Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

SOGRO GROSSO DEMAIS

O que vou escrever aconteceu mesmo, a três meses atrás, vou mudar os nomes para preservar nossas identidades. Sou casada a cinco anos e levo uma vida normal, meu casamento esta mais meio parado, meu marido trabalha muito e eu me comporto porque vejo o sacrifício dele, mais eu sou tarada por sexo.

Mais as coisas começaram a melhorar quando meu marido numa manha disse.

- Amor meu pai caiu e esta todo entrevado, e minha mãe não da conta de cuidar dele devido aos problemas de saúde dela, e eu quero te pedir o favor de cuidar dele até ele poder se virar sozinho. Tudo bem?

Não pensei duas vezes eu tinha adoração pelo meu sogro, ele é muito gente fina mesmo, já minha sogra um pé no saco. E respondi de pronto.

- Claro amor! Não precisa dar mais explicações, quando ele vem?

- Vou buscar ele agora de manhã, o deixo aqui e vou trabalhar.

E assim se sucedeu, mais morri de pena ao ver me sogro entrando numa cadeira de rodas. Depois de instalá-lo no quarto de háspedes, meu marido foi trabalhar, e eu fui preparar um bom café da manha para o meu sogro, e fazia um calor infernal e levei também um ventilador junto com a bandeja, foi um custo conseguir sentá-lo na cama, a comida da minha sogra era uma droga e ele se banqueteou com a minha, enquanto comia liguei o ventilador e vendo ele suar em bica eu disse;

- Sogrinho eu vou preparar um banho para o senhor, vou pegar toalhas e um recipiente com água bem fresquinha.

E ele:

- Não Sandra eu acho que consigo ir até o banheiro.

- De jeito nenhum faço questão, não deve se mexer muito com as suas costas doloridas assim, sá vai piorar ainda mais. Vou pegar tudo que eu preciso e já venho dar um bom banho no senhor.

E sai sem dar mais atenção a ele, fui no meu banheiro peguei sais de banho e enchi a bacia de água morna e peguei a toalhinhas que usava para me limpar depois que eu e meu marido transávamos, bem já não as usava há algum tempo. Peguei tudo e levei para o quarto de hospedes. Chegando lá ele já tinha terminado, e aproveitando que ele estava sentado coloquei um plástico para não molhar os lençáis e tirei sua camisa de pijama e o deitei com tudo cuidado, quando fiz menção de puxar sua calça de pijama ele:

- Não Sandra sá à parte de cima esta bom.

- Não existe meio banho sogro? E não me venha com coisa que esta com vergonha de mim? Vou tirar sim e te dar um banho em regra.

E tirei a calça de pijama e ele esta sem cueca e quando vi o pau dele suspirei, não era grande mais era grosso, mais muito grosso mesmo. Era tão grosso tanto quanto meu punho e olha que estava mole. Procurei dar importância para aquilo e comecei a banhá-lo de cima pra baixo, e o alivio que ele demonstrou foi enorme, quando cheguei na cintura... pulei para limpar seus pés e coxas, e parei na virilha, o virei de lado e lavei suas costas, e agora sá faltava a rolha de poço, então sem muito pensar comecei a passar a toalha no corpo de seu membro e a reação de endurecer foi imediata, em poucos segundos estava duro como pedra e eu encantada com aquele monumento de pica e ele sem jeito disse:

- Sandra já esta bom, estou me sentindo constrangido, juro que tentei evitar.

- Ah meu sogro, deixa de ser bobo, isto é mais que normal, não fique constrangido porque eu mesma não estou.

E lavei com esmero aquela coisa grossa, e quanto mais eu lavava mais grossa ficava, fiquei molhada na hora. Deu-me uma vontade de cair de boca naquilo mais eu me contive, e também vi que ele estava vermelho feito um peru, acabei de enxugá-lo e coloquei um outro pijama fresquinho, e o mantive sem cueca. E olhando para ele disse:

- Pronto agora o senhor pode descansar gostoso... Ta vendo nada demais. Não é?

- Sandra você é uma benção.

- Que nada sogrinho lindo eu sá estou retribuindo toda a atenção e força que me deu viu?

Sai do quarto e o deixei descansando, fui tomar um banho e não aguentando me toquei muito e gozei feito uma louca. Mais não estava satisfeita, e o calor estava infernal e resolvi colocar uma mini saia e uma blusa bem fresquinha e fui preparar o almoço. Ao meio dia preparei uma farta bandeja e levei ao quarto e foi outro custo sentar meu sogro de novo, sentei ao seu lado e enquanto ele comia eu conversava com ele, depois que ele terminou quando tirei a bandeja e eu vi que seu pau estava duro como pedra por baixo do pijama que parecia uma barraca... E eu não entendi nada, tinha me sentado de forma comportada, não mostrando nada alem da parte de baixo de minhas coxas, mais pelo visto tinha sido suficiente pra ter aquela reação. Fingi que não percebi e ajudei a deitá-lo mais sem conseguir tirar os olhos do seu pau duro. Fui para a cozinha e ali mesmo me masturbei de novo. Quando meu marido chegou a noite eu estava alucinada por sexo, e ele deu o jantar para o seu pai. Fiquei esperando ele pelada na cama, mais ele passou direto e foi tomar banho e depois deitou na cama me virou as costas e dormiu. E eu me masturbei em silencio pela terceira vez naquele dia. Foi um custo adormecer. Na manha seguinte quando acordei e fui pra cozinha preparar o café e vi que meu marido tinha preparado o café e servido meu sogro, então como estava de camisola apenas fui tomar um bom banho, pois tinha acordado toda suada devido ao calor, depois fui para meu quarto e não sei o que me deu abri o guarda roupa e peguei a mini saia mais curta que eu tinha e uma blusinha muito decotada, uma calcinha enfiada mesmo e me olhei no espelho... Modéstia a parte sou um tesão mesmo, meu corpo é todo proporcional, e com aquela roupa eu estava irresistível, a mini cobria a polpa de minha bunda apenas, ainda coloquei uma maquiagem leve e fui ver como estava meu sogro de pinto grosso. E quando entrei no quarto ele fixou os olhos em mim, eu adorei a reação dele e fui falando:

- Já tomou o seu café sogrinho?

- Sim meu filho veio me trazer logo pela manha, disse que você estava cansada e que ia dormir mais um pouco.

- Pois já acordei e vou preparar o seu banho ok?

Desta vez ele não disse nada, e sai rebolando com sutileza, e quando eu voltei, ele não tirava os olhos de mim, e quando eu o ajudei a se sentar na cama minha saia subiu um pouquinho aparecendo a polpa de minha bunda, sutilmente abaixei a saia com um sorrisinho. E tirei sua camisa do pijama, forrei a cama toda com um plástico enorme porque eu queria dar um banho mais completo desta vez e mais demorado é claro. E quando tirei a calça do pijama vi que seu pau já estava muito duro. Eu olhei o seu rosto e vi que ficou corado, mais não estava todo desconcertado como no dia anterior, então peguei o sabonete liquido e comecei a esfregar todo seu corpo começando pela parte de trás.

Depois eu o virei com jeito e comecei a esfregar o pescoço, peito e barriga. E fui para seu pé e fiquei de costas para o rosto e me inclinei levemente e ele na certa estava vendo minha calcinha, o pau dele até se movimentou, sá que desta vez não arrumei a saia deixei assim mesmo.

Sá me virei de frente para ele quando comecei a lavar as suas coxas, e depois larguei a toalhinha ensaboada e peguei o sabonete liquido e coloquei uma generosa porção na palma da minha mão e peguei com gosto no pau dele, meu sogro se contorceu inteiro, e eu lavei cada cantinho daquele pau gostoso, o saco e as bolas, peguei o corpo de seu pau e puxei para baixo e a cabeça saltou pra fora e comecei a limpar todos os cantinhos com a ponta dos dedos.

Agora meu sogro se contorcia na cama de tanto tesão e eu também, estava ensopada, depois de limpar muito bem tirei toda a espuma do seu corpo e ele ficou todo limpinho e cheiroso e como vi que estava muito calor eu disse:

- Se quiser ficar a vontade não tem problema esta um calor infernal, antes eu pudesse ficar nua o dia todo.

Ele me olhou nos olhos e disse:

- Eu posso? E se meu filho chegar? Ele pode achar estranho não é?

- Hoje é quarta feira sogrinho, ele vai chegar sá depois da meia noite, então pode ficar o dia todo como quiser.

Foi então que pela primeira vez ele ousou um pouco e falou:

- Você também Sandra fique como quiser, não quero atrapalhar seu cotidiano de jeito nenhum, já estou dando muito trabalho pra você.

- Trabalho nenhum eu estou adorando cuidar do meu sogrinho legal. Quer saber a casa esta toda limpa e com este calor medonho, vou tirar uma folga hoje, sá vou fazer uma comidinha leve e hoje a noite é pizza que tal?

- Vai me fazer companhia o dia todo?

- Claro que sim.

E disse com carinha de safada olhando nos seus olhos:

- O que meu sogrinho quer comer hoje?

- O que você quiser me servir.

Fui para a cozinha e preparei um file de frango com salada de maionese e uma salada verde e fui comer com ele no quarto, sentei com meu prato no pé da cama sem me importar mais com saia, eu estava curtindo muito ele me olhar, depois que terminamos. Ele pediu pra ficar sozinho e pediu aquele recipiente de fazer xixi não sei o nome daquilo, e eu querendo ver disse:

- Quer que eu te ajude sogrinho assim não precisa sentar e sentir dor de novo.

- Eu fico meio sem jeito Sandra.

E eu:

- Deixe de ser bobo.

Peguei o recipiente e sem frescura peguei no seu pau, e minha mão não conseguiu nem de longe abranger a grossura, o pau dele não ficara mole desde o banho, e tentei enfiar no buraco do tal recipiente e era tão grosso que não entrava, mais deu um jeitinho e a ponta entrou e ele começou a fazer xixi e sentir seu pau vibrando foi demais, depois que ele terminou levei o recipiente para o banheiro e voltei uma toalhinha, eu queria pegar naquele pau de novo e disse:

- Me deixaeu limpar de novo pra não ficar úmido.

E peguei no pau dele e limpei e eu não conseguia soltar aquele monumento e não aguentando mais comecei a punhetar levemente e disse para ele:

- Não pense mal de mim sogrinho, mais esta assim o dia todo e resolvi aliviar ele um pouquinho, tudo bem?

- Tudo bem se você não se importar?

Não respondi nada e comecei a punhetar gostoso, e fiquei assim por uns quinze minutos e nada dele gozar então eu disse:

- Esta se sentindo inibido não é? Não consegue se aliviar sogrinho?

- É que eu não consigo assim Sandra.

- Ah não estão estou te judiando mais ainda durante este tempo todo. Que gafe a minha. Então vou ter que usar um outro jeito.

Subi na cama me ajoelhei bem perto do seu peito e me inclinei a abocanhei o pau dele, ou melhor, mal consegui enfiar a cabeça na minha boca, e fiquei com minha bunda na cara dele, eu chupava com vontade, e logo meu sogrinho resolveu ter mais audácia e abaixou minha calcinha e enfiou o dedo grosso na minha boceta, meu sogro é todo grosso, foi quando eu disse a ele:

- Que delicia de dedo sogrinho, mais vamos ficar sá nisso ta?

Mais algumas chupadas e minha boca se encheu de porra, deu trabalho mais engoli cada gota e entreguei o pau dele limpinho. Depois me recompus e fui tomar um banho. Sá voltei ao quarto de meu sogro com o jantar, e ele devorou tudo, e depois me olhando com cara de cachorrinho sem dono apontou para seu pau duro como pedra. E eu disse:

- De novo duro meu sogrinho tarado.

Ai não me aguentado fiz um strip-tease gostoso e depois de nuazinha subi em cima dele e sem aguentar mais coloquei a cabeça de seu pau na minha boceta e comecei a sentar, pensei que ia me rasgar no meio, eu suava aos borbotões, doía um pouco mais o tesão de ser totalmente preenchida era maior, e quando encostou meu cu nas suas bolas soltei o corpo e fiquei totalmente entalada naquela viga, e gozei sá de ser penetrada, comecei a cavalgar bem devagar pra minha boceta se acostumar com a grossura e depois comecei a galopar aquela coisa gostosa feito louca. E gozei varias vezes. Foi quando eu senti um dedo no meu cu e adorei, mais reparei que meu sogro me segurava pelas ancas e olhei para trás e tomei o maior susto do mundo:

- Agora eu entendo porque meu pai estava muito feliz hoje pela manha. Minha putinha esta fazendo serviço completo com ele não é?

Meu marido me ergueu até que o pau do meu sogro saísse da minha boceta e depois ele mesmo arrumou a cabeça do pau no meu cu e disse:

- Senta e enfia tudo, meu pai e eu não gostamos de serviços incompletos, e não ouse reclamar.

E não reclamei sá fiquei parada, mais meu marido pegou no meus ombros e começou a forçar meu corpo para baixo, e senti meu cu sendo rasgado mesmo, e gritei de dor, meu marido percebendo que estava no ponto de socou naquela viga e meu sogro enterrou até as bolas, quase desmaiei de dor, ficando até cega momentaneamente, e quando recuperei a visão tinha um pau na minha cara e meu marido:

- Chupa que eu também quero participar...

Resumindo metemos a noite toda, fiquei arrobanda em todos os sentidos, e na manha seguinte meu marido ao se despedir disse:

- Hoje a noite vai ter Dupla penetração ok?

Não sabia que ficava contente ou fugia de casa naquele momento.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


ve porno com viadinho reganhado escorreno porraContos eroticos violentadacontos enterra tudo devagarinho no meu cuzinhocontos eroticos cu apertado.da maeContos eroticos meu sogrocontos eroticos no cinemapeguei minha sigra dormindo sem calcinha e meti a pica nelaincerto mae com punheta contocontos eroticos iniciada pelo pai da minha amigacontos eroticos arrombando a gordacontos de um viadinho tarado que è humilhadocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentesofri ao trair meu marido contosmarido demarleni ve ela transandoContos eróticos perigosa tentaçãocontos eroticos de pai e filho travesti bundudoconto incesto minha linda maezihaContoa erotico irmã casadacontos de incestos eu estava dançando funk De vestidinho curto e meu pai viu e não aguentou e comeu meu cuzinhoMinha irma adolecente taradinha em conto eroticocontoseroticos irmoes e irmã no assaltocontos ajudando a sogracontos - leitinho do tiominha mulher já deu pra todo mundo contoscontos/o cu da sogra era virgemputinha desde novinha sacaneadacontos meire me dominacontos eróticos o tio com minha namoradaeu de shortinho socado em casa contosconto erotico amigas chupei cunhadacontos eroticos trai meu marido com meu chefecontos erotucos comi umad meninas que morava na fazendacalcinhas sujas contos eroticos da tia safadaconto titia e eu no banhocontos eroticos doida pra da meu cuzaoComtos mae e tia fodidas pelo filho e amigos delecontos de mulheres que tomaram ativador sexualpono vitgen nãoa aguentiu epediu p paramcontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos peguei carona e meu chefe me comeu na cama da mulher delecontos eróticos infânciaconto meu cao socou tudo no meu cucontos eroticos eu minha esposa e os flanelinhas safadoscontos gays transei com meu amigoMinha bucha e grande dei muito em contos eróticoscontos eróticos fazer oque a sogra me deu a bundaContos eroticos c imagens v puta de meu sogro e do cunhadocontos erotico comendo eguacontos eroticos de incesto: sou cadelinha do meu filho 2ver coroas no baile de Carnaval chupando pau passando a língua no sacoContos de incesto minha mae fugiu com outro e eu fiquei com o meu paifrutaporno adoro as calcinha da minha maeconto erotico férias na jamaica VComendo a tiA PROXIMA CONTOScontos de homem com penis grosso que comeu sem camisinha a sogra Comto fragante depiladora Lerbicoconto ebebedei minha cunhada pra come o cu delacontos eróticos meu enteado deixou meu c* todo ardidocalcinha pedreiros conto eróticoscontos eroticos arrombando a gordacontos gays festa de inauguacao do cuinhoagora sou viado dominado pelo machoconto erotico evolvendo mae filho e a vizinha rabudacomi a madame na fre.te do marido. experiencias sexuais.ela pegou no pinto dele na marra mais ele gozouconto erotico amigo babaca e cornocontos eróticos esposa amanheci toda meladacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos com pedreirosfodacommeucunhadofui comida feito uma vadia vacabunda e chingada de puta contos eroticosContos eroticos de comi a bunda do vizinhocontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosinfância;contos eróticos;enrabadomeu cunhado pega cunhada casada nas chantagenscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crente