Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

RELIGIOSA CHANTAGEADA PELO PATRÃO III

Quando a porta se fecha à saída de Valter, Rafer se agacha e suavemente puxa Lúcia pelos braços que está em ligeiro estado letargíco. Ele a chama por seu nome e aos poucos os verdes olhos de Lúcia se entreabrem, mostrando os alvos dentes e pequenos montes de semem espalhados pelos lábios, face e queixo. Lúcia, de repente, retoma sua real personalidade e solta um grito de aflição. Rafer, de súbito, sabe o que vem a seguir e age rápido. Lhe esbofeteia na face! Lucia fica um pouco em estado de choque.

-Quieta, vagabunda! Veste tua blusa...somente a blusa! Tira a mão do rosto! Não limpa pôrra nenhuma!! Vai até a janela e quando o corno de teu maridinho sair, chama por ele e diz que voce ficar até mais tarde...me dando o cuzinho!! - Lucia arregala os olhos e o pânico aparece em seu lindo rostinho afogueado.- Deixa de ser bôba, á putinha! Diga o que voce quizer! Mas que voce vai levar rola no cuzinho, isso vai!!

Rafer posiciona a mesa a cerca de um metro da janela de modo que ele se encoste nela e faz com Lucia encaixe sua turgida rolona entre as nádegas dela. Em seguida, acariciando-lhe a xaninha, ele encosta a boca na orelha dela e sussura:

-Agora se inclina pra frente pra que eles, lá de baixo te vejam do busto pra cima.

Lúcia, novamente, começa a se sentir estranha. O calor de luxuria vai se aumentando por todo seu corpo. Ela sente o arquejar de Rafer ao mesmo tempo que ele faz um suave sobe-e-desce com a tora entre suas nádegas e todo aquele pensamento de ser sodomizada toma conta de seu ser. Ela luta para não ceder, para resistir, mas a quentura daquela imensa rola aveludada lhe faz lembrar o cheiro do orgasmo que tivera minutos atrás. Lucia passa a língua em volta dos lábios e saboreia o resto de esperma que encontra.

-Vou deflorar voce agora...- A voz suave de Rafer encoar no ouvido dela - Voce vai ter o maridinho te olhando enquanto minha rola vai se agasalhar no teu cuzinho, minha bela!

Lúcia ainda resiste pelo inusitado da situação, mas ao mesmo tempo toda a expectativa que Rafer lhe descreve, sá lhe faz desejar imensamente que aquilo se torne real; ter a rola de um homem estranho em seu cuzinho enquanto é observada por seu marido! A antecipação é tão intensa que sua vagina arde de tezão e dor. A imagem que ela pressente de ver os chifres de seu maridinho cresceram a sua frente, é algo fantasticamente orgasmico para ela que sempre guiara seus valores morais pelos dogmas de sua igreja protestante. Vinha-lhe a mente agora, quantas vezes ela espanou da mente pensamentos de ser possuída por pelo menos uns dois pastores que ela sentira tezão! No meio destes pensamentos, ela sente a rombuda glande da tora de Rafer forçar lentamente a entrada de seu anus. Automaticamente ela se reteza como tinha feito anteriormente quando levou os dois dedos no cuzinho.

-Vem minha...putinha...relaxa...mas vem...devagarinho...assim...assimm!

O desconforto da passagem da glande inteiramente pelo seu anelzinho é compensado pelas palavras que Rafer lhe diz ao ouvido. Lucia aspira o ar profundamente enquanto espera seu cuzinho ir se acostumando com aquela gentil expansão.

- Já passou...toda a...cabeça...Mais um...pouquinho...vai...vai...assiiimm, sem medo...minha putinha...bundundinha...gostosa!...assiiimmm, aaahhh...

Lúcia não sabe o quanto de rola seu cuzinho já engoliu, mas agora o desconforto é mínimo e Lúcia sente que a libidinagem passa ser a fomentadora de sua total excitação e futuro orgasmo. A imagem dela estar ali esperando seu marido passar embaixo da janela enquanto um outro homem a sodomiza, é toda libidinagem que ela mais deseja!

Com um pouco mais da metade da rola de Rafer agasalhada no reto, Lúcia lentamente ensaia um curto vai e vem, percebendo que quanto mais longo, vai se acostumando com o desconforto, que ela espera que desapareça logo, logo! Então ela vê o topo da cabeça de seu pai e de seu marido, que na sua luxuria, acha que realmente vê duas protuberancias a crescer!

-Valter! Valter...amor! Aqui em cima!! O Dr. Rafer...quer...que...eu...aaahhh...lhe dê algumas...aããã...informa..ções. Acho...que...nãããooo serei...despedidaa...

Valter não sabe porque, mas aquelas reticencias na fala de Lúcia não lhe é estranha, mas no momento não sabe discernir, pois ainda está abalado com tudo que acontecera e principalmente pelo que Rafer tinha lhe dito. Valter vê sua bela esposinha na janela, um andar acima e começa um dialágo. Ele nota que ela está um pouco agitada - Provavelmente pela estressante situação, pensa ele - e responde-lhe que está tudo bem...que ele a espera em casa.

-Voce...não vai...se...incomodaaaar...de..eu..de eu...fazer isso com o...o...Dr....Raaafer, né? ...dele ficar...pegando...no...meu pé, ficar...atrás de mim...né?

-Não, meu amor! Está tudo bem. Se ele vai te manter no emprego é lágico que ele vai te "apertar", vai ficar no teu calo, atrás de voce o tempo todo! Quando acabar, telefona que eu venho te buscar! Um beijo!

- Eeespeeeera...tá tão...bom...eu...conversar...com voce...enquanto o Dr. Rafer...nãããooo vem!- Lucia já está acostumada em ter toda a rola de Rafer em seu canal anal e gagueja toda vez que os pentelhos dele se encostam em sua bunda. Por sua vez, Rafer cautelosamente faz o vai e vem da posse do cuzinho de Lucia, aproveitando o máximo da ligeira tremendeira de excitamento e nervosismo que Lúcia deixa transparecer da cintura pra baixo.

-Chega, putinha! Manda o corno ir embora! Quero voce sá pra mim agora!!

-Tchau amor...o Dr. Rafer já..chegooouu...e já....estááá...atrás de...miiimm!!

Com um adeus, Valter vê sua Lucinha recuar em vez de se virar e sair andando. Será que ela já dando a bundinha pra ele!! Não, impossível! - pensa ele- A Lúcia iria gritar, lutar! E ela não estaria tão controlada, como agora. Não, não! Impossível! Estou pondo coisas em minha cabeça!- finaliza seu pensamento.

-Vai Dr....vai! Empurra...meu cocozinho...pra dentro!- Lucia se abandona inteiramente ao abraço de Rafer, jogando os braços por sobre a cabeça, enquanto Rafer lhe morde a curva do pescoço e entre e sai do cuzinho daquela esposinha infiel.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos de rabos sendo dilaceradosvideos de motoristasbatendo punhetasrelato erotico chupei a calcinha da minha tiacontos eroticos arrombando a gordatransparente e coladinha bucetinhatriscando o pau na mão dela contos eróticosContos eroticos de incesto familia incetuosa em um gang bang no sitioesposa safada. contosviuva ecitada ver filho tomando banho e da pra eleComendo a mulher do amigo contoscontos eróticos chupeicontos eroticos de choronascomo fuder com banana verdeMinha filha se ensinuava pra mim gostosaa pra mim comtoscontos com teens sentando na ro do pri com doze anoscontos aniversario sogra gostosacontos e roticos de de mãe a tapando filhocontos eroticos sou a puta dos meus primos piçudosconto coroa chupando piroquinhacontos gay papaicontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecaipirinha conto eroticodona florinda so ela dona florinda vaginaputinha desde novinha sacaneadaminha cunhada abre as pernas e me mostra a calcinhacontos eroticos eu minha esposa e os flanelinhas safadoscontos minha esposa chupa como nimguemcontos filhinha brincando com a picaContos eroticos padrasto.. Febretranso com meu primo de primeiro grauTitias esperientes c. sobrinhos videos.contos de coroa com novinhocontos eroticos incesto carro lotado Contos Eróticos Caseiros: Menina perversa - 07contos eróticos com mulheres da ccbme comeram contosminha namorada apertando meu pau com a sua bucetacontos erotico farmaceutico macho negao fodendo gaycasa dos contos flagrei meu filho fudendo o xoxotao da minha irma e sobrinha putonasarrombador de esposa contos cornoseu estava raspada contos de esposa acanhadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecuzinho de entiada contos veridicoconto erotico pedi um desconto para o gerente e ele me encoxouhttp://okinawa-ufa.ru/conto_24058_eu-e-minha-madrinha.htmlconto gay ciumes exageradoimcestos minha filha novinha cabacinho quiz fuder compapai vcasada dando o cu no bairro de na casa do ferante contos eroticos,ai ai mete fodeEu pipi pequeno comendo empregada contosComtos casadas fodidas pelo filho novinho do vizinhoprimeiro adulto contos eróticoscontos eroticos cornos que nao desconfiacontos sexo minhas meninas do sitiocontos esposa branquinhacontoseroticosmahonme infinando a rola na bumda da moleContos eroticos de incesto putaria entre familias em gang bang so de homens pauzudos no sitiocontos eroticos glaucia cdcontos heroticos dormi com minga mae e ela mexeu na minha bucetaconto noiva dando a outrominha priminha titio contos eróticoscontos eroticos fiz amor c minha mae na primeira vez que fui pra cama c elacontos eroticos com mae e filho e pai assistindocontos eroticos minha esposa molhadinha so de imaginar um negro grande comendo elacontos eróticos comi o c* da minha cunhada na ilhacontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cãoconto erotico de tutorsogra pegou eu no fraga batendo polheta e depois trazamosputinha desde de novinha cristine contos eroticos"cabelo na perereca"contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentemachos arrombador de gay afeminadoconto erotico comendo minha vizinha carminha enfia na minha bundinhaminha mulher sua irmã novinha conto eróticoconto commeusirmãoscontos eroticos forçaComtos erotecos de imcesto minha mae sentou no meu colocontos de incesto gay brincando de luta