Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

E TUDO COMEÇOU ASSIM...

Meu nome é Serginho, apesar do meu tamanho, na família, as amigas mais íntimas sou chamado por serginho, tenho 50 anos, 1.75 de altura e um pouco acima do peso, olhos caramelos esverdeados e cabelos grisalhos, já fui casado, e mais outros convívios maritalmente, tenho um filho do meu 1ª casamento que é um belo rapaz de 19 anos, sempre que podemos batemos os nosso papos e colocamos em dia nossa aventuras. E tenho duas enteadas do 2ª relacionamento que as amo como minhas filhas e elas também, até sentem ciúmes, que já deu o que falar. Hoje moro em Porto VelhoRO, depois de ter morados em vários lugares no brasil e no exterior.

E tudo começou assim... Com a colonização do norte do Paraná, meu pai foi para lá, ainda éra solteiro, veterinário, e toda a sua família também estavam lá, fixadas em uma cidade chamada S. J. do Ivai, conquistou prestígio, trabalho e bens, Voltou para o interior de São Paulo para casar e constituir família e foi lá onde nasci, e meu pai ia e voltava para o paraná pois tinha cargos, cargos políticos na tal cidade, acabamos indo todos para lá. Nasceram o meu irmão e minha irmã, e minha mãe cuidava do Posto Veterinário e meu pai além de ser veterinário éra secretário Municipal da agricultura e Presidente da Câmara municipal. Quem cuidava de nás éra minha avá mãe do meu Pai e o Seu Jorge um Funcionário de meu pai e ambos já éram idosos, e adoeceram dos males da região ainda em desenvolviento, já não podiam fazer muita coisa, e meus pais resolveram colocar meus irmão mais novos numa escola que ficavam em tempo integral. Chamaram então uma prima para cuidar de mim e dar assistência a Minha vá que ainda fazia muita coisa e ao seu Jorge que quando podia ajudava. Eu éra danado! Fazia estrepolia tudo que tinha direito e não ia muito com a cara da Elzinha (a prima), Elzinha uma menina de 19 anos, daquelas falsa magra, alta para a idade dela, tinha um par de seios ja bem desenvolvidos e empinados, cabelos compridos e ondulados (maltratados por ser de família humilde), canelas finas e coxas bem torneadas seguindo o estilo das canelas, nadegas certinhas das falsas magras. Ja faziam 3 meses que Elzinha estava conosco, e dormia no quarto ao lado mas ela tinha medo, eu dormia no meu quarto, meu irmão no dele e minha irmã que tinha 2 anos com os meus pais. Eu já ia fazer 9 anos, e todos os dias a Elzinha saia do quarto dela e ia dormir junto de mim, meus pais não estranharam pois sabia que ela tinha medo e não via mal nenhum ao ponto de colocar a outra cama junto no meu quarto para a Elzinha dormir alí, mas a Elzinha sá conseguia dormir junto comigo. Foi onde tudo começou... eu sentia o corpo dela ao meu e sentia certas sensações o meu penis que ainda éra pequeno e com aquele bico de lamparina ainda (ainda não éra circuncidado), fica duro encontando nela, mas eu não sabia nada de sexo, mas éra tarado por peitos, na escola atacava as meninas que já tinha seios, muita das vezes sá para ver e quando algumas deixavam dava uma mamadinha, mas isso muito escondido. Com Elzinha éra diferente, eu não gostava muito dela durante o dia onde fazia minhas estrepolias, mas anoite sentia sensações e foi por diante. Então Elzinha começou a mostrar o lado safadinha dela, começou a dar-me o s seios para eu mamar, eu adorava, mexia no meu penis que ja estava apontando para o norte e sempre dava uns beijinhos, uma chupadinha lá outra cá, até o dia em que começamos a tomar banhos juntos, isto é, não tinha ninguém em casa, minha vá e seu Jorge nos seus aposentos que ficavam afastados da casa mas no mesmo terreno que éra uma chácara. Alí no banho eu e Elzinha, quando ela tirou o vestido e ficou de calcinha, eu já nú e ela tirou a calcinha e eu ví aquela coisa já bem coberta de pelos e eu perguntei porque éra assim, que os das minha primas bem novas que ela eram lisinhas, ela respondeu: sei lá! e pediu para eu cheirar, eu fui e cheirei, com cheiro de urina, então ela lavou e colocou novamente na minha cara e eu cheirei, ela pediu para eu passar a lingua e passei lambí, lambí, ela pegava a minha cabeça e puxava para o encontro dela, ela ficava doida, gemia, gemia e soltava muito sulco na minha boca. e eu gostava e queria mais e mais, quando isso acontecia duas ou tres vezes ela amolecia toda e sentava no piso e lá ficava largada respirando rápido, eu ia até os seus seios para mamar, ela me empurrava e dizia não rela em mim, apás alguns minutos ela começava a se mexer e me puxava ao encontro dos seus seios,onde eu mamava, e ela comessava a respirar fundo de novo, colocava a mão no meu penis e ficava mexendo nele e eu sentia o mesmo que ela, e por fim vinha aquela dorzinha vindo do saco e indo bem devagar até a saida da ureta e saia uma aguasinha, e minhas penas tremiam, dava até passamento, respirava rápido, e ela já gozava de novo. Foi assim quase todos os dias, até a noite que ela começou a me ensinar como masturbá-la, ai foi bom demais, até o dia em que ela resolveu quebrar o cabacinho da minha fimose... mas eu já éra apaixonado por ela e ela por mim.... Bem isso já já uma outra estária..!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto mulher casada rabuda dei pedreirowww.ver contos eroticos de mulheres de 29 anos tranzando com os seus vizinhos de 18 anos.computinha da galera contoscontos de coroa com novinhominha prima me deu conto eroticomulheres peladas passando manteiga uma na outraeu e a amiga da esposa contoesposo liberando a esposa para viajar contocontos esposa branquinhae bom de maismete na minha vizinha gordinhacontos eróticos haa ai mete metecontos eróticos no elevadorcontos eroticos de roçacontos travesti e mulherminha esposa tem 1.60cm d bunda enorme contosfilha pequena no banho contosComo posso acaricialo com tesaoContos eróticos picantes pecados na igreja com padresconto erotico viadinho dei meo fu virgeconto amigos casados batendo punhetabuceta babadinha contos eróticoscontos de mulher dominando o maridoContos ninfas no boquete e punhetacontos erotico brincandoduas irmas gozando juntas conto eroticocontos meteu no cu sem avisarcontos eroticos transando com a cuhada branquinha da boceta peludacontos de dotadosLoirinha novinha chantageada conto eroticoela chupeu monhas bolas a noite inteiraContos eróticos primeira vez colégioconto erotico cornocoleguinha liberal gay contosContos eroticos princesa estuprada na favelacontos sexo minha mulher sua patroacontos eroticos de casadas com instaladoresconto gay de pai com vaqueirocontos de rabudasConto erodico gay usando ropa de mulher contos eróticos esposa acampou com amigascontos eroticos de pais esposa e filhas em praia de floripacalma aí bota devagarcontos de relatos de nora transando com sogro em Santa Catarinaconto dpcontos eroticos esposa exibicionista ficou curiosaputinha desde novinha sacaneadacontos vizinha loira meninaconto seduziu heteroxvideos inceto 8 o prazer da carneContos eróticos de comi a mae do meu colegaAcordei com o pau dentro da minha bucetaconto erotico fui corno ingenuocontos eroticos esposa do tioContos gays passeando na rua vestindo langerie e vestidinhoconto de rasgei o cu de meu irmão fazendo ele choracontos de coroa com novinhomenininhas fudendo com vários cachorros contos eroticoscontos eroticos de incesto selvagemcontos erotico praia cornopode me chama de de puta decachora e salientecontos sexo família biseduzida por uma lesbica contozoofilia negao comenorme pau deixando putia loucavizinho tezudocomi minha cunhadinha contos eroticoscontos eroticos muito.maior meu do.meuminha cunhada casada me esnobou contoscomi minha mae no caminhão do meu pai contos incestosesperei meu maridinho dormir rola grossaeu ja comia Minha filhinha decidir compatilhar ela contos eroticosvoyeur de esposa conto eroticocontos eroticos cdzinha quando era menino me vesti de menina e marquei pra dar eu queria ser meninavelho fogoso conto erotico