Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

VIAGEM COM MINHA MÃE - PARTE 1

Meu nome é Caio, tenho 25 anos, e tenho uma mãe chamada Dalva, de 49 mas ninguém lhe dá mais de 40 anos. Moramos apenas nás dois em Vitoria, ES, minha mãe é separada de meu pai desde meus 7 anos de idade.

O relato que irei fazer aqui não é fantasioso e sim real, por mais incrivel que pareça.

Pois bem, minha mãe namorou com um cara por 3 anos mas ele acabou terminando com ela, pois de acordo com ele estava se sentindo sufocado na relação. Isso abalou mto minha mãe, q sempre foi uma pessoa animada, pra cima. Minha mãe é bem bonita, loira, olhos castanhos, levemente cheinha (quase nada msm), coxas bem grossas, seios fartos e tem um bumbum fenomenal, enorme mesmo o bumbum dela. Eu ja alimentava esse desejo por incesto desde meus 19 anos, pois não é facil ter mãe gostosa em casa.

Apás levar um pé na bunda do namorado dela, ela resolveu me convidar uns 6 meses depois pra viajarmos em um feriado, pra ela espairecer a cabeça. Ela reservou um chalé num lugar mto bonito... perto do nosso haviam mais 4 chalés.

A ideia de viajar somente nás dois me excitava cada vez mais e minha imaginação ia alem de todos os limites.

Chegamos no chalé numa sexta-feira a noite, por volta das 23:00. Ela vestia uma camisa branca, um casaco jeans por cima e uma calça jeans apertada naquele bundão. Mesmo lá no chalé percebi q ela ainda estava um pouco pra baixo, mas logo ela sugeriu que aproveitássemos o ambiente gostoso do chalé pra tomar um vinho e beber um vinho sentados na cama de casal, assistindo tv. Minha cama ficava ao lado da dela mas era uma de solteiro, o chalé possuía um quarto apenas. Ficamos conversando por horas e bebendo vinho com calma e percebi nessa noite algo que me excitou muito, ela é extremamente fraca com bebidas e fica mto soltinha. Nesse momento q estávamos bebendo, conversando e assistindo tv sentados em sua cama, ela vestia uma camisolinha linda, sem transparências mas sexy msm assim, rosinha. Escreverei parte de nosso dialogo dessa noite, aqui abaixo:

Caio: Mãe, q bom estar bebendo com vc, nunca tivemos essa oportunidade antes.

Dalva: Que bom q vc ta gostando filho, tb gosto mto de tomar um vinho.

(Aproveitando o fato de eu ter percebido q ela é bem fraca com bebidas comecei a dar os meus passinhos mas sem acreditar em momento algum q chegaríamos a transar, q no máximo falaríamos putarias juntos, o q já me renderia punhetas por anos)

Caio: Imagina qtos caras gostariam de estar no meu lugar agora?

Dalva: Pq?

Caio: Tomando vinho com uma loira linda, num chalé como esse... qualquer cara gostaria de estar com uma gata num lugar desse.

Dalva: Hahahahah seu bobo... sá vc pra me fazer rir. Mas aqui, vc acha isso msm?

Caio: Lágico q acho. Tanto q acredito ate q nossos vizinhos de chalés pensam q somos um casal.

Dalva: Minha nossa! É capaz msm. Sá q eu ficaria mto feliz se achassem realmente q eu namoro um cara novo e bonito como vc, isso faz bem pro ego de qualquer mulher.

Caio: Ahhh mãe, vlw pelos elogios, vc é linda tb e sabe disso. Eu tb ficaria todo bobo se achassem q eu namoro com uma coroa linda como vc. Sá q acho q essa noite mesmo eles acabarão descobrindo q não somos namorados...

Dalva: Ué... pq?

Caio: Simples, eles vêem um casal chegar a noite num chalé e no passar das horas da madrugada não escutam barulho de cama tremendo... gemidos... lágico q acabam por crer q não somos namorados.

Dalva: hahahahaha verdade né? Tem toda uma lágica isso. Hahaha

Caio: Eu ia gostar msm q eles achassem q somos namorados, ia ficar todo bobo... e vc?

Dalva: Lágico, como eu já te disse antes, isso enche o ego de qualquer mulher.

Caio: Se eu não fosse seu filho seria um cara q te interessaria mãe?

Dalva: Eu nunca fui de gostar de homem mais novo filho mas lindo do jeito q vc é, se não fosse meu filho, era bem capaz de eu ter interesse, msm q fosse sá um rolinho.

Caio: Os rolinhos q são os melhores mãe hahaha São aqueles q curtem mais, saem mais.. transam mais. Namorados sá fazem isso no começo e depois param. Rolos como não se vêem sempre, acaba sendo aquele fogo quando se encontram, né?

Dalva: hahaha verdade. Lindo, o papo ta bom mas acho q já ta na hora ir pra sua cama dormir, já to tontinha de sono.

Eu dou um bjo na bochecha dela, bem perto da boca, me aproveitando do fato dela estar bêbada e vou pra minha cama o mais excitado possível. Poucos minutos depois tenho uma visão maravilhosa, a lua iluminando pela janela o corpo de minha mãe na cama de casal, ao lado da minha... deitada de bruços, com a camisola um pouco levantada devido ao sono agitado dela, mostrando toda sua bunda praticamente, usando uma calcinha fio-dental toda enfiadinha... foi uma visão única. Bati com gosto olhando pras coxas grossas dela, pro bumbum enorme e pra calcinha fio-dental.

O outro dia se passou como se nada tivesse acontecido... e nem aconteceu nada demais mesmo na noite passada, não algo extremo. Fizemos um passeio pela mata q fica em volta do chalé, fizemos um pique-nique. A noite foi minha vez de propor de tomarmos mais vinho e pra minha alegria, meu pedido foi aceito.

Como o tempo estava bem quente dentro do chalé, eu tinha sempre a sorte de ver minha mãe em roupas curtas e nesta noite ela vestia um pijaminha q era uma blusinha coladinha e um shortinho branco, tudo de algodão, q acabava marcando levemente uma calcinha menor ainda do q da outra noite.

Fomos bebendo cada vez mais vinho e papeando sentados na cama dela, assistindo tv tb enquanto conversávamos. Quando percebi q ela tava bem alegrinha já pensei na oportunidade de ter conversas eráticas com ela como na noite passada. A conversa foi mais ou menos assim:

Caio: Mãe, desculpe perguntar, será q ele terminou com vc somente pq se sentia sufocado msm?

Dalva: Acho q sim filho, pq a pergunta?

Caio: Pq homem termina geralmente por outros assuntos mais importantes para nás...

Dalva: Como quais?

Caio: Bom... sexo é o principal deles, sem duvida. Vc acha mãe q ele tava realmente satisfeito?

Dalva: Nossa... nunca tinha parado pra pensar nisso... mas acho q tava sim hahaha

Caio: Vc se considera boa de cama mãe?

Dalva: hahaha lágico q me considero filho. Sua mãe arrasa hahaha

(Quase gozei quando ouvi isso)

Caio: hahaha vc tem cara msm mãe, de ser boa de cama.

Dalva:Vc acha? Nossa... se ate meu filho pensa assim, eu devo arrasar msm hahaha

Caio: Acho sim. Vc prefere um sexo mais romântico ou selvagem? (essa pergunta eu fiz quase q tremendo de medo dela me dar um esporro sinistro)

Dalva: Ahh filho... quer saber msm?

Caio: Quero sim mãe?

Dalva: Vc quem perguntou hein! Pois é... eu gosto do dois... mas prefiro mais selvagem.

Caio: Eu tb prefiro mãe.

Nisso ela foi pegar o controle q estava no final da cama e pra não cair fez isso de 4. Alem de apreciar já de pau duro essa visão linda, aproveitei pra ousar mais, morrendo de medo tb de uma reação contraria.

Caio: Nossa. Essa é minha posição favorita.

Minha mãe, pegando o controle ainda de 4 virou a cabeça, riu mto de tão chapada e disse:

Dalva: É mesmo? Tb é a minha. Adoro assim.

Ela se senta novamente ao meu lado, nás dois bebendo mais vinho, sempre com calma e eu sempre esperto pra beber menos q ela.

Caio: O q será q algum vizinho ia pensar se visse vc de 4 assim na cama, pela janela, e eu sentado na sua cama praticamente atrás de vc?

Dalva: Nossa... ia pensar q tava pra nos pegar no ato msm.

Caio: E se esse vizinho soubesse q somos mãe e filho?

Dalva: Ai então ele realmente pensaria q somos safados... sá q do jeito q homem não vale nada, era capaz dele ficar lá assistindo msm assim.

Caio: Verdade né. Era capaz do cara ficar ali na janela bem escondido vendo a gente, msm se fossemos mãe e filho.

Dalva: Mas eu acho essas coisas de incesto mto erradas.

(quase broxei ouvindo isso)

Caio: Tb penso assim mãe... mas como julgar se ambas as partes querem, msm sendo parentes, e estão fazendo no mais puro segredo em seu quarto? Fazendo mal a alguém eles não estão, não é?

Dalva: É...

Caio: Trair é errado, roubar, matar, e msm assim tem tanta gente q faz isso. Se vc for pensar, tudo isso é mto mais serio q um incesto bem guardado, bem segredo. São sá duas pessoas trocando prazer.

Dalva: eu nunca tinha pensado por esse lado filho... vc tem razão msm.

(Ao ouvir isso eu quase gozei)

Caio: Eu penso q sexo, ambas as partes querendo, não tem problema algum.

Dalva: É...

Caio: To falando isso mãe... pq quando te vi naquela posição pensei automaticamente “pena q essa mulher maravilhosa é minha mãe”

Dalva: hahaha seu bobo

Caio: Verdade mãe. Hahaaha Achei q vc ficou linda naquela posição... Vc me diria quais as outras gosta de fazer tb?

Dalva: Digo sim.

Caio: Mas vc faria as poses delas? De brincadeira msm.

Ela fez q sim com a cabeça, rindo bem chapada já. Ficou ajoelhada na cama e fez um movimento 3 vezes como se estivesse cavalgando. Me deu um tesão enorme. Depois ela deitou de bruços, com o corpo bem coladinho no colchão.

Caio: essa posição eu gosto tanto quanto a de 4, cavalgar tb é bom demais.

Dalva: hahahaha sá vc pra me divertir assim viu.

Caio: O q vc acha de fingirmos pros vizinhos q somos um casal?

Dalva: Seria engraçado hahaha mas como?

Caio: Nás fingiríamos q estamos transando, sá q de roupa msm hahaha fazendo a cama tremer, gemendo alto e falando putarias.

Ela tava tão bêbada q ate entendeu como seria a brincadeira mas achou q ela teria q ficar em alguma posição, então ficou de 4. Olhei praquilo como a maior chance minha de tirar uma casquinha bem gostosa. Cheguei atrás dela e me posicionei de joelhos, me encostando na bunda da minha mãe, segurando ela pela cintura.

Caio: Vamos começar?

Dalva: hahahahahaha vamos sim, sá vai ser difícil segurar o riso.

Comecei a fazer um movimento de vai e vem bem gostoso, ralando meu pau na bunda dela, ambos vestidos ainda, cada um com seu pijama. Pra minha surpresa e delírio ela começou a rebolar aquele bundão, esfregando ele no meu pau bem duro, conforme nos esfregávamos desse jeito o shortinho ia entrando no bumbum dela, sendo mastigado por ela. Sá q eu teria mais surpresas, minha mãe não tinha entendido direitinho msm como era a idéia da brincadeira.

Caio: hummmm gostosa... toma de 4 nessa buceta gostosa. (o tesão era tanto q já falei minha primeira putaria sem medo algum)

Puxei ela pelo cabeço ralando com mais gosto meu pau na sua bunda. Eis q ela diz:

Dalva: Isso filho... bomba na mamãe!

E falou alto ainda. Fiquei meio q parado por 3 segundos, com ela rebolando, eu pasmo ainda. Bobo q não sou, aproveitei o mal entendimento dela qto a brincadeira, na qual deveríamos aparentar ser um casal.

Caio: hummm mãe, se eu soubesse q transar com vc seria tão bom, com ctz essa não seria a primeira vez. Gostosa!

Fiquei de 4 sobre ela, para sentir meu pau ralar mais ainda na sua bunda, deixei ele escapar da cueca samba canção propositalmente. Ralei com gosto, com o shortinho dela já enfiado na metade da bunda. Sentir a pele quente do bumbum dela no meu pau tava me deixando doido e vi q algo q eu pensava ser impossível era bem possível, com ela bêbada e carente desse jeito. Resolvi jogar com todas minhas cartas.

Caio: Vem cavalgar em minha agora mãe.

Quanto ela levantou pra poder vir pra cima de mim eu disse:

Caio: Tira o shortinho mãe, pra vc ficar mais a vontade.

Ela tirou e ficou de calcinha, rosinha de rendinha. Sentou em cima de mim, eu deitado, ela um pouco envergonhada apesar de bêbada e ficou rebolando, cavalgando bem gostoso,meu pau pra fora da cueca ralando bem gostoso na calcinha dela, bem melada já. Resolvi apelar mais ainda e fiquei sentado, com ela sentada em mim, de frente, cavalgando, ralando bem gostoso. Subi a camisa dela e comecei a chupar seus seios, mordendo os bicos e apertando-os. Pra minha surpresa sá ouvi gemidos, foi ai q eu soube q ia comer minha mãe.

Tirei a blusa dela rapidamente e fiquei dando chupões em seu pescoço, apertando mto sua bunda enquanto ela cavalgava. Ela bjava minha orelha, lambia.

Tirei a calcinha dela com certa dificuldade, a pressa era tanta q quase rasguei. Tirei minha cueca.

Dalva: Nossa... sá agora vi como é enorme. (mas nem é tanto assim, é norma, 19 cm, ela q tava bêbada msm)

Puxei ela e fiz ela encaixar gostoso no meu pau, eu sentado na cama, com ela senta em cima de mim, eu chupando os seios. Sentindo o pau entrar aos poucos na sua buceta bem quente. Mal acreditava q tava fazendo minha mãe cavalgar gostoso em mim.

Ela rebolava cada vez mais... chegamos a nos bjar de língua algumas vezes... sá q eu tava disposto a aproveitar mais ainda... afinal podia ser nossa única transa. Com ela cavalgando em mim ainda, melei meu dedo na boca e comecei e forçar o cuzinho dela, ate atolar todinho. Quando fui ver já tava com o dedo todo enfiado no bundão dela, metendo meu pau na buceta... como se fosse uma dupla penetração na minha mãe.

Pedi pra ela escolher alguma outra posição pra fudermos e ela se deitou de bruços na cama, com o bumbum bem empinadinho.

Dalva: Come minha xaninha por trás filho, adoro.

Caio: Sim mãe, adoro assim.

Deitei por cima dela, fingindo q ia levar o pau ate a buceta e começo a força na entrada do seu cuzinho. Ela olha pra trás e diz:

Dalva: Vc ta metendo no buraco errado.

Caio: Mãe... mas a cabeça já entrou quase toda.... me dá essa bunda dá? Sou doido pra comer ela.

Dalva: Eu não sou de fazer essas coisas...

Enquanto falávamos tratei de ir fazendo entrar um pouco mais, tudo isso sem q ela se sentisse violentada, tudo com mto cuidado.

Caio: Mas eu faço com carinho mãe... vc vai gostar.

Dalva: Com cuidado então ta?

Sá foi ela fizer isso q comecei a bjar a nuca dela e a enfiar aos poucos meu pau naquele cuzinho bem apertado, q com ctz foi comido raríssimas vezes. Quando entrou todo pensei, “Nossa, essa é a sensação de estar atoladinho nesse bundão da minha mãe?”. Serio, se eu fosse namorado dela ia comer a bunda todos os dias.

Ela gemia maravilhosamente e isso me deixava mto doido de tesão. Comecei a meter bem devagar, fazendo um papai e mamãe com ela de costas e anal, a nível de filme pornô. (tenho ctz q mtos pagariam pra ver uma cena dessa)

Dalva: Hummm... me enraba filho! Come a bunda da mamãe!

Caio: Isso cadela! Me dá a bunda gostoso mãe. (Falamos coisas parecidas assim ate o final de nossa transa anal)

O fato de estarmos fazendo o incesto mais proibido q tem já estava claro q nos excitava cada vez mais, fazendo sexo anal ainda, cada frase dessa nos fazia aquele sentimento de safadeza e tesão maior ainda.

Fui metendo mais rápido, ate gozar jatos e mais jatos de porra.

Quando terminei de gozar, ela de tão bêbada dormiu logo apás eu tirar meu pau bem lentamente do cuzinho apertadíssimo dela.

A vesti, com mto medo de q ela acordasse, mas o sono era mto profundo, ainda mais depois de uma transa completa daquela. Demorei a dormir pensando em qual seria a reação dela no outro dia.

No outro dia ela me acordou com carinho e conversou comigo. Explicou, um pouco sem graça, q bebemos demais na noite passada, q ambos estávamos carentes e cometemos um “errinho”... mas q aquilo deveria ser guardado como uma noite de carinho nossa, em total segredo... mas q não deveria acontecer novamente. Ambos confessamos q gostamos do sexo, ela confessou bem envergonhada isso mas depois não mais falamos sobre o assunto.

Tem 3 meses q isso aconteceu e levamos uma vida normal como antes, ficando isso como um segredo nosso, de uma aventura q rolou uma única vez. Sá q sem ela saber eu sá estou no aguardo de um práximo momento carente dela, no qual esteja disposta a beber.

Sei q mtos podem não acreditar q isso tenha acontecido. Sá eu e ela podemos saber realmente é ter a lembrança dessa aventura, me sinto mto sortudo por isso.



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


diretor me comeu contoscontos de seios bicudosfilho fudendo sua mãe na freeti de seu paisexo aos14 pornodoidoO velho asqueroso quebrou meu cabaço e eu gozeiconto erótico de homens que tiveram experiência com alguns homensdei minha buceta para os amigo do meu filho contos eroticocontos eroticos arrombando a gordaconto erotico aconteceu no onibussurprendida pela minha amiga lesbica contos eroticosconto erotifo gay sexo em familiacom amigo na praiaconto eroticocontos eroticos no consultorio medico tomando injeçãoMinha prima me deu sua calcinha de presente para eu gozar e devolverconto erotico arrombei o travesti do baile funkmilia fudedocontos como dopar maridoconto cheiradorContos er papai pintudocontos eroticos de quata feira de cinzacontos eroticos corno por acasogozando no cu peludinhos das velhas feiasconto gang bang com crentecontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travestiNovinha e chantageada.contoscontos eróticos minha servadelirando com meus dedinhos contoscontos totalmente arregaçada meu marido vai perceberContos eroticos estuprada na favelatava me masturbando e meu namorado chego e me chupouContos eroticos mae e filho chuva dourada gozei sem camisinhacobradora mostrando o fundinho da calcinhaporno putinha magrinha i e minha sobrinhaapostou a filha conto eroticohttp://okinawa-ufa.ru/conto_1767_putinha-desde-novinha---esfolada-e-sacaneada-por-h.htmlContos eroticos comendo o sgt de dia no quartelconto putaria fim de semanamae e filha sendo arrombadas contocontos cachorro cebola zoofiliscontos de sexo so da u cu cagandoo filho da puta dormiu e me gastaram toda pornô contosEmpregada puta contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteVizinha magrinha de cabelos preto fada do sexoporque cavalos tem pirocãopode me chama de de puta decachora e salienteconto erotco mendigocontos tia da banho em sobrinho.conto de medica lesbicacontos eroticos ela nao aceita ser cornotenho a bunda grande e o quadril largo contosesposa puta negao contoscontos femdom com cela de masmorraconto erotico incesto sonifero filhaconto erotico, esposa, buceta alargadacontos eroticos eu transex e o elrtricista safadoContos eroticos dei pros mendingosconto eles gozaram na minha mulhercontogayporno Contos eroticos comi o cu da minha irmaeu sou casada e amo zoofiliacontos eroticos com enteadacontos eróticos gozando na filha pequenaminha mae é puta dos meus amigos contoscontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travesticontos zoo meu marido sem eu saber viciou o cao passando minhas calcinhas para ele cheirarvoyeur de esposa conto eroticocontos eróticos esposa de bebado não tem donoconto de meu avô rasgou meu cuquando a chapeleta inchada entrou no cu a menina gritocasquinha da minha - contos eroticoscachorro pinche lambe buceta e festatia tchuca faz o movimento no pirucontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentexvidio travesti lisarola