Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMENDO A EMPREGADA PEITUDA II – A SACANAGEM CONTI

Comendo a empregada peituda II – a sacanagem continua.





A saga sexual continuou. A cozinheira gostosa continuava trabalhando em minha casa e continua com sua tara insana. Não era todos os dias que conseguíamos transar ou fazer uma sacanagem, mas os olhares eram constantes. Aos sábados, quando todos meus parentes saiam a Cozinheira, já se encostava, roçando aquela bunda murcha ou aqueles peitos maravilhosos. Vinha sempre com a boca entreaberta, pedindo um beijo. Ou o meu falo. O beijo era um pretexto para começar as sacanagens. Chupava seus peitos, mordiscava aqueles bicos enormes, tirava sua roupa por completo. E sempre terminava com aquela boca carnuda engolindo meu pênis. E como chupava, lambia a cabeça, engolia toda a extensão do membro, e ainda massageava meus testículos, sorvia meu saco de forma fantástica. Sempre era um gozo cavalar, mas quase nunca chegávamos a cápula. Mas essa sina estava por acabar. Em um final de semana prolongado, meus familiares foram viajar para o interior e achei que ficaria em casa sozinho por três dias, mas tive uma surpresa agradável. Na manhã do feriado fui acordado pelo soar da campainha. Fui atender a porta bradando contra todos e contra tudo. Quando abri a porta da sala, tomei um susto. A Cozinheira estava a minha frente com uma roupa branca apertada e com aquela cara de safada corriqueira. Perguntei o que ela queria e ela não se fez de rogada. De forma rápida e sem pestanejar apontou para mim. Meio atordoado, fiz com que ela entrasse. Estava apenas com o short do pijama e meu pênis latejava e se eriçava de forma rápida e violenta. A Cozinheira não pensou duas vezes, arrancou minha roupa e começou aquela fantástica chupada de sempre. Estava tendo ali a melhor chupada de minha vida, e não demorou muito a gozar. Enchi a boca daquela vadia, o semen escorria pelo canto da boca e molhava seus peitos. A Cozinheira engoliu o que estava em sua boca e limpou o que estava em seu corpo. Continuou a chupar meu falo, desta feita de forma calma e propositalmente esperando que recupera-se minhas forças. Ela queria mais. Quando estava quase em ponto de bala, ela me fez deitar no chão. Fui obediente. Quando estava deitado, a negra vadia, fez um curto show particular. Tirava sua roupa e rebolava na minha direção. Já nua, a Cozinheira se posicionou sobre meu rosto. Pousou sua buceta na minha boca. Não pensei duas vezes. Chupei como um louco; enfiava minha língua naquela buceta molhada e desta feita pelada, sem nenhum pelo. Tocava seus peitos, e sentia que aquela mulher estava práximo a gozar. E não tardou. Seu gozo inundou minha face. Minhas mãos sentia seu corpo estremecendo. Deitou-se ao meu lado com a feição de satisfeita. Mero descanso. Começamos a nos beijar, ainda lado a lado; não tardou meu membro se animar. Aquela negra já estava sobre mim, roçando os peitos e aquela buceta no meu corpo. Me arrumei para meter na gruta dos prazeres, seria mesmo sem camisinha. Coloquei a cabeça do pau na buceta, comecei a enfiar e ela pediu para parar. Levantou-se e pegou sua bolsa, tirou um frasco e uma camisinha. Colocou o preservativo em mim e se virou de costas para mim. Desceu aquela buceta gostosa sobre meu pau e começou a cavalgar. Maravilhoso. Levantei um pouco o dorso e segurei seus peitos. O ritmo começou a aumentar. Comecei a arfar, prenuncio de meu gozo. A vadia percebeu. Parou seus movimentos e sussurrou em meu ouvido: “Come meu cu”. Não acreditava. Quase gozei com a frase. Tirou o pau da buceta, tirou a camisinha e lambuzou meu mastro com um unguento que estava no frasco. Ficou de cácoras e guiou-me ao seu cu. Primeiro foi devagar, percebia que era dolorido para ela, mas ela não desistia, nem ao menos reclamava. Forçava mais para baixo, gemendo baixinho. Por fim todo o membro estava dentro daquela pequena mulher, e ela começou a se mexer, nada compassado e ritmado, como antes. Desta feita, a Cozinheira estava louca, pulava como uma cabrita ensandecida, tentava movimentar meu quadril, mas não tinha como. A loucura tomou conta daquela vadia gostosa. Seu cu “mordia” meu pau e sentia suas nádegas contraindo de forma animalesca. Sentia seu corpo esquentando e suas mãos procurando algum apoio. Esticou os braços e segurando em minhas pernas fazia seu cu engolir meu pau. Ficamos alguns minutos nessa movimentação, quando subitamente sentia meu pau ser estrangulado por aquele ânus negro. Era o aviso do gozo da minha puta de plantão. Queria gozar junto e comecei a estocar com mais força. Não tardou gozarmos juntos, uma catarse sexual, mistura de sensações e de fluídos. Caímos desfalecidos lado a lado. Adormecemos, exaustos. Acordei no meio da tarde, ainda no chão da sala, com um bilhete: “Feche a porta. Volto amanhã”. Foi então que percebi que a minha Cozinheira tinha vindo apenas para ser traçada e estava louca para ganhar estocadas no cú. Volto no outro dia como se nada tivesse acontecido. Limpou a cozinha, fez o almoço e se foi. Duas semanas depois pediu demissão e nunca a mais a vi. Infelizmente.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos so de calcinhacontoeroticos/maefilhagrelao 4cm contoschegou em casa e irma tava pelada na casacarlão socando ate as bolas no cu da vadiaDei calmante para enfiar na vagina das gordas contoboquete no filho contosconto tinha 13 e comi uma coroa de 33ahora que paugozacontos de amassos com colegascontos traidoraele era cheirosinho conto gaycontos eroticos menina bobinha no tremtem homem on line dar telefne pra foda com mulher casada chupa seu pau deixa chup bucetacontos eróticoss tio fudeu a minha noivaporno contos voyer no carro com esposaconto porno mulher gosta pau 25cmacampamento comnovinho conto eroticoso ft das mulers.de bucetao rncadoscomendo o cu da sogra contocontos marido cornocontos incestos dividindo o filhovanessa traindo hoje com leo cunhado do corno spconto erótico gay fui comido no internatocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos minha namorada e amigo no banheiro juntoslevei minha mulher para 5 dotadoscontos traição no bailecontos minha esposa me ensinou a ser cornoandreia baixinha tranzando e tamirisContos eróticos com mulher amamentando bebê e homem ficou excitado.contos d zoof pegei minha sobrinha c um cachorroquero ser corno contosevangelica narra como de o cu,contosConto cm foto d esposa putinhaconto erotico com comadre pintelhudadei minha buceta pra um menino de treze anoscontos casadas de pernas abertascontos fingi que dormia e comi minha filhafui chupadoContos eróticos: acordava cedinho p levar rolalora baixinha de fildental cpm a buceta rasspadinhacontos eróticos minha tia virou p*** do seu sobrinhocomi e ela nao aguentoumulher com uma bu dando nda inmencamenininha conto eroticocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos esposa convida amiga pra fuder com maridocontos mulher coloca silicone no peito e na bunda para ficar gostosaconto erotico mulher fodendo com varios vizinhoseu sou de bauru sou casada e gosto de encoxadas nos onibus conto porno rola grandeMinha mulher adora reparar na piroca dos machosContos minha mãe e sua buceta greludaconto erotico meu primo me enganou e comeu meu cugozando la dentro da buceta vermelhinha da dimenocontos de dei o cu para um jumento Negrãosó umbiguinhos lindos e peitos durinhoscontos decoroas gayMinha esposa obesa dormiu bebada e abriu suas pernas e meteu contoContos.eroticos.crentizinha.abusada.no.cuzinhoconto minha mae chupando meu pau com meu pai ao ladoplanta sexo chupa seio gozoMães chupando filho contoseroticoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos chantagiei e gozei na boca da menininhaconto erotico de travesti cagandoDei a bucha pro meu sobrinho virgemsegurou a filha para tirar cabaçocontos de coroa com novinhocontos eroticos minha esposa molhadinha so de imaginar um negro grande comendo elavelha do bucetacocontos eroticos medicocontos eroticos rasgando