Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

NEGUEI FOGO E O CÃO ROUBOU O MEU LUGAR.

_ Vai, gato. Tô morrendo de vontade.



Fim de tarde. Brisa fresca. Depois de tanta cerveja, meu corpo ansiava por descanso. A sombra estava átima. Encontrá-la foi providencial. Precisava muito sentir a grama fresca sob minhas costas. Aos pés da enorme mangueira encontrei meu paraíso. No momento não existia prazer maior. Continuei como ela havia me encontrado. Costas deitadas na grama, olhos fechados sem força, simulando o sono que me aguardava. Fingi ignorar os apelos de minha linda morena.



_ Aquela cerveja toda. Bebi demais. Você sabe como eu fico com vontade nessas situações.



Abrindo minimamente o olho, fingindo dormir, a vi em pé a minha frente. Continuava de biquíni. A linha perfeita de suas coxas que subiam até se transforma na bunda mais bem feita já vista por mim. Acima da linha da cintura brilhava um piercing, preso ao umbiguinho de uma barriga delgada. Olhava-me esperando uma atitude. Um olhar dizendo tudo oque deseja. Minha morena, linda, gostosa. Encantadora, até quando queria safadeza. Sua proposta era irrecusável. Mas um cansaço enorme amarrava meu corpo e debilitava a vontade.



_ Vâmo gato. Rapidinho. Todo mundo foi embora.

Ainda deitado chamei ela pra perto de mim. Peguei sua mão e puxei ela para baixo.



_ Deita aqui comigo. Vou descansar um pouco. Logo mais poderei dar toda atenção que você merece.



Concordou. Deitou-se de lado apoiando a cabeça sobre meu peito e uma das mãos sobre minha barriga. As pernas esticadas encostavam na minha perna direita. Passado algum tempo ela ficou quieta parecia estar dormindo. De olhos fechados notei a aproximação de nosso cachorro. O cão vinha em nossa direção, fazendo barulho ao pisar a grama. Sá parou quando chegou perto de Raquel. Ouvi o cachorro cheirando e ofegando. Pensei que o cão havia achado algum inseto na grama e estava tentando abocanhá-lo. Percebi ele ficando agitado. Arfando com força. Na hora não me preocupei e continuei como antes. Deitado e de olhos fechados. Neste momento senti Raquel abanando os braços como se quisesse afastar nosso husky e falava bem baixinho. Talvez para não me acordar.



_ Sai. Sai cachorro safado. Para de me cheirar.



Então compreendi. Raquel é o tipo de mulher que fica bem molhada quando sente tesão. A xota fica toda babada. Sei bem como aquilo me excita. O cachorro sentindo aquele cheiro deve ter se interessado pela dona.



O som da respiração do cachorro vinha da direção da bunda da minha namorada. Ante a insistência do cachorro minha gatinha desistiu de afastá-lo. Isso me deixou curioso. Ela não se levantou, nem mudou de posição. Somente desistiu. O cachorro continuava agitado. Arfava e cheirava minha gatinha. Meu coração acelerou na hora. Imaginei que ela estaria prestes a fazer uma besteira, mas eu tentava me convencer de que Raquel não seria capaz de uma coisa dessas. Quase me convenci da capacidade de minha imaginação, mas Raquel me mostrou que eu estava errado. A adrenalina tomou conta de mim. Esforcei-me para não tremer de excitação.



Vagarozamente ela afastou suas pernas. Uma das pernas continuava repousada na grama, a outra ela passou por cima das minhas pernas encostando a bucetinha na minha coxa. Deixou o caminho livre para o cão alcançar com a língua a deliciosa buceta. Ela tomava cuidado para não me acordar. Minha princesa tremia, excitada. O husky fazia a festa. Quando a língua do cão acertou a minha coxa tive a confirmação. Raquel havia se permitido aquela aventura.



O cachorro lambia a xoxota por cima do biquíni. As vezes a língua ou o focinho acertavam a minha coxa. Não sei o porquê, porém este fato inusitado também me excitava e me mantive fingindo dormir. Deixei o barco correr solto. Agora eu necessitava ver onde ele ia aportar. Seu rostinho lindo encostado no meu peito. A respiração forte. O peito dela junto ao meu se expandia e recuava acelerado. Pude sentir todo o prazer desfrutado por minha gata. Raquel deixou-se envolver pela experiência e parecia já não preocupar-se com a minha presença.



Bem devagar, abri o olho. Vi a cabeça de minha gatinha voltada para o cachorro, seus olhos poderiam estar cerrados ou abertos admirando a cena, impossível saber. Vi o cão com o focinho abaixado enfiado no espaço entre as pernas de meu amor, enquanto ela o afagava. O afago ao mesmo tempo agradecia o carinho feito na sua xoxota e servia de incentivo para que nosso cãozinho continuasse a festa.



Fechei os olhos novamente. A esta altura eu estava doido para botar o pau pra fora e enfiar na bunda gostosa dela. Queria me aproveitar da situação. Se o tesão era tanto que ela se entregava para um cachorro imaginei que também gostaria de levar no cu. Durante nosso namoro ela sempre se fez de pura e nunca me deixou brincar na bunda linda dela. Me segurei. A vontade de ver a práxima cena era maior que qualquer outro sentimento. Ela levantou a cabeça e se virou pra mim. Me balançou levemente. E falou bem baixinho: _ Amooor!! Amor! Tá acordado?



A safada sá queria saber se eu ainda dormia. Provavelmente o biquíni impedia um prazer mais intenso. Estava atrapalhando. Como me fingi de morto ela ficou a vontade para tirar maior proveito da situação. Delicadamente ela soltou um dos laços laterais que prendiam a calcinha do biquíni. Puxou a calcinha de lado e o cão já podia meter a língua na sua xota. O cachorro lambia rápido. Tava fazendo um barulho alto pra cacete. Minha gata não percebeu e deixou. Ele lambia, lambia. E ela com o rosto deitado no meu peito.



Respirava forte, ofegava como alguém que vai gozar. Meu pau duro, doendo dentro da bermuda. Quando ela me abraçou com força e eu percebi que ela ia gozar tirei o pau pra fora. Enquanto ela gozava segurei sua cabeça para ela não mexer o rosto. Dez segundos de punheta foram o suficiente para encher a cara dela de porra. Acertei a boca, a bochecha. Porra escorria pelo seu queixo. Empurrei a cabeça dela para que ela limpasse meu pau. Ainda embriagada pelo gozo. Ela chupou meu pau até ele ficar bem limpinho. Depois disso fomos tomar banho e fudemos com muita vontade. Fomos dormir.



Pela manhã, sem cerveja na cabeça ela ficou arrependida. Chorava. Disse não saber porque tinha feito aquilo. Eu a consolei e disse que não tinha importância. Ela se acalmou e prometeu não repetir o feito.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos gay papai e euContos meu prefeito me comeu com fotosA Família sacanagem na praia buceta de cajaraconto erotico o ponei e mulherconto esposa gozadacomtos arrobadacontos eroticos travesti bebada fudendo amigacontos eroticos garotinha dormindo no colo do padrinho de pijaminhafiel ao primo e a amigocaminhoneiro e********* a novinha na beira da estrada de cavalocontos eroticos botei um macho pra desvirginar minha filha maeChaves enfia o dedo no cu da chikinhacontos eroticos me chantageocontos eroticos/paguei pra comer o cuzinhoContos eroticos esposa gosta de exibi e leva cantada nas praiasai que lambida contosZofilia Homem fodendo forte acadela ela chora sentido dorMulherbrasileira ensinando a filha, meter contosmassagem incomparável faz cara senti tesão e gozaFilha babando pau do pai contoseroticosContos eroticos comi meu primo na frente da minha tiapau duro micaeladepois de eu ter me mastrupado depois de um tenpo comesei a goza isso e normalcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecastigo boquete contosgenro faz sogra gozar contoscasada rabuda se exinbindo de fio pra amigos amigos contosContos safados pirocaocontos de sexo depilei minha bucetacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos de sexo rapidinha com a cunhada na cozinha enquanto meu irmão tomava banho no banheirocoitado do meu cu contostransparente e coladinha bucetinhaeu minha mulher e meu sogro contoscontos eroticos arrombando a gordaconto erotico sogro ahh uhh mete metecontos eroticos a calcinha da patroaconto erotico princesa aronbada na favelacoroa negra contoeu quero ver a coroa instigando o marido com a calcinha fio-dentalconto erotico com crenteUsando ropa de mulher curtinha conto gaycontos eróticos comendo minha alunaconto erodico gay usando ropa de mulherMinha filha se ensinuava pra mim gostosaa pra mim comtosrola de meu pai conto gaycontos eroticos dupla penetraçãocontos eroticos gay game apostaporno mulhres usano chortes Cavadãocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto banho com tia timidaContos primeira chupadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos comendo a bucetinha da titiamulheres casadas com picudos/contos com fotoscontos eroticos pra sogrporno mãe e filha jantando na mesa e depois a sogra vai tranza com o gerrocontos: puto dando ao ar livrecomessei a alizar o pau do marido da minha tia contocomendo a mae contosContos gay fui mulher de um coroaMeu primo gay que ve meu paucontos eroticos mulher carinhosamarido chupa seios quando está nervosomulher botando a x*** para o cachorro lamberconto erotico fui no pagode e comi um travesticontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecomtos de viados dando o cu pra pica bem grossaegrandeconto "cacete na boca" casadacontos eroticos ela não queriaBolas peluda adoro chupar contos