Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

001 - SÉRIE - PUTARIA FUTEBOL CLUBE -

A vida é um livro, nás escritores do prazer aprendemos a ver a vida como uma porta aberta para a liberdade prápria.



Foi desta forma que ao conhecer Bruno que me encontrei como pessoa, ele um novo parceiro do nosso time estadual de futebol juvenil, estávamos disputando uma etapa estadual e ele era o novo contratado como reforço.



Porem eu era diferente, sempre desde pequeno curtia e via a beleza masculina diante dos meus olhos, ficava olhando diante da inocência dos garotos, a beleza dos braços, a corpo malhado dos mais velhos, em fim, eu era um garoto que curte garotos, um crime no futebol atual, porem eu relutava me escondia de mim mesmo.



Bruno era um típico garoto magro de corpo bonito, um olhar de macho e um jeito de menino mesmo, muito brincalhão, ele tinha a beleza dos gestos. Sabe quando conversa com um garoto e ao olhar nele vê uma beleza de rosto? Assim era ele!.



Eu um menino de pernas grossas, de rosto sem nenhuma mancha, de corpo franzino e adorado pelos outros meninos, sem modéstia adorava jogar bola e assim fazia muito bem.



As vezes ficava parado no bando de reserva e via aquelas pernas gostosas de Bruno, via aquele corpo serelepe de menino percorrer o campo e ele, todo suado demonstrava que realmente era lindo.



As noites em casa se tornavam palco para minhas punhetas noturnas. Imaginar ele, totalmente pelado, sem roupa e belo diante de mim era ao mesmo tempo imaginar o risco de perder a fama de bom jogador, de amigo de todos e se tornar o viadinho excluído por todos.



Porem em uma viagem do nosso time para o interior do nosso estado eu tive a oportunidade de realizar talvez a maior de todas as fantasias.



E foi desta forma que ao desembarcar junto com todos do grupo no hotel na cidade de Bonito MS, que ao distribuir os quartos eu tive o prazer de ficar eu e Bruno no mesmo cômodo.



Meus amigos me abraçaram nos reunimos no restaurante na mesma noite e a festa estava armada, todos os garotos, falavam mulher, de meninas, cantavam, e era totalmente uma felicidade imensa, pois estávamos nás simples garotos que disputaria um estadual juvenil.



A noite estava apenas começando e eu via e observava o jeito tímido, sorridente e bonito de Bruno, com toda aquela beleza de olhar e gesticular ao falar.



A noite cai e nosso treinador o Carlão nos orienta a ir para nossos quartos, tentamos negociar, pois ainda eram 20 horas, mas sem acordo.



Subimos para o quarto eu e Caio, Junior e Vitor em uma roda abraçados, logo atrás vinha Bruno e toda o resto da turma, subimos mesmo reclamando, zoando e cantando, pois amanha enfrentaria-mos o time daqui da cidade.



ja no quarto ele me abraços e disse que os garotos me adorava muito e que apesar dele ser distante as vezes por ser novo no time ele também passava a me admirar como pessoa e jogador, eu o abracei também em um gesto de carinho, e meio gay também, mas pude desta forma sentir a beleza e o calor do corpo dele encostar ao meu.



Logo apás ele tirou toda a camisa e o calção, eu sentado na minha cama fiquei perplexo com sua beleza de menino. Seu corpo magro, seu volume impressionante, seu cabelo liso e rosto limpinho me faziam ficar tremulo com tudo aquilo, virando de costas e caminhando ele me dizia que iria tomar banho, e ao caminha via sua bundinha gostosa e suas pernas grossas e totalmente másculas.



Bruno, fantasia ou descobertas?



Desta forma ao ouvir cada barulho das gotas caírem meu coração e minha mente tentava imaginar, como seria, como poderia ser ele totalmente sem roupa, como seria o novato, o garoto de olhar meigo, de voz bonita de boca carnuda, como seria... Como seria...



Foi assim que nesta mesma noite ao velo totalmente de cueca, de corpo ainda molhado, de cabelo úmido e sendo somente eu e ele que pudemos nos conhecer mais e mais. Eu assentado no chão daquele imenso quarto, ele totalmente me olhando e conversando comigo me contava como era no outro time, eu confesso que prestar atenção em tamanha beleza era o melhor.



O badalar das horas, o caminharem das mãos e de repente em uma coisa imaginaria, em uma cena torpe da vida ele toca em minha mão, segura firme e ao ouvir como fundo o som da ouço ele dizer.



- Sabia que apesar de jogar futebol, às vezes fico vendo sua beleza!



Estarrecido com a cena, ao ver ele totalmente meigo, totalmente se confessando e fazendo o que eu deveria fazer o vejo continuar dizendo:



- As vezes tenho medo, as vezes fico te olhando e te vendo tão amigo de todos e que penso que talvez seria uma ousadia minha. Aliás, me permita ousar...



O garoto do futebol, o novato me puxa pra cima dele e como em uma cena de novela sinto os lábios dele tocar ao meu, sinto a boca dele encostar na minha, porem eu não reagia, ele então me abraçava firmemente e eu conseguia de forma singular me deixar levar.



Meus lábios eram tocados por outro lábio, minha boca era beijada por outra boca. eu sentia em meu rosto o tocar das mãos de outro homem a me fazer carinho.



Bruno era quieto, um novo jogador que as vezes os meninos comentavam ser estranho, porem achei que era comum afinal ele era novo na cidade e no time.



Mas honestamente a experiência era boa, ele me fazer tremer, me fazia carinho e caímos juntos ao chão de tanto se beijar.



Sua boca carnuda, seus lábios e seu corpo magro e quente me diziam que realmente o jogar do amor me atingia.



Nás caímos ao chão e deliramos de prazer, eu às vezes dizia a ele que era uma loucura, mas logo seu jeito me seduzia e via nele a pessoa que iria me ensinar-me fascinar, me possuir de forma gostosa.



Sem camisetas, sem roupas, sem vergonha nenhuma de encarar que o sexo, que a luxuria e que a vontade era de ambos...



Dois jovens jogadores de um time que disputava o estadual juvenil em seu estado aprendiam que mesmo no machismo do esporte existia uma noite especial.



Ele tocava gostosamente minha bunda, eu sentia cada centímetro de seu braço, beijava e passava minhas mãos em seu corpo, em suas costas e em seus cabelos macios.



O deitar na mesma cama ignorava a separação do futebol arte, o poder sentir ele e relutar pela vontade nos fazia esquecer ao mesmo tempo em que éramos.



Ele me beijava e dizia que me curtia desde o primeiro instante que me vi, eu não dizia nada.



Ficávamos encostando um no outro, de pica em pica, de volume em volume nos sentíamos, e eu via que realmente o pecado era gostoso.



Logo ele caiu em cima de mim, e com muito carinho eu sentia o beijar em todo meu corpo, ele descia entre meus mamilos e meu umbigo, ele me ensinava como se arrepiar, e sentir aquela linguona me fazia tremer de vontades ao mesmo tempo em que fazia carinho em seu cabelo.



Gostosamente ele como se soubesse o que estava fazendo retira diante de mim o obstáculo que o separava de minha rola. Então em segundos o sentia degustar minha pica, o sentia mamar feito um homem, feito um garoto que sabia o que estava fazendo.



Era inevitável não gemer, mas eu tentava me segurar devido os outros garotos, tentava me conter ao sentir sua língua encostar em minhas bolas e fazer dela um atrativo maior dentro dela.



Gostosamente o menino. Bruno fazia bem feito, logo com seus braços e naquela cama macia erguia minhas pernas para o algo e daí encontrava-se com meu anelzinho.



Gemer... Delirar e tentar gritar era algo que não poderia fazer, mas era a vontade, pois sua boca, seu beijar e seu meter gostoso em meu rabo me fazia realmente me transformar em um viadinho do futebol.



Era arrepiante sentir a língua dele massagear a entrada do meu cú, Era delirante sentir todo o cuidado e o carinho que ele tinha por mim, ele chegava a me perguntar se estava doendo, mas eu não respondia, apenas ouvia de fundo a tv e respirava fundo diante de toda aquela situação.



Logo ele caia de boca em cima de mim, e loucamente me dizia gostar de mim, logo eu com minhas mãos tirávamos a minha e a cueca dele, e por fim poderia possuir o que um dia sonhei.



Era gostoso, era lindo ver aquela picona grossa balançar diante de meu corpo, ver aquela boca carnuda ser minha, era gostoso sentir que o macho, que o homem do time se fazia de vitima e se tornava o gostoso, o presente de todo um campeonato.



Então a noite se embalou e eu de quatro e possuído por ele o sentia fazer do meu cú algo degustavel, ele mamava, enfiava seu dedinho e me fazia de putinha virgem, mas sempre com muito carinho. Ele me punhetava e eu também o punhetava, tocávamos muito mais que uma descoberta e sim um momento.



Loucamente ele me disse no ouvido que iria me comer... Eu tentava dizer não mais era calado por sua mão forte e seu carinho indefensável.



Bruno me deitava cautamente e com toda a força de um homem meigo me fazia delirar em seus braços. Ele era gentil e com toda a sua experiência começava a me penetrar, ele com muito jeito me dizia no ouvido que no final eu iria gostar, então com a força de um creme que o achamos começa vagarosamente a enfiar tudo aquilo, aquela coisa grossa, branca e cabeçuda que anteriormente balançava em minha direção.



Sentia muita dor, meu corpo parecia estar sendo repartido ao meio, mas meus desejos eram compensados por sua língua que agora massageava minha orelha.



-Aaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii que delicia...



Sentia-o começar depois de enfiar tudinho e de esperar uns segundos a se movimentar, ele fazia movimentos lentos, calmo e meu rabo que naquele momento estava todo melecado de sangue e creme, de dor e prazer...



Nossa!!! Eu estava totalmente à loucura, pois ao mesmo tempo em que sentia a pica dele me consumir pensava se aquela era a escolha certa, pois parecia algo muito bom pra ser verdade, parecia algo muito delirante e encantador pra ser uma triste e gozante realidade.



Eu sentia aquela pica grossa, melecada a rebolar rapidamente dentro de mim, eu sentia o tocar de seu corpo e o beijar de sua boca.



Ele estocava agora gostosamente mais rápido e o que parecia pecado se tornava algo suador e delirante, ele metia com vontade, com carinho e raiva ao mesmo tempo.



Já totalmente aberto e pensante eu o sentia e via o que outro homem seria capaz de fazer com outro. Sentia o delirar da pica entrar, sentia o resbalar de uma torra arder gostosamente dentro do cú de um jovem jogador.



Eu era possuído e agora de 4 na cama via que ele sabia realmente como meter e rançar o cabaço de um cú.



Bruno era o garoto perfeito, de corpo, de rosto, de boca e de pica, de foda e de meter era mais ainda.



Ele metia com a suavidade de um comedor juvenil e a sede de um macho. Sentia-o sussurrar que estava uma delicia, sentia ele mesmo que baixo gemer, mesmo que segurando a vontade de gritar junto comigo que estava adorando o enfiar de uma noite.



Pica, dor, prazer, misturado com o pecado de um dia um jogador de futebol, uma pessoa que teria uma longa jornada no futebol se tornar um viado depravado.



Eu suava e gemia ao mesmo tempo em que tinha medo de tudo aquilo, era perfeito e gostoso demais para ser verdade, e sentir suas bolas bater firmemente em meu cú. Ao sentir sua mão máscula me segurar totalmente para meter, ao o sentir gostar de fazer tudo aquilo.



E noite se torna sem horário, o tempo e o sexo se tornam inimigos do prazer e ao o sentir fazer de mim o garoto de seus desejos o vejo dizer que iria gozar... Realmente estava todo dolorido, mas era inevitável ver ele mijar porra dentro de mim, de quatro via o escorrer da porra acumulada em minhas entranhas, sentíamos ao mesmo tempo livres e eu cheio, ao menos de porra quente dentro de mim.



Meu anelzinho estava todo aberto, todo arrombado e o jogador de futebol se tornara o perdedor de pregas. Bruno me beijava e me acariciava e eu me sentia diferente, leve talvez, porem com muito medo do que poderia acontecer daqui por diante.



Eu ao tocar em minha bunda sentia com os dedos o estrago feito por Bruno, e ele me acalmava dizendo que foi bom, me beijava e demonstrava que não era somente mais um comedor de cú e de sonhos.



Logo eu me deixei levar, fomos tomar banho juntos e ele com todo seu carinho me banhava, eu via em seu olhar o desejo escaldante, o beijar delirante e novamente o acariciar de mais um menino.



Juntos depois de perder a noção do tempo e lembrar que tínhamos trino as 6:30 da manha do dia seguinte se tornávamos meros jogadores da noite.



Depois do banho regado a carinho resolvemos dormir junto e por o celular pra despertar logo cedo, antes de todos acordarem e o treinador chamar.



Deitamos na cama e abraçados caímos no sono, e assim juntos começamos uma historia neste time de futebol.



E apartir de hoje estaremos juntos, eu escrevendo um novo capitulo de toda a saga de um campeonato juvenil, você lendo e gozando junto comigo e Bruno, me comendo a vontade depois de tudo isto, mas sexo, prazer e pica nova que não vai deixar de aparecer aqui.



Até breve...



Continua...



Escrito por ThyAggo



---------------------------------------------------------------------------------------



MSN-



[email protected]



Blog -



portalgayms.blogspot.com



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eróticos transando com coroas separadasConto erotico danoninhoO reencontro entre prima e primo minha paixão conto eroticocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteMeu Rabo me fazconto erotico submissa gozei choreicontos eroticos de mulher com travesticonto guei dopei meu irmáo chupei a rola delecontos eroticos espermacontos eroticos de incesto: viajando com a mamaecontos eroticos com estorias ocorridas na infanciaseparada e depilada contosconto eróticos dei pra meu pai depois de casadacolo conto gaycontos crente casada vira p*** DVDcontos eroticos mamae me ensinou a ser putaconto erótico gay com estuproContos dois na minha mulherminha mae morreu no parto e meu pai mim criou contoscontos de coroa com novinhomeus tios uma historia real 1contos.eroticos de alguem tomando injecao pornocontos eroticos sequestroContos pornôs buceta virgemfiz ammor com minha irmacontoseróticos perdendo as pregas do cu e xanachapeleta pegando a casadaContos eroticos descobri q o chefe de minha mulher levava ela pra uma suruba buceta carnuda comtos de sexoconto erotico eu e minha mae estamos gravidas do meu que e adoramos elecontos eróticos esposas traduzidas na minha frentecontos eroticos sbcconto erotico menino dormino de cuequinhagays cornos contos no cinema vídeoscontos vizinha loira meninaEla pediu pra cheira e ele esporou nacara delacontos eróticos de gay Comi o cuzinho do Pai da minha MADRINHAContos eróticos tirando virgindadefalei pro meu amigo que queria ver ele fodendo a minha esposauma buceta enchada de ter cido estruprada samgrandocontos chupei minha namorada a forçainjecao na bunds porno contocontos familia na praiacontos sadomasoquista vendida pelo maridoexitei um traficanti ele me comeucontos levei amigo bebado fudeu minha esposacontos eroticos esposas bundudasVidios porno meu irmao me estrupou cravo tudo o pazao eminmullet fudemdo pau gramdeConto.minha.neta.ja.ten.cabelo.na.bucetacontoseroticos/pauzudocasadarealizei meu sonho comi minha tia perdi a virgindade conto eroticoContos Eróticos De Coroa Dona De Casacontos porno de incesto real pai filha e mae juntosg****** na xoxota da prima beijoscomi minha filha virgem contosp*** da bunda grande deixando seu c* todo arrombado com peito bem grandeContos Eróticos De Como Eu Dei Para O Amigo Do Meu Filhoconto erotico comendo a massatorepeutacontos eroticos garotinha pequenaconto minha cunhada me deu cu e sua tambemconto erotico gay virei putinha do coroa do cinemaFotos de mulheres com opriquito melado e de fio dentalsexo gay padrinho okinawa ufacontos eroticos minha esposachupa o patrao no escritoriodevagarsinho entrou tudo no cuzinho contosConto zofilia me atrasei pro trabalho contos zoo viciada na picona do doogcontos eroticos tatuadorcontos exitantes fudi amadrinha da minha primaConto porno de coroas o avo da minha amiga me comeumeu carçereiro gostosorebola rebola contos eroticos