Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MEU AMIGO ME AMAVA PARTE VI

Meu Amigo me Amava – Parte VI



Bom... isso mesmo, eu do carro, na tensão do que o Pedro iria aprontar na minha casa, desço correndo, com a mochila nas mãos. Meu mano logo abre a porta e manda o Pedro entrar, eu entro correndo, td suado não sá de medo, mais da rapidez que corri mesmo. O Pedro, o filho da puta, olha pra minha cara e começa a sorri. Já vai se sentando no sofá. Minha mãe vem do quarto, ele se levanta “Olá D. Zilda, a senhora que é a mãe desse leke aqui”. Minha mãe diz que sim, eu com muita raiva, começo a encarar o Pedro. Não tinha ideia do que ele iria aprontar. Vai que ele conta tudo. Que ele decide falar, o Pedro é sempre imprevisível, e não duvidaria que ele falasse tudo. Ele é do tipo do cara que ao mesmo tempo que te passa uma segurança fodástica, é imprevisível, de veneta, é foda lhe dar com pessoas assim. Bom... pra meu espanto ele começa “Pow D. Zilda vim aqui agradecer muito a senhora pelo filho que a senhora tem. Eu sou novo aqui no Rio de Janeiro, vim do Espírito Santo, com minha esposa e filha e pela primeira vez ao entrar num emprego encontro um cara generoso, amigo, muito do que eu sei agora eu devo a ele. Sei que já está tarde mais sempre falava com o Breno, pow cara me leva lah na sua mãe, quero conhece-la... mais na correria que ele vive nunca dava, sá vim mesmo para agradece-la e falar isso”. Nossa eu sinto um alívio tão grande, que na hora nem reparei que ele estava mesmo a me elogiar. Bom ele abraça minha mãe, eu ainda em estado de choque por conta da palhaçada, o Pedro se levanta e sai. Minha mãe, chama minha atenção por eu não leva-lo até a porta, quem faz a gentileza é meu mano e eu fico ali, ainda sem entender bem o que estava acontecendo. Pow, por que na hora na boa, fiquei sem chão, sem ação mesmo, sá pensava no pior, foi horrível. Vou pro quarto, pego umas roupas e vou pro banho, fico debaixo do chuveiro a pensar em tudo o que havia acontecido entre a gente, a transa que foi boa pacas, sé é que podemos chamar aquele amasso de transa. As atitudes intempestivas dele. O casamento, a filha... Putzz, a cabeça da gente vai dando um ná do caralho. Sá sei que caio na cama e não janto. Acordo, tomo café e direto pro serviço, e ainda temos que agradecer neh. Qdo chego lah ele ainda não estava, na moral dei até um suspiro de alívio por que estava ainda com uma raiva do caramba da babaquice dele. Minutos depois ele chega, e deixa na minha mesa um recado “Te espero na hora do almoço atrás do estacionamento do mercado”. Ninguém nota, fico mais puto ainda, nem na cara dele olhei. Comecei a trabalhar, no escritário a correria de sempre, muita gente muita movimentação. Na hora do almoço vou pro restaurante, como e volto pro escritário pra estudar, nem vou me encontrar com o Pedro. Quem ele pensa que é pra ficar impondo as coisas, querer me controlar. Sempre fui o dono da minha vida, pelo menos acho que sou. E agora em menos de 3 meses um cara casado quer me dominar, me colocar rédeas, nunca que iria admitir isso. Sá sei que depois de uns 30 minutos ele chega no escritário puto. Não tinha ninguém sá eu estudando, p q hj tinha ainda a última prova. Ele me entra bufando, me puxa pelo braço e me leva pro banheiro. Nunca vi ele tão alterado. Me encosta na parede do banheiro e me olha nos olhos daquela maneira. Aqueles olhos castanhos, expressivos ficaram turvos, parecia que estava mesmo com muita raiva. “Porra muleke, me fez ficar lah maior tempão a toa, tu pensa que sou otário é isso? Pow se não estava afim de ir me ligava caralho, não fode!”. Eu estava nervoso, havia pensado bem no que iria dizer, mais na hora a gente deixa a racionalidade de lado e parte pro impulso. “Não fode vc cara, porra, que palhaçada foi aquela ontem? Me diz, porra vc acha o que, que achei aquilo engraçado, eu não achei não, muito pelo contrário. Não estou afim de está com um maluco, instável como vc, que a cada dia vem com uma coisa inesperada, cheio de maluquices. Cara minha vida estava normal, tranquila, vc apareceu e mudou td, não consigo mais dormir direito, não consigo mais pensar cara, vc parece que domina tudo, ou faz questão pra dominar, controlar, não sou marionete veio. Sempre dominei a minha vida e isso vão continuar, mesmo que pra isso eu tenha que”. Ele me corta e má dá maior beijão, de novo fico meio balançado. Ele diz que me ama. Ae escultamos o barulho do carro, eu saio do banheiro e ele fica, vou pra mesa e finjo que estava estudando. Começam a chegar o pessoal, conversa vai e vem e o dia de trabalho continua até as cinco da tarde. Saio do trabalho nem espero a carona, que estava me ajudando a economizar um trocado e chegava mais rápido tbm. Faço a prova, assisto a segunda aula e estou indo pra casa, pensei que ele estivesse a me esperar como das outras vezes mais não estava. Chego no ponto, pego o buzão e vou olhando pela janela pensando na confusão que a minha vida havia se transformado em poucos meses. Chego em casa meio exausto. Minha mãe vem falando sobre o Pedro, e que ficou feliz em saber que penso nos outros, que sou solidário, mais na boa nem dei muita confiança, dei boa noite e fui pro quarto. Pra melhorar ainda mais o fim do meu dia de cão, meu mano já chega falando igual um ditador, a minha sorte foi que na facul lembrei do bendito trabalho de Geografia e imprimir umas coisas, calando a boca dele joguei as folhas do trabalho, troquei de roupa e fui dormir de tão cansado que estava, nem banho tomei. Acordo pela manha meio assustado, olho pro relágio e putzzzz... noto que estou atrasado, até que cai a ficha que é sábado e não trabalho, aproveito e volto a dormir mais um pouco, qdo dá umas dez e meia da manha, levanto, tomo um banho, café, pego a bike e vou dar um role no bairro. Aproveito pra ver os amigos, conversar com os vizinhos, pois alguns não vejo durante a minha semana corrida, entre trabalho, faculdade. Qdo estou voltado pra casa, noto um caminhão de mudanças, e que vamos ter novos vizinhos, bem na frente da minha casa. Tem um homem, de aparência de uns 45 anos, uma mulher tbm, muito simpáticos, e um rapaz, alto, forte, moreno bem expressivo, bonito até, mais na boa de início nem dei muita confiança. Eles mesmo começam a descer os máveis. Não era esses caminhões de mudanças especializados, com carregadores e coisa e tal, era um caminhão de uma empresa e tal, e tinha sá o motorista, reparo que eles queriam ajuda, grito o meu mano me apresento e começamos a descarregar os máveis. Eles são bem simpáticos, mais o jovem estava meio mal encarado, parecia chateado, a mulher é a primeira a puxar assunto. “Olha meu filho não repara a cara da Jhonny não, ele é um átimo menino, mais estava acostumado com Cabo Frio, mais o Henrique foi transferido pra empresa matriz que fica aqui no Rio ae já viu, tivemos que mudar. Eu olhei pro Jhonny e na boa ele nem me olhava, sempre mal encarado, e começamos a descarregar tudo, levamos umas meia hora pra descer tudo do caminhão, eu e meu mano, que já estava bufando pior do que o Jhonny e depois o caminhão foi embora. Como não tinha mais nda pra fazer no domingo fiquei ajudando eles a colocarem tudo no lugar, eles não eram pobres... pobres, mais não tinham muitas coisas, classe média.. média, como lah em casa. Reparei que o Jhonny tinha um nootbook, e puxei conversa com ele. Pela primeira vez ele falou comigo, uma voz segura, perguntei a idade disse que tinha 24, falei que tinha 23, até brinquei... pow 24, ae ele sorriu, diga-se de passagem sorriso na moral, lindo. Meu mano foi puxando assunto tbm e ficamos na escada a conversar, nisso vai caindo a tarde, até lanchamos lah mesmo, qdo derrepente chega o Pedro. Buzina e eu vou até o carro. “Quem é o leke?” Eu ainda puto falo “Pow o vizinho por que”. Ele manda eu entrar ae eu entro. O Jhonny do carro deu pra perceber que ficou me olhando, nem deu muita confiança pro meu mano. O Pedro estaciona a dois quarteirões do meu bairro e fala “Ae desculpas pela brincadeira daquele dia, na boa foi mal mesmo. Mais cara curto demais vc”. Eu tomo coragem e falo que tinha voltado atrás e que o melhor seria a gente não namorar, qdo batesse a vontade a gente faria umas sacanagens e tal, mais que namoro seria arriscado demais. Ele respira um pouco e fica mudo, não fala nada, fica a olhar pra estrada e tal, eu fico meio que mal pela situação, mais no fundo sabia que seria o melhor. Não iria terminar bem, ainda mais que o Pedro mesmo na brincadeira tinha um ciúme e isso não é nda legal, por que nunca cobrei nda dele, podia tbm impor limites dele ser casadoe tal, eu pensei bem qdo estava a pensar no buzão, e achei melhor dizer pra ele. Ele vira por um isntante, olha nos meus olhos e pergunta. Â“É isso mesmo que vc quer, vc quer sá sexo, não quer namorar comigo?



Continua...



Gente vlw pelos e-mail, quem quiser trocar umas idéias me envia um e-mail e tal.



[email protected]



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos estuprada por um cavalovideos porno mulheres da.bucetas muito gostosas dando para cachorro emgatar o no na buceta delaquero ver buceta do pigele gradeconto fui abusado pelo tio da van gayContoseroticos minha mulher na passagem no anodelirei com a pica entrando no meu cuzinhocontos eróticos trai meu marido numa rapidinhaachei que era uma mulherao mas era um travecao que me enganou e socou no meu rabinhocontos eróticos menino pintinhocontos eróticos puta testemunha de jeovátravesti sadomasoquista na regiaocontos esposa no baralhozoofilia co caxorros das rolas mas grosas muduencoxei enteada no busaoultimos contos eroticos de bundudasencoxadas socando com força reçentecuzinho da mae contoscontos eroticos gay problemas mentaiscontos lesbicos visita ao ginecologistacontos eroticos arrombando a gordacache:tCqBSJiMNvAJ:okinawa-ufa.ru/conto-categoria-mais-lidos_6_13_orgias.html contos sacudo e casal safadocontos eroticos no terreno com a donaTenho uma tara incrível em ver mulheres lutando e foi com muito custo que consegui convencer minha então noiva a se atracar com mulheres semi nua, e em algumas lutas completamente nua, para o meu prazer. às vezes fico com peso na consciência pois ocontos de sexo gay meu melhor amigo me seduziu e me fez mulhercontos eroticos virei amante do tio do meucontos heroticos de mulheres de manauscontos eroticos corno bebe leiteContos eróticos mulher do pastor com novinhos teenscomendo o primo e olhando pela janela dava pra ver sua buceta,conto lesbicocontos comendo o cuzinho da molecapapai disse que me ama contos eroticoschupada por mendingo e seu cachorrocontos cunhada bundacontos eroticos de franelinhas de rola grande e grossaengravidaram minha mulher contos pornogay de zorbinha enfiado no regocontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cãocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos seios grandes de leiteCONTO INCESTO NA MADRUGADA COM A SENHORAcomedor de cu de secretarias casadas casa dos contoscontos titia do cuzinho gostosocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteposso dilatar a porta do meu anus todo dia?conto erotico orgias okinawa.ufa.rumeu primo mobral contojhuly cdzinhapoi ve a folha fundedo com o primo dentro de casacomtos de vagabundas que gostão de fudercontos eroticos arrombando a gordacontos enquanto dormiaconto de noiva putinha do papaiHomem mais velho iniciando duas meninas novinhas as chupar pica contos eroticoscontos eroticos diarista casadaconto banho com tia timidaContos Eróticos Angolanomulheres casadas com picudos/contos com fotosconto erotico vendo meu subrinho mamando pedi um pouco para minha irmaGay passiva com dois negoes contosconto erotico incesto sonifero filhacontos porno dava pro meu padastroconto humilhadaminha namorada apertando meu pau com a sua bucetacontos sexo minha sogra sua amigacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteminha esposa a raspadinha contoconto sentado no colo e jogandominha esposa deixa a buceta cabeluda e da pra o meu melhor amigo em relatoscontos de crosdresseressocar pasta de dente na vagina aperta.moreninha linda gostosa quatorze anos dandocontos eroticosMeu amigo me convenceu eu deixa ele chupa no meu paumeu genro me comeu o cu contosconto meu cao socou tudo no meu cucontos eróticos vou arregaçar essa vagabundacontos sobrinho moreno loiracontos erotico papai vai cabercontos eroticos escravizou minha namoradacomedor de esposasbundinha com calcinha sensual da virgemminha mulher enrabada na boateConto erotico cu jeova casadaSou negra e dei gostoso contos eroticosContos eroticos saia rodada e de calcinha fio dental