Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

TARA POR VELHINHOS

Oi, meu nome é “Helen”, e quero relatar o que me aconteceu há algumas semanas. Desde que eu era novinha mesmo, eu sempre tive uma tara sexual por velhinhos. Isso começou quando eu estava no ponto de ônibus com uma amiga minha e um velhinho olhou pra mim descaradamente e começou a passar a língua dele nos práprios lábios. É claro que eu sabia o que aquilo queria dizer. Na hora, eu senti nojo, mas as minhas regiões baixas começaram a ficar úmidas e quentes. Achei aquilo muito estranho. Fui pra casa, lembrei do velho e senti que a minha xaninha estava molhadinha. Instintivamente, comecei a passar a mão nela e lembrar do velho. Essa foi a primeira vez que eu comecei a me tocar, e ainda mais por causa de um velho safado! Comecei a acelerar o movimento do meu dedo e gozei deliciosamente. Desde então, sou louca por velhinhos.

Há um mês atrás, eu estava na sala de bate papo porque adoro mostrar meus peitos pela cam. Um homem me chamou e logo me mandou o convite para a sala reservada. Eu logo fui tirando a blusa e o sutiã, quando vi ele era velhinho. Ele não sabia que não eh habito das pessoas mostrar a cara pela cam em uma sala de imagens eráticas. Enfim. Ele estava me excitando tanto que pela primeira vez na minha vida, eu exibi a minha xaninha pela cam, fikei passando o dedo no meio dela e chupando meu práprio dedo. O velhinho fikou tão excitado que começou a alisar o pau por fora da roupa. Aquilo estava tão provocante que falei –ahhh deixa eu ver o seu pau pra me deixar feliz! E ele fikou meio inseguro, desligou a cam e saiu da sala. Aquilo me decepcionou tanto que até desanimei. Tive que me contentar em ver o pau dos mais novos.

Uma semana depois disso, eu estava indo para a faculdade e, como moro um pouco afastada do ponto de ônibus, levantei cedo e fui andando. Estava escuro ainda. De repente, encontrei o Seu Juliano, meu vizinho, chegando em casa. Eu disse oi pra ele e ele me abriu um sorriso de orelha a orelha. Eu perguntei o pq da felicidade e ele soh respondeu –ahh minha filha,eh que não se tem idade pra ser feliz. Eu perguntei –arranjou uma namorada? E ele fikou meio sem graça e disse –namorada? Claro que não, Helen. Nessa idade que eu estou não tenho mais idade pra namorar. E eu me interessei e perguntei –mas pra trepar sim, ne? E ele fikou sem graça e disse –vc eh nova demais pra essas coisas.

Ahhh velho safado, estava na zona! –pensei.

Seu Juliano eh um senhor que morava com as duas filhas e um neto muito lindo na casa da rua de cima. Eu pouco o via, mas sabia que ele levava uma vida boemia desde que a esposa dele morreu, há 2 anos atrás.

Fikei imaginando como aquele velhinho iria se sair na cama, jah que havia a possibilidade de ele não funcionar mto bem. Eu queria provocar. Passado uns três dias, a filha dele mais velha estava saindo de férias do emprego e disse pra minha mãe que iria viajar com o filho e com a Irmã dela, pra aproveitar o tempo. Minha mãe disse –ah mas vc não vai levar seu pai? E a filha dele disse –ah, ele quer ficar na casa dele, disse que tem umas coisas pra fazer por aqui, com certeza farrear neh? Quando eu ouvi isso, eu jah fui lah pro portão fingindo que ia apenas cumprimentar a moça. Ai ela continuava conversando com a minha mãe –ah, mas eu fiko preocupada, ele precisa de alguém pra cuidar dele, mas a Catarina (irmã dela) quer pq quer ir viajar comigo e com o Vitor. Ela nunca viaja, soh cuida do pai, eu tenho que dar essa chance pra ela neh? Minha mãe disse –se vc quiser, eu posso cuidar dele. Digo, dar os remédios na hora certa, verificar se tah td bem com ele. E eu jah disse –se vc quiser eu tbm posso fazer isso, ainda mais pq jah vou fikar de férias na facul e não faço nada mesmo... A minha “enteada” ficou toda feliz, disse que falaria conosco. Um dia depois, ela jah estava na porta da minha casa dando recomendações. Seu Juliano estava com elas. Ele resmungou algo sobre não querer ninguém lah pq ele sabia se virar. E eu disse –relaxa, seu Juliano, companhia eh sempre bom! E olhei com cara de putinha pra ele. Ele não disse nada e voltou pra casa. Minha mãe disse que cuidaria dele durante a noite e eu durante o dia. Eu concordei. No primeiro dia, eu entrei de fininho na casa dele e ele não estava. Fikei esperando pra ver se ele chegava. Não demorou mto e ele chegou com cheiro de bordel. Fui de fininho cutucar ele e ele levou o maior susto. Perguntei se ele jah tinha tomado o remédio, se estava com fome e ele disse que estava bem. Eu perguntei –o senhor sai com frequência? E ele fikou meio constrangido e disse –não mto. Eu disse –mas o senhor tem pique? O senhor sabe do que estou falando. Ele disse –por q seu interesse? Não eh coisa pra menina da sua idade! Vc poderia ser ateh minha neta. Estranho que, quando ele falou aquilo, fikei extremamente excitada. E disse –relaxa vô, eu to aki pra cuidar do senhor com carinho ta?

E sai. Eu ia atacar no dia seguinte.

Dia seguinte, colokei uma saia sem calcinha, sapatilha, sutiã e um casaquinho pra ele não ver que eu estava pronta pro ataque.

Cheguei lah um pouco mais tarde e ele tava dormindo. Deitei na cama dele, de lado, e fikei mto excitada. Fikei alisando o pau dele pela cueca e, quando vi que ele estava acordando, fikei chamando ele e tokando na cueca, pra disfarçar que eu soh queria acorda-lo. Seu Juliano acordou, eu dei bom dia, disse que iria arrumar seu café e dar seu remédio. Ele sentou na cama, colokou a coberta no colo pra disfarçar a excitação e eu fui andando ateh a cozinha. Abaixei e peguei um sapato que estava no chão, propositalmente pra ele ver meu rabo inteiro. Arrumei a mesa, fui ateh o quarto para chama-lo e falei –vamos tomar café, vô. Ai ele disse –vc eh estranha, menina. Eu sentei no colo dele, abracei-o pelo pescoço e disse –pq vô? Ele disse –por nada. Entao eu levantei disse –ta bom, vou pra cozinha. Qdo levantei, vi seus “remedinhos” na cômoda e fui feliz para a cozinha. Abri um botão do meu casaco, fui servir café pra ele e, “sem querer”, esfreguei meu peitinho no braço dele. Ele me olhou com cara de velho tarado e disse –senta no colo do vô. Eu me fiz de besta e sentei. Ele começou a falar –eu não sabia que vc era putinha safada. E eu disse –eu não sou! Eu sou soh netinha safada.

Nessa hora, ele começou a alisar a minha bucetinha que estava toda encharcada, e disse –ah eh? Mostra pro vovô então. Ai eu disse –eu sou difícil, vovô. Tem que me forçar. Ele disse –dificil nada, vc eh toda putinha que eu sei. Eu disse-tem que me forçar. Ele disse –ah eh? Me puxou com força pelo braço em direção ao sofá e eu me fazendo de difícil. Fez eu sentar, abriu as minhas pernas e começou a dar linguadas na minha buceta que me fez ir ao universo e voltar. O velho era bom de língua! Ele me fez gozar na boca dele que eu não tinha nem forças pra levantar. Eu fui pegando no saco dele e abaixando o short dele. Quando vi aquele caralho de velho fez eu tremer as pernas! Ele dobrou o joelho de leve e disse –chupa o vovô, netinha puta, vai sua vagabundinha safada. Quando colokei akele caralho na minha boca, eu delirei. Chupava ele como se fosse a primeira vez, pra tornar minha fantasia mais excitante. Depois de chupar aquele pau, pedi que ele me penetrasse. Ele foi pincelando minha buceta ateh que uma hora enfiou tudo. Como ele estava meio lerdinho, eu colokei ele deitado no sofá e fikei pulando feio vadia no pau dele, querendo ateh as bolas dele dentro de mim. O mais engraçado foi sentir o pau dele endurecendo e amolecendo dentro de mim umas duas vezes. Ai comecei a acariciar as bolas dele enquanto trepava quando senti aquele jato quente de porra dentro de mim, gozei junto com ele. Gozamos demoradamente, enquanto eu fikava rebolando nele. Assim que levantamos, fikei de costas enquanto ele esfregava aquela rola velha na minha bunda, e acariciando os meus peitos. Foi quando eu abaixei um pouco e fikei esfregando minha bunda na rola dele. Ele gozou novamente. Ai me trokei, falei pra ele tomar o café direitinho e os remédios...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos nao tinha camisinhaencesto contos de irmanzinja virgemcontos eroticos esposas bundudasamanda meu marido.é corno mesmo contoscontos eroticos arrombando a gordapassagem erótica eu vou a loira gostosona na f*** boacontos eroticos arrombou meu cu no quintalcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteComi minha tia historia veridicaminha mae mostrou seu rabo de fio dental pra mim contos com fotosrealizei meu sonho comi minha tia perdi a virgindade conto eroticoConto comi esposa do meu irmao e gozei dentrocontos heroticos gay meu padrinho de vinte anos me comeu dormindo quando eu tinha oito anoscontos eróticos meu tio pauzudoContos eroticos de negros dotadosConto arredou a calcnha pro lado e enterrou tudo numa vezminhasobrinhae sua amigacontosdescabacei um heteroconto gay de pai com vaqueiroesposa crente relatando contos troca casais pornoconto erotico de sogro fudendo a noracontos eroticos meu irmaozinnho me mostrou o seu pintinhocontos fudendo casal bi drive innconto erotico meu aniversario comi minha sogra e minha esposadesfilado de calcinha por dinhero contos eroticosobrinha de calcinha na piscina contospresenteano minha esposa com outra rola contos eroticosComtos namorada fodida por homems casadoscontos betinha vendo a irma sendo fodidavelhos viciados contos eroticominha irma dormiu na minha cama contosComtos namorada fodida por varios machosFAMÍLIA LINDA CONTOS ERÓTICOScontos eroticos o traficante comedor de casadascontos comadres lesbicasminha esposa raspadinha contocontos gozei no papaicontos eroticos o dia que comi a novinha gordinhaconto gay aloprado gostoso virei putaestupro patricinha contocontos grávida do meu genrocontos eroticos treinamentocontos eroticos gay garotinhobundonas de30anos no cucontos erroticos garroto comeu minha mulher dormindoContos comi egua sitioConto erótico me deu sonífero comeu minha bucetaconto iroticos comedo minha entiada novinharelatos eroticos minha sobrinha Joanacontos namoradas q dao a buceta por dinheirocontos eroticos arrombando a gordaabusando no metrocontos putaria de crentesconto cutuquei pau na bundia delacontoseroticoscomcadelasMuller casada quer jumento para me ter nelafilha do caseiro e velho conto eroticocomo arrombada pelo meu sogro contos eroticosproposta indecente de colega porno de trabalho a casadacontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscontos erotico sobrinha novinha mais muito safadinhacontos eróticos enteadosContos erótico filhinha gosta de mamar picaContos eroticos levei de um activo negrocontos eroticoseu gostoo d ver meu marido comendo a empregadaConto erotico de tia e sobrinhocontos fotos esperimentando rolacomendo a tia que esta olhando pela janelacontos erotico fui concertar s torneira da vizinhacuzudas contosContos eroticos forcadomulher nua e corpo inteiro melado de margarinaconto erotico incesto sonifero filhanifeta cor de jambo no vidio mobili