Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA SOGRA NO BANHEIRO

A estária que irei narrar se passou a alguns anos. Hoje sou casado mas na oportunidade eu era noivo da então mulher com quem iria me casar mais tarde. Nessa época, eu costumava dormir todas as sextas-feiras na casa de minha noiva, onde ela, sua irmã mais nova e sua mãe moravam sozinhas, uma vez que minha sogra é divorciada e o filho mora com o pai no interior paulista. Minha sogra era na época uma mulher de aproximadamente 35 a 38 anos, com um corpo super cuidado e bastante “gostosa”. Minha cunhadinha, apesar de meio gordinha, com seus 19 anos, era bastante interessante.

Certa noite de sexta-feira, cheguei um pouco mais tarde do que de costume (o ônibus da faculdade havia se atrasado), por volta das 12:30. Entrei tentado fazer o mínimo de ruído possível, pois como estava muito frio, minha noiva já havia se retirado para dormir. Quando adentrei a sala encontrei minha sogra deitada no sofá virada de frente para o encosto, coberta até o pescoço e a TV ligada. Bem, imaginando que estava dormindo, desliguei a TV e fui direto para a cozinha tomar uma água para, depois, me deitar.

Por um momento pensei escutar gemidos bem baixinhos vindos da sala e então, sem me importar muito com o fato voltei pela sala para ir ao quarto passando por minha sogra que parecia não ter se movido.

Entrei no quarto de minha noiva e esta estava em um sono tão profundo que não percebeu que eu havia chego. Tirei as roupas e me deitei ao seu lado beijando seu pescoço e tentando fazê-la acordar, pois havia esperado a semana inteira para possuí-la que não poderia passar sem pelo menos um “namorinho”.

Entretanto, minha noiva me empurrou dizendo que estava frio e ela com muito sono e que eu fosse dormir. Frustrado, irritado e com um tesão enorme e incontrolável, me dirigi ao banheiro para me masturbar e poder dormir em paz. A porta do banheiro estava meio aberta e com a luz apagada, assim entrei direto já segurando o pau duro para fora da cueca. Encostei a porta para e mantive a luz apagada para não dar na cara. Depois de alguns segundos senti uma sensação estranha, como uma presença e acendi a luz. Qual não foi minha grande surpresa ao ver minha sogra sentada na beirada do vaso sanitário somente de calcinha e camisão, me olhando com a maior cara de desejo e perversão e me disse: “Ela não está cuidando bem de vc, não é ?”. Na ora eu fiquei muito envergonhado e não sabia como esconder meu pau, que apesar de ter murchado um pouco, ainda dava grandes sinais de excitação, mas em seguida confirmei: “É, ela estava com sono e vc sabe, é difícil conter a vontade, então...” . Ela me interrompeu: “Venha até aqui perto de mim.”. Fui até ela e, ela sentada no vaso ficou com a cara na direção do “bixo”. Nessa hora, eu estava tão excitado que sentia vertigens e meu pau tão duro que saltava da cueca. Ela delicadamente tirou ao camisão dizendo: “Vamos então resolver nosso problema.” (depois de divorciada, cerca de 3 anos, nunca a tinha visto com outro homem). Agarrou meu pau com força e me puxou para si abaixando minha cueca e agarrando minhas nádegas. Começou a passar a língua ao redor da cabeça do meu pau para em seguida abocanhá-lo com voracidade. Chupava com tal gosto que de vez em quando se esquecia de respirar, parando, sem tirá-lo da boca, para respirar profundamente.

De repente tirou da boca e apás punhetá-lo suavemente por alguns instantes olhando em meus olhos, se levantou e trancou a porta do banheiro. Voltou-se para mim dizendo que a partir de agora eu seria somente um objeto do seu desejo e da sua vontade. Me beijou apaixonadamente, abaixou a calcinha até as canelas, se debruçou por sobre o gabinete da pia e arregaçou as nádegas, expondo sua buceta e seu rabinho: “Venha cá !” em tom imperativo, “Coloque essa lingua gostosa e quente para trabalhar”. Por um instante exitei, pois ela estava falando meio alto e fiquei com medo de alguém ter escutado. Minha cunhada tinha o sono muito leve e sá de imaginar a situação fiquei gelado. “Venha cá agora” decidida. Deixei os receios de lado e cai de boca em sua buceta quente e hábil. Forçava a lingua para dentro e percebia, pelas mãos dela em minha cabeça que ela estava alucinada de tesão. Levantei e a segurei pela cintura encostando a cabeça na porta dos fundos. Ele ficou parada por um instante e como eu não empurrei quem o fez foi ela. Jogou o corpo para traz afundando com tudo meu pau em sua buceta grande e quente. Comecei bombar como um louco e ela começou a gemer alto e o medo de que alguém aparecesse foi se tornando cada vez maior.

Quando estava para gozar eu a avisei e ela me pediu para tirar e deixá-la apreciar o espetáculo. Meu coração foi a mil quando escutei a maçaneta da porta ser forçada e ela, naturalmente, abrir. Era minha cunhadinha, sá de calcinha que entrou olahando para mim com a cara de safada que lembra-va sua mão. Sem dizer nada, ajoelhou e foi logo chupando. Sem entender nada, olhei para minha sogra, que agora se masturbava rapidamente para chegar num orgasmo incrível. Como eu já estava quase gozando, não demorou muito para encher a boca de minha cunhada da maior quantidade de porra que eu já havia “produzido” que me lembra-se. Com a boca cheia do meu sumo, minha cunhada: “Agora é minha vez...”. Deitou-se no chão do banheiro e minha sogra passou a chupá-la de tal forma que parecia fazer isso todas as noites.

Alo deparar com minha sogra de quatro, não exite: encostei a cabeça do meu pau já duro como pedra no rabo da minha sogra e forcei tudo de uma vez, tirando um gemido abafado dela. Ela olhou para tráz com cara de dor e pediu que eu parasse pois estava doendo muito. Olhei para ela e para minha cunhada atônita e mais uma vez empurrei com tudo. Ele começou a soltar lágrimas mas aos poucos voltou a chupar minha cunhada que depois de alguns momentos, jogou a cabeça para tráz e seu corpo estremeceu inteiro. Nisso retirei o pau da bunda da minha sogra e bati uma punheta esporrando sobre elas.

Minha sogra me olhou consternada e sá consegui esclamar: “Puxa, que violência !”.



Depois de alguns dias, foi minha cunhada que me surpreendeu novamente, mas essa fica para a práxima.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


ver história de putaria entre famíliacontos contos mãe e amiga travesticontos eróticos corno ...eu gritava que estava no período fértil...conto gosto de usar roupas femininascontos tia tirou os pelos do pau do sobrinhodeu a buceta no presidio contosFiquei parado olhando a bunda delacontos fumando crak com travecocontos de coroa com novinhomae leva gozada na boca de fio travestirelatos dp crentesler contos de gay sendo estrupadohistorias de meninas que se masturbaram enfiando cenouras no cu e na checaEu já não era mas virgem quando meu pai me comeucontos porno me chupou dormindocontos eroticos/final de semana/dp analconto gemendo no pau do pone taradoconto erotico gay eu e meu padrinhodepois de mais de 20 anos casados minha esposa topoucontos eroticos incesto fazendo minha filha gozar no meu paucontos eroticos de cdzinhahistoria porno gay, paguei boquete no amigo carloscontos eroticos acampamento pirenopoliscontos eróticos casal Passei a noite no autorama no Ibirapueracontos eu marido na prai de nudismovideo pono pequano aprima do midoContos.eroticos..de.incesto.no.dia.decasarconto eróticos engravidou esposa do irmao e esposa do sobrinhocontos eroticos meu vizinho mim estrupo eu era pequena tinha oito anosa foder a policial na rua contosliga contos de loirinhaDominando ela contoscontos heroticos gay meu padrinho de vinte anos me comeu dormindo quando eu tinha oito anosgritei muito enrabada contosver contos eroticos de empresários comendo o cu de.funcionárioscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteporno com primas branca de olhos verdes de cabelos ruivos bunda redonda e peito pequeno redondinho / anal/contos eroticos pai mae e maedesejos de machos que adora safadeza com outros macho experiências vividastirando as pregas do cu da joycecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos travestis fudendo frentistas do posto de gasolina gaysmeu namo puchou meus cabelos e deu vários beijos em mim o que significa isso?Conto de homem de deu para Fabiola voguelcontosobrinhocontos eroticos seios com leitegarota da buceta grande cetado nado negãocontos eróticos gay EMMO o maconheiroRecém casadas traindo em contoscontos erótico de incesto eu novinha ano ... meu tio com 26*6cm de rola me arrombou cache:LLg3rwatgfAJ:https://okinawa-ufa.ru/m/conto_26618_minha-transa-na-festa-com-um-menino-mais-novo.html contos eroticos gay meu tio de dezessete me comeu bebado quando eu tinha oito anoscontos herotico minha mae e uma puta que todarua come elamamadas seios contos coroascomo e que aimha vagina abre na hora do sexo?contos er dirigindo no coloconto erotico gemendo com mibga filhacontos primeira ves da minha namorada com um cavalofalei pra ela que era um pirulito contos eroticoslevei minha mulher para 5 dotadospapai me ensinou chupar buceta conto eroticodesmaiou quando o caralho enorme do negro entrou no cucontos torei uma menina de dez aninhos filha da amiga da minha esposaRelatos eróticos novinhascontos eroticos metende devagar na buceta chupando os seios mordendo os bicis cavalgando gememdocontos eroticos, casada nova surpreende marido em cine pornocontos meu pai me seduziuconto com a cunhadaimagens de rabo gostoso inclinado de calcinha transparentebuceta esticada aberta gozandoContos gays passeando na rua vestindo langerie e vestidinhocontos eroticos de quata feira de cinzacontos eróticos papai to com vontademeu cao taradocontos cunhadacontos eroticos a filhinha da empregadavideo para baixa de porno home com olho vexadocontos de gauderio arrancando cacaço de cu e bucetasContos erotico cuzinho d m cunhadinha Contos eroticos aniversario esposasas escravas e humilhadas