Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O HOMEM DA MINHA VIDA!

Tudo começou na minha adolescência, estava passando por um período muito confuso, uns desejos estranhos passavam por minha cabeça, uma vontade enorme de alguma coisa que eu não conseguia descobrir e uma ansiedade inquietante. Era um garoto não muito magro, cabelos louros e compridos todos diziam que era a cara de minha irmã, parecíamos gêmeos, mas ela tinha dois anos a mais que eu. Meus pais minha irmã e eu morávamos numa casa grande e os quartos ficavam em cima, dos meus pais de frete para a rua e os outros dois na lateral de frente ao vizinho, o Flavio. Assim a historia começa, pois já a algum tempo tinha o estranho habito de experimentar as roupas de minha irmã em seu quarto, cuja a janela dava exatamente com a janela de Flavio, ele morava sozinho e deveria ter uns 40 anos, um sujeito alto, corpo bem cuidado e um detalhe que descobri depois, tinha o peito todo cabeludo. Então, num desses saudosos dias que ficava sozinho em casa, lá estava eu no quarto de Mirela, minha irmã, vestido com um curtíssimo vestidinho preto bem colado no corpo, naquele dia tinha escolhido a mais linda das langerie que ela possuía, era um conjuntinho preto com cinta-liga e meia calça, estava para explodir de emoção, pois estava linda, então comecei a me maquiar, olhando para o espelho percebi que a janela estava aberta e para meu desespero Flavio me observava de sua janela, entrei em pânico, fechei-a rapidamente e comecei a chorar pensando, e se ele contar para os meus pais o que eu faço, foi quando de repente ouvi tocar a campainha. ? É ele, estou perdido!! Pensei comigo. Corri para tirar toda a roupa que estava e desci para atender e se ele dissesse alguma coisa negaria ate a morte.rn- Oi Fernando, tudo bem?rn- Tudo, Flávio, que deseja? Meus pais não estão em casa.rn- Eu sei, mas não foi por isso que eu vim, quero falar sobre o que vi pela janela!rn- Mas, mas, mas, o que viu pela janela?rn- Vi você vestido com roupa de mulher!rn- Ima, ima, imagina! Eu? jamais!rn- Fernando! Então pode me dizer porque esta de maquiagem?rnTodas essas palavras ele disse fitando bem nos meus olhos, que diante da mancada comecei a chorar de novo, sá que desta vez, Flavio me consolou, e como me consolou!rn-Calma Fer, não precisa chorar, vim apenas dizer que você estava lindo ou linda, como você preferir!rnEssas palavras me levaram ao delírio que por um instante esqueci a situação embaraçosa que havia me metido e deixei escapar um tímido sorriso, no qual fui correspondido por outro um tanto safado e ele continuou...rn- Sabe!, poderíamos entrar e você me mostra suas roupas favoritas.rnDisse já entrando, fechei a porta com a chave e subimos para o quarto, todos demorariam a chegar em casa, mas não estava tão tranquilo, o susto ainda não passara, contudo, parecia que todos os meus desejos que não compreendia estavam se desvendando, alguém me achava bonito como mulher e talvez me desejasse, o que me fazia prosseguir para descobrir quais as intenções de Flavio. Uma satisfação enorme tomava conta de mim, me lembro bem daquele dia, e com detalhes, daqui pra diante vou lhes contar como me descobri como sou.rn- Va para meu quarto que já volto.rn- Não demore, por favor.rnE não demorou, e eu entrei no quarto como em uma passarela vestido como ele havia me flagrado, maquiagem retocada, cabelos presos rabo-de-cavalo, salto alto e tudo, requebrava parecendo andar nas nuvens, era a copia de minha irmã e a genética me ajudava um pouco, pois não tinha um sá pelo na cara e no corpo. rn- Você esta linda, é uma menina muito atraente.rnConfesso que não pensei muito no que estava acontecendo, mas as palavras de Flavio me enchia de orgulho e me sentia mesmo uma menina, assim, tudo acontecendo muito rápido, me entreguei de corpo e alma àquela situação.rn- É estranho quando fala assim comigo, mas me sinto feliz.rn- Relaxa, adoro esse seu jeitinho, há muito tempo te observo de minha casa.rn- Sério, sá estava esperando uma oportunidade então?rn- Sim, não aguentava mais ficar me masturbando e te imaginando como minha mulher.rn- Com, com, com, como disse!rn- Sim, como minha mulher.rnNum movimento brusco, Flavio se levantou me envolvendo em seus braços me beijando na boca e acariciando meu corpo, dai não pensei mais em nada, faria tudo que aquele homem quisesse, naquela altura já, ?meu homem?. Flavio me deitou na cama, algo duro, mais muito duro mesmo parecia estourar o calção que estava vestido, tirou toda sua roupa, revelando seus peito todo cabeludo e forte, me sentia protegido em seus braços, comecei acariciar seu peito beijando e mordendo aquela rocha, arrisquei segurar o pau de Flávio, e estava todo molhado; Flavio tirou minha roupa bem devagar me deixando apenas de cinta-liga e meia-calça, segurou meus cabelos levando minha boca ate seu material, segurei com força, cheirei, beijei, passei pelo meu rosto ate cair de boca naquele falo enorme, chupava freneticamente tentando chegar ate as bolas, subia e descia com minha boca, degustando seu pinto delicioso.rn- Que boquinha deliciosa, chupa, chupa, engole tudo, vou gozar na sua boca.rnTudo que ele me dizia soava com musica, e eu rebolava, meu cuzinho piscava chamando aquela vara, tinha um pau pequeno que estava duro e já tinha gozado umas duas vezes, Flavio me virou de lado afastando minhas nádegas passando a língua sobre meu buraquinho. rn- Vou comer seu cu!rn- Ai, ai, come, por favor, me come, me come, me come.rn- Você esta me saindo uma bela putinha! Vou comer sim, vou socar toda minha rola em seu cuzinho, depois vou gozar na sua boca.rnFlavio enfiou dois dedos no meu cuzinho virgem, mas com dificuldade, nunca havia entrado nada por ele.rn- Você é virgem?rn- Sim, quero que você seja meu primeiro homem.rn- Mas não tenho nada aqui, nenhum lubrificante, e meu pau faria um estrago nesse cuzinho apertado.rn- Vamos para o banheiro e você passa sabonete, por favor, vamos, não e deixa sem seu pau, quero dar para você, quero dar ate não aguentar mais.rnEssas eram minhas súplicas desesperadas, pois estava arriscado não ser enrabado por meu amante.rnFlavio, enquanto me fodia com os dedos, olhava a toda volta como se pensasse em alguma coisa, no fim me pegou no colo e me levou ate o banheiro, fui dando instruções de onde ficava o banheiro e beijando sua boca, começamos a tomar banho, me abaixei engolindo seu cacete, não conseguia largar, abocanhava gulosamente, Flavio pegou um sabonete liquido e me lambuzou inteirinho.rn- Fer!, esse não é o ideal, o certo é lubrificante práprio, mas acho que vai da pra quebra galho.rn- Sim, vem me come.rnArrebitei minha bundinha melecada, ele aproximou seu pinto que estava duro com aço, pôs a cabecinha forçando a entrada e eu rebolava, ate que entrou toda aquela cabeça que mais parecia uma cebola, foi ai que me dei conta da enrascada que me meti, o pinto de Flavio era muito grande e grosso, saia lágrimas de meus olhos e sá tinha entrado a cabecinha, Flavio parecia que tinha entrado em transe, me desejava tanto, que quando me penetrou, perdeu toda sua calma e ternura virando um garanhão fodendo uma égua, me puxou pela cintura encaixando todo seus 20 centímetros de vara no meu cuzinho virgem e apertado, tateando pelos azulejos procurando algo para segurar e escapar, não adiantava, quanto mais rebolava mais entrava, doía, meu cu latejava e a rola entrava e saia, eu chorando, gemendo, gritando, então Flavio parou por um momento.rn- Desculpa, Fer, eu não resisti, estava com muito tesao, a dor logo passa.rnEntão ele relaxou sua pica dentro de mim, respirei um pouco e comecei a rebolar de vagar, seu pau começou a se encaixar perfeitamente a medida que meu cuzinho ia relaxando, pude ter a sensação de ter um pinto no meu cu, ele começou a bombar de novo, e eu rebolava mais e mais.rn- Goza no meu cu, me enche de porra, me enche da sua porra.rnE ele me atendeu, num instante, senti um liquido quente e grosso dentro de mim, gozei novamente, me levantei e abocanhei sua rola toda melecada e ainda ejaculando. Com o cu e a boca cheia de porra, parecia que ia desmaiar de tanta satisfação. Flávio me levou de volta ao meu quarto, me deitou na cama beijou-me e se despediu. Passou a frequentar minha casa todas as tardes quando todo mundo saia, ate eu ficar de maior e me mudar para casa dele, pois tornei-me sua mulher, casei com o homem da minha vida.rn rnrnrn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Negão dotados contoseróticossó um pouquinho contos contos eróticos menino pintinhocontos de mulheres ninfomaniaca por sexocoroa gostosa se arrumando namorada em Pouso Alegretroca de namoradas contos eroticoscontos de sexo meu pai viuvo anoite primeiro meu encouxandoGozei na buceta da minha prima e ela engravidou historiascontos sexo minha esposa nossa vizinha travesti novinhadescabacei a namoradinha de 13 aninhoscontos lesbicas esposa com mulhermadrinhas branca da bunda empinadaMeu Rabo me fazcontos como presenciei um cachorro fudendo uma cadela até engatarcontos de coroa com novinhocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentevidiomuher com camizocontos eróticos forçada a fudderestuprei meu primo gaypura foi dar pra cavalo e acaba com a buceta estoradavelha cavala virando olhoreais conto de incesto mamae mi deu pro pai e irmao mi comercontos de minha sogra cheirou minha cuecacontos eroticos papai me fodeuconto erótico dominando casada bravatrs com minha tia no banheirochaves jupano a bucefa da chiquinhamamae linda e brava/contosMe arrumei para meter com.outro e o corno sabendocontos minha mulher pagou minha divida com a bundafilho me fudeu na conaContos eroticos-Virei pridioneira lesbicamolhadinha de tesao com pica dos animaisContos eroticos sem calcinha estuprada pelo sadomasoquistasexo porno safada do sitiotudo no cucontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteMe arrumei para meter com.outro e o corno sabendo okinawan gélico pornôcontos felipe comeu minha mulhrerconto arebentarao meu cu meumaridocontos travesti no acampamentocontos bundão arrebitadocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentevideo de morena clara casada traindo com um bem dotado acima de 22 cmcontos eroticos sou tarado na sua bundonacontos erotico chantageada no metrocontos erótico de lesbianismocontos eroticos meu tio juniorsexo gay okinawa ufa papaiconto comi a filhinha da empregadacontos eroticos de incesto selvagemnovinha que queira trocar msg e gozar muitoContos eroticos : transei com a cavalona loura peludaeu.tinha.cinco.anos.e.ja.dava.o.cu.pro.meu.primo.contos.prpibidoscontos cagou pauvideos de clientes nao consegue segura e fica de pal duro na depilacaotirei a virgindade do meu sobrinho roludo e minha bunda grandecondos erodicos vizinho lindocontos eróticos mostrei o pau pra minha mãevai dar rolê tudo gordona aí tudo mulher gorda só de biquíni bem gordona da bundona bem gorda da bundonacontos eróticos minha servacontos eroticos de menina de nove anos dando o cuDaniele comi pra caceteContos eroticos. Meu rabo gostoso abertocontos eroticos gay-menor de idadeChantageando comi ela contoscontos eroticos dez anostravesti Juliana de primo metendoo cu rosinha de minha neta de 9 aninhoscontos compadre do avô no sítio gaycachorro lambendo buceta.deilhe