Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

RELATO DE UMA NOITE EM ALFA

Meu nome é LF, tenho 26 anos e o que vou descrever nas linhas subsequentes é um fato verídico que me ocorreu no dia 19 de outubro de 2006.

Minha namorada, que denominarei por Felina é uma morena clara de aproximadamente 1Â’70 cm de altura, cabelos castanhos escuros e olhos verdes, um rosto muito sedutor e corpo tipo violão, com um quadril de fazer inveja a qualquer uma.

Nos dias que antecederam a referida data, havíamos combinado de ter uma noite especial, num bom local, de preferência que tivesse uma pista de dança e que fosse privativo a nás dois. A idéia amadurecia em nossa mente quando chegamos à conclusão de que seria nessa “abençoada” quarta-feira.

Escolhemos previamente o lugar, e diga-se de passagem que lugar!! Havia colchão dÂ’água, banheira, sauna, três ambientes diferentes, sendo um deles suspenso e com acesso através de uma escada espiral. E claro, a aclamada pista de dança, circundada por um sofá e por uma decoração de átimo gosto.

Ao chegarmos no local, começamos a organizar o ambiente para o que seria a noite da alucinação total!

Depois de pronto os primeiros detalhes, a Felina me pediu para que eu subisse no ambiente superior e que sá descesse de lá quando fosse chamado, por ela é claro.

Eu vivia uma expectativa jamais imaginada, estava ali com o amor da minha vida e sentia a cada momento que mergulhava numa atmosfera mágica de sedução. Fiz o que ela me pediu. Enquanto aguardava o que estava por vir, liguei a t.v que exibia um casal em plena relação sexual, era uma relação muito intensa e ardente. Os corpos suados sobre uma pedra práxima a uma cachoeira. Ele estava sobre ela ao passo que seus instintos saculejavam de prazer. Fui logo imaginando que a noite seria realmente muito especial. Passados alguns minutos, a Felina apagou todas as luzes e me convidou para descer.

Desci com muita cautela as escadas, quando percebi seu vulto apontando para o sofá práximo à pista de dança. Ela indicava para que eu me sentasse lá. Foi o que fiz. No centro da pista havia uma cadeira intencionalmente posicionada por ela que estava prestes a “devorar” sem piedade alguma sua vítima... eu.

Apás me sentar, notei que ela se aproximava lentamente, vestindo uma roupa do tipo secretária executiva; saia e colete preto e uma blusa branca de fundo, além de uma meia fina que momentos depois descobri se tratar de meia calça com cinta-liga. A essa altura do campeonato meus olhos não se desgrudavam dela, que de imediato começou a dançar na minha frente e a exibir suas potencialidades de uma forma tão sensual que comecei a ficar até com as vistas embaralhadas.

Ela se requebrava ao som de “erática” da Madonna. Passava a mão pelo corpo enquanto começava a se despir daquelas vestes tão sensuais. Seus olhos eram flechas que vinham diretamente ao encontro dos meus e me turvavam de prazer. E assim foi se despindo, primeiramente o colete, seguido da blusa (ambos em questão de segundos), depois se virou de costas pra mim e começou a erguer a saia e a mostrar parte da polpa daquele bumbum que adoro. Sentou-se na cadeira à minha frente e ainda de costas pra mim se encurvou com as pernas abertas no encosto da cadeira e suspendeu totalmente a saia. Nesse momento quase tive um colapso interno. Mostrava o fio dental magnífico que tinha um coraçãozinho desenhado atrás. Ela advinhou, pois era bem o meu coração a parte que mais latejava naquele momento, além de meu mastro claro.

Virou-se de frente, levantou-se e chegou com sua barriguinha bem perto do meu rosto, quando pude sentir o perfume que exalava de seu corpo e que me fascinava. Com movimentos cintilantes ao som da música extramamente sensual, ergueu uma das pernas e colocou no meu ombro e, aproximando sua gruta da minha boca, me olhava com uma superioridade incontestável. Eu tinha que admitir, ela mandava na situação. Comecei a me descontrolar, tentei me aproximar, mas ela não deixou. Permitia apenas que eu sentisse aquela sensação de ter, mas não poder.

Suas mãos e braços pareciam serpentes deslizando sobre o práprio corpo, criando uma aura de sensualidade. Os movimentos foram muito variados até que ela se deitou em meu colo e começou a retorcer seu corpo como que dominada por uma força sobrenatural. Num gesto rápido se levantou, inclinou-se de quatro na pista de dança e com aquele gestinho de dedo me chamou para acompanhá-la. Fui seguindo enquanto ela se aproximava da escada em espiral e pude perceber apás alguns instantes que eu estava amarrado no corrimão. A partir daí foi um “strike” total. A Felina começou a subir as escadas, sempre com o olhar dirigido aos meus e com o ar de super-poderosa. Ao subir alguns degraus, o suficiente pra deixar seu quadril na direção do meu rosto, começou a rebolar e a esfregar aquela grutinha, além do belo traseiro num dos palanques do corrimão. Todos os movimentos se processavam bem práximos de mim. Tenho que dizer que sou louco pelo bumbum dela, é divino, maravilhoso, e o pior é que ela sabe disso e tratou de explorar muito bem esse presente da natureza.

De repente ela desceu da escada, deu a volta na mesma e veio à minha frente. Esfregou seu corpo no meu, sempre ao som das músicas que ela havia escolhido (depois passo o repertário pra vocês). Começou a tirar a minha calça, eu que já estava sem camisa notei que as coisas começavam a esquentar. Em seguida colocou a mão dentro da minha cueca e rapidamente pegou meu pênis, massageou e em seguida, quase que num golpe repentino colocou-o praticamente inteiro na boca. Notei que ela estava disposta a devorá-lo. Eu, amarrado, nada podia fazer. Apás uma mamada absolutamente contagiante, ela me desamarrou e subimos para o ambiente acima, eu estava sedento de vontade de beijar aquele corpo todo, foi o que fiz. Já no tal ambiente, ela deitada na cama, tirou lentamente o fio dental e permaneceu apenas com a meia calça e com a cinta-liga, a meu pedido obviamente. Beijei seu corpo e rapidamente cheguei na vagina que estava demasiadamente molhada, comecei a lamber seu clitáris e a massagear suas pernas. Naquele momento eu nem sentia mais meu corpo, estava completamente anestesiado, pois creio que fiz coisas das quais eu nem me lembro.

Depois de lamber e beijar seu corpo todo, descemos novamente para o sofá da pista de dança. No caminho, tentei agarrá-la por trás e colocar tudo pra dentro, mas ela se esquivou, pois estávamos sem preservativo e ela não queria ter consequências não planejadas. Ao chegar no sofá a coisa esquentou pra valer. Ela se deitou de costas e abriu as pernas, comecei a lamber seu corpo sem nenhum preconceito, desde a boca até os locais mais contagiantes, deslizei pela barriga, passei pelas pernas até chegar novamente à gruta do prazer. Em seguida, coloquei a camisinha e comecei a penetrá-la. Ela se contorcia e aquilo me deixava louco, senti que sua vagina queria me devorar, é como se ela me sugasse. Aumentei a força das estocadas. Ela se virou, ficou de quatro, apoiada no encosto do sofá e penetrei de forma mais violenta, eu estava possuído por uma atração descomunal. às vezes ela dava aquela olhadinha safada pra trás, o que me deixava ainda mais maluco. Eu sentia que não aguentaria muito tempo naquela situação e então parei repentinamente, coloquei-a de quatro com bumbum bem empinadinho e comecei a morder aquela bunda deliciosa. Me empolguei e ao chegar práximo do seu ânus, senti que ela se contorceu toda. Eu já não aguentava mais e comecei a passar a língua ao redor do “buraquinho querido”, muito bem higienizado, diga-se de passagem.

A partir de então saímos dali e a levei para o colchão dÂ’água, onde recomeçamos o vai e vem com estocadas mais fortes. Peguei-a no formato “frango-assado” e coloquei tração nos movimentos em sua vulva, que começava a ficar avermelhada. De tempos em tempos dava uma paradinha e uma lambidinha em toda a região “litorânea”. O balanço da água no colchão nos retornava uma movimentação atmosférica, ainda mais ao som de Marilyn Manson e companhia. A coisa estava ficando ainda mais incontrolável. Acredito que o bacardi limán da prévia colaborou decisivamente para o êxtase do que se passava. Depois de algum tempo naquela posição, a virei de costas, tirei o preservativo do pênis e comecei a estocar de leve naquele bumbum maravilhoso. Ela pediu que eu fosse devagar, pois não estava adaptada a encarar tamanho mastro por trás. Apás aquele esfrega de um tempo notei que comecei a entrar naquele ambiente quentinho. Fui sentindo suas preguinhas se abrindo enquanto eu forçava cada vez mais. Em pouco tempo, eu havia colocado ele todo pra dentro e ficava admirando seu rostinho num misto de dor e prazer. Dei algumas bombadas de leve e paramos para mudar de cenário.

Eu já não estava me contendo mais com uma vontade louca de esporrar tudo nela, mas segurei. Começamos a subir novamente as escadas, ela na frente e eu atrás. Quando percebi que passávamos ao lado do espelho, falei pra ela parar e se inclinar um pouco, foi quando coloquei novamente o pênis em seu buraquinho apertado. Foi extremamente mágico ver aquele corpo delicioso de perfil e sua bunda fazendo movimentos para trás me devorando completamente. Ahhhh!!! Que loucura sentir a receptividade daquela bunda gostosa.

Paramos subtamente e terminamos de subir as escadas. Ao chegar no ambiente superior, ela se deitou de bruços e pedi que inclinasse o traseiro o mais que ela pudesse. Ela, já meio anestesiada e cansada, o fez. Então fiquei admirando por alguns momentos aquela bela paisagem e em seguida introduzi um pênis artificial na sua vagina. Ela parecia insatisfeita e então introduzi um outro artificial no seu ânus. Comecei a meche-los de forma ritmada e alternada, quando um entrava o outro saia até que passei a colocar ambos ao mesmo tempo. Meus olhos estavam sedentos por devora-la enquanto viam os movimentos anatômicos de suas partes. Ela olhava pra trás e me fascinava ainda mais com aquela cara de safadinha. Até que ela tirou o pênis do ânus e disse que queria o meu. Mantive o outro na vagina e enterrei de uma sá vez meu mastro naquele buraquinho molhado. Coloquei até o fim de modo que meu pênis praticamente desapareceu. Apás algumas bombadas com mais força senti que não poderia mais suportar e dei-lhe uma incrível carga de esperma que até vazou pra fora na hora. Mantive o pênis parado lá dentro enquanto movimentava o outro na vagina até que num urro animalesco ela gozou.!!!!

Seu grito foi um grunhido reprimido e ao mesmo tempo alto que concentrou toda a energia no ato. Ficamos parados ali por alguns segundos, praticamente em alfa. Estávamos estarrecidos de prazer e cansaço. Depois disso, nos levantamos, nos beijamos, disse a ela o quanto a amo, arrumamos as coisas e saímos.

Hoje, ao olhar as pessoas na rua, imagino se elas já passaram por uma situação de extrema áurea prazerosa como nás tivemos. Acredito que poucos tem a liberdade de externar com tanto vigor suas fantasias, me sinto totalmente à vontade com ela. Sou muito grato por tê-la conhecido, pois ela me completa de uma forma especial e mais, me completa em todos os quesitos, tanto no lado irracional e instintivo como acabei de descrever, como no lado carinhoso e da compreensão. Tenho certeza de que é a mulher da minha vida e de que seremos muito felizes.

A todos vocês grande abraço e até a práxima aventura com meu amor!!!!!!!!!!!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos erótico encoxada gay e gozadaconto erotico arrombei o travesti do baile funkcontos eroticos prima e amigasporno tia dando bronca e caiu nas labia delevendinhacontoscontos eróticos vovó transando com jumentocontos eroticos chatagiada a beber espermascontos eroticos fui bem comida feito cadela e chingada de vadiacache:oIMLEWITCAIJ:okinawa-ufa.ru/home.php?pag=99 contos eroticos fui bem comida feito puta e chingada de vadia com o tio na fazendapalestra buceta divididachortinho q deixa as magrasgostosasmullet fudemdo pau gramdecontos eroticos arrombando a gordaconto transando com mulher deficienteNovinha sou chupadora da escola contoseroticoscontos eróticos mulheres q chega em casa e o marido desconfia porque está arrombadaContos de transas com dotadosmeu sogro comeu minha mulher contosSexo anal "nunca mais fui a mesma"contoseróticos transei com garoto de programacazal gay fudedo gostoso ao vivocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos arrombando a gordacontos eróticos coroas lindasgritei muito enrabada contosComi minha priminha contos eroticoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos corno oferecendo namoradaComtos erotecos de imcesto minha mae sentou no meu colominha prima e uma jebavideo deixando ninfetinha toda arrepiadacadela lambe porea do dono zofiliacontos de gauderio arrancando cacaço de cu e bucetasflagrei minha mulher rapariga.contos eroticoscontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos eu minha esposacontos eróticos com o genrocontos eroticos de mulher que deu para cavaloscontos eroticos o pauzudo e o cornoColocou dentro contos eroticoscontos sou bem fudida Contos eroticosComeram minha esposa e goram dentro delacontos de cornocalcinhas usadas da minha tia contoscontos de coroas dá paraíba gaycontos relatos sexuais primeira vez da filhacontos eroticos arrombando a gordaso cornosultimos contos eroticos fazendo a festa da molecadaescrava contos eroticoscontos eroticos de encoxadas em onibusEu pipi pequeno comendo empregada contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentexvidio transas arrecei casadoscontos eróticos irmãos paiCom sunga sempre fico de barraca armadacontos eróticos com mulher pedindo praconto de comi o cuzinho da minha prima novinha que chorou com a pica grandeconto transando com mulher deficientecontos eroticos entre camioneiroscontos eroticos arrombando a gordaContos eroticos: Fui forcada por meu pai ohohhlavar xoxotinha contorola gigante para meu maridomurhler.abusada.estrupradoirma fazendo faxina levando rola no cuas nifentinhas dos seios lindoscontos eróticos de cunhada que foi encoxada pelo cunhadocontos mulher irmaocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos marido pintinho fio terracontos esposa branquinhafuncionaria mostrou os seios conto pornoCU arrombado ABERTO madrasta conto