Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

E A ESCRAVA APRENDE A LIÇÃO

Minhas instruções haviam sido claras. Márcia deveria chegar exatamente às 17h no Boomerang do Flamengo, na esquina da Marquês de Abrantes com a Paissandu. Deveria sentar-se em uma das mesas junto à parede, de frente para a mesma. Deveria estar de saia, mas sem calcinha, e podia optar entre um soutien vermelho sob a blusa de abotoar branca ou a nudez dos peitos. Eu avisei que chegaria quando bem entendesse ou talvez nem fosse. Tudo seria um teste para sua submissão.rnrnMárcia não sabia como eu era, o que tornava tudo mais interessante. E deveria ficar atenta às mensagens em seu celular. Ela chegou às 16h55, mas eu já estava lá. Sentou-se como eu mandei. Havia vindo sem soutien. Era morena clara, 1,68 m de altura e 73 kg, com cabelos na altura dos ombros e uma cara de menina para seus 31 anos. Imediatamente recebeu um torpedo:rnrn?Não cruze as pernas.?rnrnEla obedeceu prontamente. E outro:rnrn?Peça um suco de abacaxi.?rnrnQuando chegou o suco, mandei Márcia encher a bebida de sal e beber. Ela sofreu, mas obedeceu. Então tive certeza de que ela realmente seria uma submissa. Naquele mesmo dia a levei para uma sessão. Expliquei que ela ainda estava em testes, dei-lhe uma safeword e disse que iria testar sua resistência com meu sadismo.rnrnComo ela aceitou ter marcas, não perdi tempo. Em minutos sua bunda e coxas estavam vermelhinhas... Márcia já lacrimejava, mas quando perguntei se queria desistir, dizia que não. Seus peitos, médios para grandes, com bicos protuberantes, me enlouqueciam... E torturei-os com vontade... Agarrei os bicos com alicates e os puxei até sangrar um pouco. Márcia, nesta hora, agonizou. Eu lembrei então que ela poderia desistir, basta usar a palavra chave, e ela respondeu:rnrn?Nunca, sou sua... faça o que quiser comigo.?rnrnResolvi então testar seus limites... E comecei a passar uma lixa de madeira em suas tetas... levemente... mas arranhava... Fiz por muito tempo até ela ficar um tanto ralada. Ela obedeceu, aceitou e agradeceu.rnrnDepois dei um pouco de carinho... Masturbei-a até o limite do orgasmo... e parava espremendo-lhe o clitáris... Da última vez levei-a até o limite. Parei. E não toquei mais nela.rnrn?Se você gozar, vou te abandonar imediatamente. Perderá seu dono e senhor?, expliquei.rnrnEla se conteve.rnrnNos dias que se seguiram, não pude encontrá-la, mas dominei-a o tempo todo com torpedos e pelo GPS de seu iPhone. Sim, eu sempre sabia onde ela estava. E controlava tudo. O que ela comia, o que ela vestia, quando ia ao banheiro etc. Ela parecia ficar cada vez mais extasiada com a perda de controle práprio.rnrnNosso práximo encontro foi em um fim de semana, e pela primeira ela me desobedeceu. (Já era hora...) Mandei que viesse de saia, sem calcinha. E ela veio de calça jeans e com calcinha. Íamos viajar para Petrápolis. Eu fingi então que não percebi a desobediência e mandei que entrasse no carro.rnrnLogo que saí, passamos em uma loja de conveniência e eu ordenei-lhe que comprasse cervejas e água. Durante o caminho, obriguei-a a tomar 3 cervejas e 1,5 litro de água. Ela ficou louca de vontade de mijar.rnrn?Ok, mas vai mijar na estrada, como uma cadela?, expliquei.rnrn?Tudo bem, mas pare, por favor!?, ela respondeu.rnrnMandei que saísse do carro, levantasse a saia e mijasse no acostamento.rnrn?Mas, Senhor, estou de calça?, ela explicou.rnrn?Que pena, não? Quem mandou desobedecer? Agora então vai mijar do jeito que eu quiser...?, respondi.rnrnE mandei que ela ficasse de pé, na minha frente e mijasse na calça. Nunca a vi tão humilhada, mas ela obedeceu. Depois de forrar o banco com plástico, mandei que ela se sentasse e seguimos viagem.rnrnAinda fiz com que bebesse mais água e mais cerveja, e ela mijou na calça mais duas vezes aquele dia... Não deixei que tirasse a calça e a calcinha mijadas até a manhã seguinte. E quando acordou, mandei que tomasse um banho e se entregasse a mim.rnrnNaquela manhã, eu a tratei apenas com carinhos, mas ela estava tão assada que o sexo não poderia ser mais desagradável.rnrnDesde este dia, ela sempre veio de saia e sem calcinha quando eu assim ordenava.rnrnDono do Seu Egornrn[Caso você esteja interessada em uma experiência como a de Márcia, escreva para mim ou me encontre no MSNSkype: [email protected]]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos arrombando a gordameu marido foi corneado no nosso casamentocontos eroticos de sexo com madrinhasContos erotico sobrinha magrela no colo do tioconto gay cuidando do sobrinhovidios pornu mulhe qUe gota de trasa vetida com fataziacontos eroticos com coroas no cinema pornomandou fotos nua e recebeu chantagemcontos er deixa que levocontos eróticos come a irmazinha no ônibus lotadoapostamos beber esperma contocontos eróticos meu erroConto esposa Volta da viagem arrombada o marido ve a diferenca quando faz sexo con elacontos eróticos de casados fudendo o cu das cunhadascontos eroticos de pastores cadetudocontos eróticos sobre filha bucetudaconto erotico gay: tenho cinquwnta anos e dei meu rabo para um garoto de desessetedesde novinha contoscomtos exitantessou casado meu cunhado vem morar com nós acabei transando com ele contos eróticoschupar em tetas impinadascontos vendo minha prima sendo fodida pelo namorado acabei dando tambe betinhameutio metirou cabacocontos erotixos comi abuceta da minha irma cadeirantecontos seduzi minha mãe com o tamanho do meu paumamadas seios contos coroascontos porno eu e minha mulher curradoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos erotico dormindocontos eroticos de padrinhos e afilhadas que engravidamcarlão socando ate as bolas no cu da vadiaEnrabei a sobrinha da minha esposa contospegando hetero casado conto gayXvidio mulhes que anda a noiteokinawa ufa gay contos titiocontos vi pau enorme cheio de veiasIniciando uma virgem contos eroticosrebola rebola contos eroticosas mulher freira depilando o priquito no conventominha sogra deu o cu para o cachorro contocontos aliviando as tetas de minha irmaConto fui fudida pelo mendigoConto o zelador e meninocontos eróticos comendo a cunhada gostosa em uma festa de fim de ano com família toda reunidadona redonda arreganhado o cuzaobuceta praia toninhas Contos eróticos por acasoComtos heroticos da cunhadinha viviane dando pro cunhado reinaldodei a buceta pro catador de lixoconto erotico da cunhada pegando no pauconto gay tirei o atraso do meu primoconto ertico lambendo buceta ela gem mtobate papo gay em Santarém Parácontos eroticos arrombando a gordafudendo por um jumento contoscontos eroticos rabudascontos minha mulher foi fodida na praça por estranhoscontoerotico/calcinhadafilhaquero tua jeba rasgando meu cucontos erotikos menina de menor dando o cu a troco de balacontos eroticos vizinhas camaradasContos d uma menina estrupada por taxistaprimeiro conto de aline a loirinha mais puta e vadiaimagem cuzinho irma contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteComi cu claracontos transex fudendo com entregador de pizzatroca de namoradas contos eroticosconto erotico de porno gay com o policialpaugrossocontoseroticosConto erotico tia no tremdescabacei um heterocontos eroticos de garotinha sentada no colocontos eroticos caminhoneiro obriga meninaperdi meu cabaço para o patrao sobre chantagecontos chavecando o cuzinho da coroa