Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

SEQUESTRADA E VENDIDA - PARTE 1

Olá gente!!! Me chamo Bhárbara e vou contar nesse primeiro conto um caso que aconteceu comigo a pouco mais de 2 anos mas que deixou muitas marcas na minha alma e na minha mente. Com a ajuda da minha psicologa consigui voltar a quase 100% da minha vida normal, inclusive ela me pediu para que eu me abrisse e contasse o que me aconteceu com outras pessoas para melhorar mais sobre esse meu trauma, claro que ela não especificou de eu contar no site, mas achei que seria uma boa forma de me abrir, ja que algumas amigas(as mais proximas), eu já contei e me ajudaram muito neste processo.rnrnHoje tenho 19 anos, sou branca, cabelos loiros, magra, seios e bunda pequenos mas bem definidos, acho até do tamanho certo, sem exagero e sem falta, mas claro que quero um dia colocar silicone nos seios rsrsrsrs. A primeira vista sou sá uma patricinha mas não sou do tipo esnobe, me dou muito bem com todos independente de qualquer coisa. Antes deste fato que narrarei tinha uma vida sexual bem ativa, gostava de homens bem mais velhos mas saia também com meninos da minha idade ou pouca coisa mais velhos. Já tinha bastante experiencia mas ainda tinha muita coisa pra aprender rsrsrrsrs.rnrnCerta sexta-feira a dois anos atras, quando eu tinha 19 anos, minha amiga Ana me ligou dizendo que teria uma festa no sábado na cidade dela que fica a 50km da minha. Era um churrasco na casa de um amigo do ficante dela, então resolvi ir. No outro dia me arrumei, nada de grandes produçoes porque não gosto, apenas um short jeans, uma camisa de botão preto e uma rasterinha, peguei escondido o carro do meu pai, já que ele e minha mãe estavam no exterior a trabalho, e dona Tereza quem cuida da casa(e me vigia pro meu pai) tinha me pedido pra não ir no final de semana pra visitar a irmã dela no hospital. Normalmente eu iria de onibus que é rapido, mas como meu pai ja tinha me ensinado a dirigir e o carro estava la, então fui assim.rnrnChegando na festa, tudo normal, churrasco, muita bebida, musica alta, sol, piscina, muitos homens lindos amigos do ficante da Ana. Bebemos a tarde toda, fiquei com um homem muito lindo lá, mas que depois que bebeu ficou um chato, então resolvi ir embora, já um pouco alterada, Ana disse pra eu ficar na casa dela mas eu disse que estava tudo bem, que eu consiguia dirigir até em casa, e eu estava bem mesmo rsrsrss! Entrei no carro e comecei a dirigir pra estrada, me perdi um pouco pra achar a saida da cidade, e quando consigui já estava bastante escuro, mas prossegui.rnrnMinha cidade por ser um polo Industrial, antes de você realmente entrar na cidade, na estrada tem varias fabricas, e as vezes alguns conjuntos de casas, é um trecho longo. Durante esse trecho, a estrada estava bastante vazia, eu ouvia musica alta, e sem perceber estava pouco acima da velocidade permitida. Derrepente um carro surge atras e começa a dar sinal de luz e tinha aqueles sirenes em cima do carro girando uma luz vermelha, pensei "Ferrou! menor de idade e levemente embriagada, meu pai vai me matar!". Encostei o carro no acostamento e olhei pelo retrovisor e achei estranho que o carro que mandou eu parar nao parecia os carros de policia da minha cidade, e estranhei também quando saiu do carro dois homens, um do lado do passageiro e outro do banco de tras, enquanto um terceiro continuou na direção, começaram a andar para o meu carro, peguei o documento do carro, abri um pouco a camisa pra tentar persuadi-los e abri o vidro do carro, quando um chegou pelo meu lado já fui falando "Boa noit..." e já vi a arma apontando bem na minha frente e ele griando:rnrn_ Fica quetinha se não quiser morrer. Caladinha e pro banco de tras.rnrnFiquei paralizada sem entender, o segundo homem entrou pelo banco de tras do lado do passageiro, soltou meu cinto e me puxou pelo cabelo pelo banco de tras. Até esse momento era a maior dor que já tinha sentido. Ele me fez deitar no banco de tras, colocou um capuz na minha cabeça, pouco antes de tampar minha visão vi o primeiro homem entrando pela porta do motorista, sentando e já ligando o carro. O segundo bandido falou bem perto do meu ouvido:rnrn_ Obedece tudo que você sai viva e sem se machucar entendeu? se endendeu acena com a cabeça.rnrnEu já chorava compusivamente mas acenei com a cabeça. Pedi que levasse o carro e me deixasse em paz, mas o bandido que estava atra me deu um murro na costela que fiquei varios minutos sem ar.rnrn_ Fica calada!rnrnOuvi o bandido que dirigia o carro perguntar para o parceiro que estava atras:rnrn_ É boa a mercadoria?rnrnAchei na hora que ele falava do carro que era de luxo. Ele passou a mão grossa na minha bunda e nos meu seios por cima da roupa e respondeu:rnrn_ Hoje nás demo uma sorte lascada. Essa aqui vale até cobrar o dobro!rnrnE os dois riam muito alto. Até esse momento eu não entendia o que eles queriam dizer, achei que era sá um sequestro normal que estavam apenas me assustando. Andamos varios minutos, eu encolhida no banco de tras, e o raptor que me acompanhava no banco as vezes passava a mão no meu corpo e eu tentava tirar, e tomei alguns tapas por isso, mas não iria deixar ele fazer isso, e eles riam muito com a situação.rnrnQuando o carro parou, ouvir um portão se abrir, eles dirigiram meu carro pra dentro do portao, fecharam, abriram a porta de tras, me tiraram e começaram a me empurrar, por culpa do capuz que tampava minha visão, acabei tropeçando e caindo, fui puxada com toda força e continuaram, me levaram pra dentro de um comodo, me sentaram em uma cadeira, enquanto dois me seguravam na cadeira o terceiro passava fita adesiva nos meus braços e pernas enquanto eu me debatia tentando escapar dleles. Fiquei toda presa na cadeira, a cada vez que pedia pra não fazerem isso me davam um tapa muito forte atras da cabeça. Tiraram o capuz e apás me acustumar com a luminosidade do ambiente pude ver o que parecia ser uma grande sala de estar, mas ainda em construção, nao tinha azulejo, as luzes estavam presas no teto bem improvisadamente, havia sacos de construção em um canto.rnrnUm dos bandidos era um moreno magro na faixa dos 30 anos, outro era bem mais velho, mais ou menos 50, com uma barriga grande e um bigode, branco, o terceiro também moreno, um pouco mais escuro e maior que o primeiro, também na faixa dos 30. Ficaram me olhando com olhar de desejo e rindo, quando o segundo disse para os parceiros:rnrn_ Vão ligar para os clientes enquanto eu preparo a mercadoria.rnrnOs três começaram a rir e sairam da sala e eu não acreditava que aquilo estava acontecendo, soluçava de tanto chorar.rnrnUns 19 minutos depois, um deles saiu de onde seria a cozinha daquela casa em construçao e gritou para o mais velho que estava em outro comodo:rnrn_ Já estão sabendo da mercadoria, foi foda pra dobrar o preço, reclamaram muito, mas eu disse que a mercadoria era de primeira e que não iam se arrepender!rn_ Muito bom! Quanto tempo?rn_ 1 hora!rn_ Quem?rn_ Todos!rn_ Hoje é nosso dia de sorte, vamos faturar uma grana!rnrnO mais velho sai de uma porta prendendo o botão da calça e o cinto, tira uma tesoura do bolso de uma mochila velha jogada no chão e veio pro meu lado. Já comecei a chorar e me debater na cadeira, ele me segurou pelo cabelo com força chegou no meu ouvido e disse:rnrn_ Se ficar mexendo assim vai se maxucar sua puta, fica quieta se não quiser isso.rnrnFiquei estática enquanto com força abriu minha camisa rasgando a frente forçando os botões, passou a mão nos meus seios e então com um sorriso no rosto começou a cortar minha camisa que por estar com os braços presos na cadeira não tinha como sair. Até tira-la toda, me deixando sá de soutien e depois começou a cortar meu short jeans, mas acho que a tesoura estava sem corte então não conseguia cortar o jeans, Xingou muito e tentou varias formas, até que ele colocou a ponta da tesoura no meu pescoço e disse:rnrn_ Se fizer uma gracinha eu corto esse pescocinho esta entendida?rnrnAcenei afirmativamente, ele cortou as fitas que prendiam minha perna, e começou a desabotoar meu short e eu comecei a chorar mais, ele tirou meu short, prendeu novamente minha perna e me deixou sentada ali sá de calcinha e soutien.rnrnComeçaram a olhar e passar a mão entre as pernas apertando aqueles paus enquanto olhavam pra mim ali presa naquela cadeira morrendo de nojo daquilo. O mais velho falou:rnrn_ Olha essa ninfetinha, com essa calcinha e soutien de mininha, que tesão cara. Deviamos ter cobrado o triplo!rnrnEu estava com um conjunto branco com bolinhas.rnEles riram do comentario e continuavam olhando pra mim com cara de tarados então o moreno mais magro falou para eles:rnrn_ Aposto 19 conto que ela é toda depiladinha!rn_ Não acredito, apostado!rn_ Estou dentro!rnrn(Continua....)

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


"relatos eroticos" massage cunadaconto erótico minha empregadinha novinhacontos eróticos de Paula de Floripa Santa Catarinadei o cu quando eu era pequeno contosConto sogra magrelinha gosta de orgiacontos eróticos prazer extremocontos eroticos orgia eu marido com as casais de amigos na chacaraloira casada e filho conto erotococontos.eroticos de alguem tomando injecao pornocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anoscontos eróticos com molequescomo faxersexooralvoyeur de esposa conto eroticocontos erotico sobrinha novinha mais muito safadinhacontos eroticos adoro sentir o gosto do amante delavidae-mãe finha fazer sexo ela etei u cuzansubmetido a chantagem para ajuda o marido contos eroticoas novinha gostosinha dando a b******** sendo engravidado tomando vinhocontos comendo a sogra gordacontos esposa branquinhacu esfolada negao contoscontos treinador gay da escolinhacontos eróticos de mae e filha usando vibradorcontos gay cuzinho frouxoo tio caçula contos eroticos porno gaycontos eroticos no consultorio medico tomando injeçãohttp://contos erotico fio suruba presocontos porno 28cmsexo Sátão garotas da noite prazer mulherdeparararua.blogspot.comconto erotico incesto baba pervertidasConto.minha.neta.ja.ten.cabelo.na.bucetaContos eroticos noviça virgemcontos comi a japonesa rabuda casadameu corninho deixou fuder com outro ainda me ajudou chupar a picona do meu machosobrinha peladinha contosChiquinha gostosa melada de tesãopornô colocou supositorio na paciente e ficou excitado contos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anoscontos eroticos sadomasoquismo com putascontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos aprendendo a fazer meu primeiro boquete com meu padrinho velhopai corno contoscontos eróticos transando com coroas separadasconto "cacete na boca" casadagostosas de saiascurtinhas de perna pra cimaneguinha conto eroticopenis torture alargando a uretraContos minha filha de biquínicontos eroticos carro lotado e minha mãe de saia no meu colocomtus eroticu pai mai e filha brincandu de faser cocegaconto erotico encoxando a sobrinha no onibus lotadoContos eroticos .meu bundao esta deixando.meu filho loucodei p meu genro contocontos meu primo gordinho foi dormir comigo e comi o cuzinho delecontos eroticos paulo e bruna parte 2contos eróticos bebêContos eroticos9aninhosespiando a comadre tomar banho contos eróticosConto erotico marido surdosexo gay contos me comeu quando eu era pequenochaves comendo o cu de chicinha no banheirocontos de coroas casadas comendo as e amigas com pinto de borrchas cinta lesbicasconto vestido fino no onibusWww.garotinhasafada.comLóira safada narra conto metendo na coberturaContos erotico travest na,escolamedica ver garoto pelado e assusta/contoseroticosarrombado cu de subrinha contoTravessa gostosa lavando a b***** em casa com cama escondidaContos eroticos minhas irmas e minha mae fizeram um gang bang com muitos negoes no sitiocontos.eroticos de alguem tomando injecao pornocontos de coroa com novinhominha cunhada casada estava sozinha na noite em casa contosalgus dono de escravos estrupavão escravaspaguei minhas conta com a buceta levei vara sem do contos eroticosContos De maridos q empresto a esposaConto filha mete ai ai ainovinha deixou lamber sua xana contos heroticos