Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

CONFISSõES DE PORN STARS I - ARROMBADA PELO NEGÃO

Confissões de porn stars - Arrombada pela vara do negão



Oi, eu sou a Escritora Sx. Primeiramente quero dizer que os contos que vou relatar a vocês não são experiências minhas, mas sim de atrizes pornô dos vídeos de sexo que assisto, e narrados do ponto de vista da mulher da cena, para deixar o conto mais hot. Vou escolher os vídeos que mais gostar e depois transformar em contos. Espero que gostem. Besos calientes.



"Arrombada pelo negão"



Eu sou Alicia, tenho 24 anos e sou atriz pornô há quatro. Sou um pouco bronzeada, tenho 1,65 de altura, cabelos curtos e pretos na altura do pescoço e olhos verdes. Tenho sangue de espanhola nas veias, por isso tenho um quadril e um bumbum bem grandes. Meus seios e coxas são médios, mas não tenho tempo de malhar, então não sou muito torneada. Apesar disso, sou considerada perfeita para minha profissão e admito que amo o que faço.

Certo dia, me ligaram do estúdio marcando uma nova "sessão". Minha agente me explicou aonde e como seria, como eu deveria agir em cena e me disse que meu parceiro seria um afro. "Tudo bem", eu disse; já tinha transado com negros várias vezes, sabia como eles eram em relação ao tamanho do documento. Eu sá não sabia que ainda não tinha visto o quanto eles podem ser grandes. Encontrei com meu parceiro de cena na hora da gravação. Estávamos sá ele, eu e o cinegrafista e antes que eu pudesse me apresentar, ele me puxou e me agarrou. Me beijou o pescoço, os ombros, agarrou meu cabelo e me beijou a nuca. Sem cerimônias ou apresentações, arrancou a minha roupa e a dele, ficando sá de cueca e eu sá de sutiã e calcinha. Passei a mão por cima da cueca dele, e senti a magnitude do mastro. Ele começou a me apalpar, como a maioria dos negros fazem: com tanta força que meus seios e minha bunda logo ficaram vermelhos. Eu enfiei a mão dentro da cueca dele e comecei a punhetar a vara enorme, e tão grossa que minha mão não se fechava em torno dela. Ele abriu minhas pernas e arrancou minha calcinha, me jogou na poltrona de couro preto que tinha lá e depois tirou a cueca. Me sentei ereta, pronta pra abocanhar aquela vara gigante, pensando como faria pra aguentar aquilo tudo. Eu já tinha visto picas grandes, mas aquela era a maior de todas e não sabia se conseguiria enfiar mais que a cabeçorra na boca. Quando o negão veio pro meu lado, eu segurei a pica com uma mão e me apoiei com a outra, mas ele logo me puxou da poltrona, e deitou lá, me segurando pelos quadris.

"Quero comer essa sua bucetinha de branquela", ele falou, passou a língua nos lábios e ficou me encarando. Pronto, pensei, agora tô literalmente fudida. Eu nem tava excitada ainda e o negão já queria me comer. Não deixei ele perceber minha excitação. Passei as pernas em volta das pernas dele, e me ajoelhei em cima dele, me arreganhando bem. Antes de enfiar a vara, ele enfiou um dedo na minha xaninha, depois outro e percebeu que eu não estava bem lubrificada. Enfiou os dedos na minha boca, e eu os lambi e chupei. Depois ele pegou os dedos melados e enfiou na minha buceta de novo, rodando e tirando, depois voltando a enfiar. Ele não era nada gentil, e apesar de bem definido e musculoso, não era muito atraente. Percebi que essa transa não seria das melhores.

Ele começou a enfiar a cabeça da pica na minha xoxota e deslizou devagar. Acho que ele pensou que sá porque eu sou atriz pornô, tenho que ter a buceta arreganhada, e assim ele tentou enterrar a vara toda de uma vez. Não entrou nem a metade. Ele começou a forçar e aquilo começou a doer, mas eu sou boa no que faço e comecei a gemer e fingir uma cara de prazer. Isso foi um convite pra ele, que começou a forçar mais pra que o pinto entrasse todo em mim. Não deu certo, então ele segurou minha bunda, um lado com cada mão grande, e me abriu mais, pra que o pau entrasse. Depois, mandou que eu me movimentasse. Me apoiando nos ombros dele, comecei a fazer o movimento de vai e vem e ele forçava cada vez mais pra que o pau entrasse. Tentei relaxar e aproveitar pelo menos um pouco da situação. Eu descia e subia devagar na pica dele, que preenchia cada pedaço da minha bucetinha. Comecei a gostar. Por mais que não chegasse até o fim, a sensação era gostosa, mas ele ainda tava tentando enfiar tudo e isso me machucava. Fingindo um movimento de subir e descer, eu subi mais que o necessário e o pau dele acabou saindo de dentro de mim. "Ah, você tá brincando comigo?", ele falou. Soltou uma mão da minha bunda e segurou seu brinquedinho com a outra, batendo a cabeça dele de levinho na minha xana e no meu cuzinho, depois esfregava a cabeça no meu grelo e voltava a bater a ponta do pau na minha bunda. Ele e o cinegrafista faziam comentários sobre como eu era gostosa como se eu nem estivesse ali, e depois caiam na gargalhada. Teve um momento em que o práprio cameraman se virou pra mim, com a câmera bem na minha frente, e perguntou: "Você vai aguentar isso tudo, biscate?" Eu ri e fiz cara de prazer, me esfregando na vara do negão. Ele enfiou a cabeça do pau no meu buraquinho de novo, e como eu estava mais excitada, ele entrou até o meio. Era o máximo que dava pra ir. Calvaguei devagar enquanto o negão dava tapas na minha bunda e me chamava de puta, mandando eu ir mais rápido, mas eu não aguentava. "Me fode, vai, gostoso", eu dizia com a voz embriagada de falso prazer, mas não conseguia me excitar mais... o negão sá queria aproveitar, e não tava nem aí se eu tava gostando ou não. Como eu não aumentava o ritmo do vai e vem, ele escorregou mais para a beirada da poltrona pra ter apoio, e começou a bombar mais forte. A pica agarrava um pouco, mas ele nem ligava. Gemia, me chamava de vagabunda, batia na minha bunda, e eu precisava fingir que estava amando tudo aquilo. Eu gritava e mandava ele me arrombar, mas o que eu queria mesmo era que aquilo tudo acabasse o mais rápido possível. Ele começou a me apertar com mais força e a forçar mais o pau pra dentro de mim, e eu vi que estava quase acabando. Senti o pau dele inchar e latejar, pronto pro final. Então ele tirou o pau de dentro da minha buceta e começou a bater ele na entrada do meu rabo de novo, batia com mais força enquanto gemia, no meu cuzinho e na minha xana. Aquilo era bom, e eu estava gostando. Ele foi batendo mais forte e mais rápido até que eu gozasse, depois enfiou o pau com tudo na minha buceta enquanto eu gozava. Do jeito que eu estava melada, a pica escorregou e eu senti as bolas dele batendo na minha bunda. Eu gritei de dor. Ele bombou pois mais uns cinco minutos, com força e cada vez mais rápido, até que eu senti a porra quente me inundar por dentro, enquanto ele ainda gemia e me chamava de vagaba branca. Ele tirou o pinto de dentro de mim e ficou esfregando no meu clitáris, e eu comecei a gozar de novo. Comecei a gemer e ele foi se esfregando até o pau amolecer e eu me contorcer em mais um orgasmo. "Delícia de bucetinha que você tem...", ele falou, enfiando três dedos de uma vez na minha xana e esfregando o dedão no meu cuzinho melado de porra. Depois me soltou, eu me levantei, ainda vestida com o sutiã e com a sandália de salto alto no pé, fiz uma cara de safada, e me dirigi ao banheiro pra me lavar. Enquanto terminava de me arrumar, ouvi ele comentando com o cinegrafista que se foi uma delícia comer minha buceta apertadinha, imagina como seria me enrabar. Terminei de me arrumar em segundos, e saí de lá o mais rápido que pude, fingindo que tinha um compromisso, antes que ele resolvesse improvisar uma cena e eu acabasse não sá com a buceta ardendo, mas também toda arrombada. Assim que saí, liguei pra minha agente e disse que nuca mais queria saber de negões na minha vida!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteenrabada pelo meu filho especialaluninha dando cuzinho virgem para o professor pirocudo contos eroticoscontos eroticos de incesto em roçacontos de travesti no onibuscontos eroticos arrombando a gordamulher leva enrabado de cachorrogozou dentro da xota ada cunhada sem quererconto comi.uma coroaLuizinho meninos novinhos um transando com outro pela primeira vez de dois primos transando comvídeos de porno mulher gazando espirrando no caralho grande tremorcontos gozeimulher forçada com homem colocado garrafa na buceta delacontos reais meu marido fez uma deliciosa DP com seu amigoConto erotico esposa com dogporn contos eroticos esposa de coleiraconto erotico em familiatitio viu minha bucetinha e achou linda contos"ficou aberto" gay contogozei muitodentro da buceta da minha prima gordinhacontos de esposa dando pro cunhadocontos de sexo entre conhados gaycutuquei a buceta da mamae contosneguinha suja contocontos eróticos chupeiContos eroticos fui a putinha desde pequeninhavizinhasafada adora língua na xotacaralho anaconda destruindo cucontos bdsm erposas escrava submissa martavideos de mulheres peladas e toda cheia de manteigaconto erotico lara a experienteminha mulher fudeu com o parceiro da quadrilha contopeguei meu sobrinho mexendo nas minhas calcinhaconto as coroa crentecontos eróticos de tio tranzando sobrínha dormindominha xereca consando na rua contos eroticoscontos eroticos priminho do pique escondecontos gay encoxado na baladaPORNO GOSANDO RU QUADcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentemeninas piranhas de calcinha fio dentalcontos heroticos comendo a vendedora de trufascontos encoxando viado busaocontos eróticos com mulher vizinhaamanda casamos grande cabeçudo contoscontos eroticos com caescomendo a dona da locadoracontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentehistória de zoofilia no interior com cachorro vira lataa minha cunhada casada e saia justa contos com fotoscontos eróticosmenininha dormindocontos orgia com pobrescoroas ensaboando cacete do jovennovinhaquinzeanoscontos eróticos coroas lindasmulher pois o marido a xupae o travestecomeu familia toda contos eroticossai a noite com minha esposa conhecemos u desconhecido que comeu minha mulhercontos eroticos deixando aparecer a calcinha em casa provocandocontos eroticos punhetascontos eroticos lesbicas cintacontos eróticos caminhoneiro seduziucontos enrabada no chuveirocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentefui consola a cunhada contosgenro contos eróticoscontos eróticos o travesti dando pro crentecontos veridicos de japa com negao de pau gigantecontos forçada a ser a puta da empresaboquete sem lavar baixarcontos exitantes de sexo na marrra delicioso historias reaiscontos erotico defrorado pelo irmão mas velhosofri no pau de outro contotraí meu marido contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos eu pequena