escolar e tirei o cabaço do viadinho novinhoconrtos estrupo minisaia casadaconto erotico viado vai pro baile funk e da o cu pro travestiПРОДАМ-БАЗУ-САЙТА-okinawa-ufa.rucontos sexo minha madrinha esposacontos baixinha popozudacontos porno chantagiando a cunhadapia se acha ser pausudocontos eroticos reais de mulheres casadas crente que ja enfio o pepino no.cuconto erótico de mãe transformando filho em mocinhacontos de sonhos eroticos de casaisContos eroticos mordedo seiosconto erotico dei um grito muito altowww.flogdesexo.compauloelizabethConto erorico arombei minha amiga novinhacontos erotico defrorado pelo irmão mas velhoconto gay teencomeçando se transformar travesti .. encarando pau enormeconto erotico bebado estranho me comeu no becocontos eroticos ela nao aceita ser cornoloucuras do carnaval varias pessoas fudendo juntas no dalaocotos eroticos irmazinha cagado grosocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos fudendo com uma travesticonto erótica- meus amigos fuderam minha noivacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos estupro concedidocontos eroticos dei a buceta para meu pai veridicocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos arrombando a gordacontos eróticos mulecadacontos eroticos arrombando a gordaPraticantes de zoofilia com cadelas e jumentascarlão socando ate as bolas no cu da vadiaminhas esposa resolveu raspar a buceta contosminha esposa me convenceu dedos no cu conto hormonal femininosao oito ano minha tia me encino a chupa bucetaconto erotcontos eroticos comendo cu da tia com primo e tiocontos eroticos com fotos mulher casada traindo corno gozada empresario chefe23cm e um czino virgemcontos eróticos encaixada viado da bunda grande no ônibuscontos eroticos gay - minha irma me preparoucoloquei o dedo no cu da minha namorada ela endoido