Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MEU AMIGUINHO

Vou contar para vcs como iniciei um amiguinho de meu filho.



Eduardo sempre aparecia aqui em casa, acompanhando meu filho Pedro de a6 anos. Os dois passavam o dia quase todo na praia. Meu filho estuda de manhã e Eduardo estuda a tarde. Os dois andam sempre juntos e se dão muito bem. Eu notava que Eduardo não conversava comigo naturalmente. Ficava sempre com os olhos baixos.



Muitas vezes o surpreendi me examinando.



Aquele rapaz começou a despertar o meu íntimo. Eduardo é bastante forte e musculoso. Magro, sem gordura em lugar algum do corpo, tem pele clara e delicada. De certo tempo para cá ele aparecia em minha casa a procura do Pedro e, não o encontrando, demorava-se na sala, ali sentado, lendo o jornal ou vendo tv. Eu disse para mim mesma: " Este menino está querendo coisa". Como uma senhora de 39 anos, embora conservadíssima, pois faço muita ginástica, cabia a mim aguardar a investida. Um dia, eu estava na cozinha e Pedro no quarto procurando suas coisas quando Eduardo chegou por trás e disse: " Acho vc uma mulher linda ". Fingi que não havia entendido: " Você gostaria que sua mãe fosse como eu? ". perguntei. Ele, meio ofendido: " Não é negácio de mãe não ". E retirou-se. Saiu com Pedro e eu me arrempendi por não ter sabido conduzir a coisa. Mas ele voltou a tarde. " Pedro está?". perguntou-me da janela. " Ora, vc não viu ele indo viajar?". Ele sorriu e eu o convidei para entrar. " Venha entre, disse eu". abrindo a porta. Ele entrou, meio sem jeito, olhando para todos os cantos, como que procurando um pretexto para conversar. Não podia ficar calado ali sozinho. Sentou-se e eu desliguei a TV, pegando o jornal em cima da mesa. Para deixa-lo desarmado. " Como foi aquele seu papo na cozinha hj cedo? ", provoquei. " Que eu te acho linda?", ele respondeu. " Tenho uma certa queda por vc e se vc não fosse mãe de meu melhor amigo." Sorri e me aproximei, abraçando-o, puxando sua cabeça e encostando-a em meu ventre: " Bobinho, não tem nada a ver. ". Dei uma olhada discreta e percebi o volume entre suas pernas. Afastei-me e fui até a cozinha. ele me acompanhou e ficou ali de pé, calado, atrás de mim. Derrepente, me agarrou por trás, suspirando e disse: " Me ajuda. Eu quero vc para mim". Virei-me e agarrei-o com vontade. Um rapagão forte, alto e resistente. Este se bem transado, resolveria todos os meus anseios.



Separada do marido, eu raramente encontro um amante resistente o bastante para ir até o fim. São todos uns conquistadores fracos, que dão sua rapidinha e saem de cima, deixando-me a ver navios. Tenho que me masturbar, pois demoro muito a gozar; homem nenhum está disposto a me esperar.



Meti a mão sob a calça do menino, arranquei para fora se Pau, ajoelhei-me e disse: " É esse tipo de ajuda que vc deseja?" Ele fechou os olhos, afastou-se um pouco para encostar na parede, temendo cair. Abocanhei aquele pau maravilhoso, enquanto que com mãos hábeis, abria e retirava suas calças. Ele ficou nú da cintura para baixo e eu mamei a vontade. Depois, pedindo-lhe que deitasse, sentei por cima ( em casa estou sempre sem a calcinha e nesse dia estava de saia ), deixando penetrar aquele pau em minha bucetinha, já muito molhada. A emoção era muito forte, e eu sentia que demoraria pouco a gozar daquele jeito. Mas curti o qto pude. O rapaz, de olhos fechados, segurava-me pelos quadris e me ajudava nos movimentos. De repente, senti que ia gozar e sentei sobre ele, o pau enterrado em mim até o fundo. Não aguentando mais segurar, deitei e abracei-o. Um raio de eletricidade percorreu todo meu corpo e eu, sem a menos vergonha, comecei a gemer como uma puta. A coisa era incontrolável. Eu não aguentava mais mexer os quadris, mas Edu continuava mexendo, desesperado, esperando um desfecho. De repente, agarrou-me e com toda força, gritando: " Aí, meu amor, Eu vou morrer e ejaculou violentamente dentro de mim, seu pau dando estocadas fortes, de uma virilidade de gigante. Eu ainda estava gozando quendo ele se acalmou. Tinha o rosto todo suado e os olhos fechados estavam tranquilos. Os cabelos encaracolados estavam molhados de suor.



Mas seu pau não baixou. Daí a 5 min, ele continuava mexendo seus quadris, querendo mais. Eu então sugeri que ele ficasse por cima agora, pois o orgasmo havia me deixado mole. Fora muito forte, como não sentia havia muito tempo. Mas aí, peguei-o pela mão e levei-o a meu quarto.

Deitamos lado a lado e ele baixou o corpo, sua lingua procurou minha bucetinha. Ele disse: " Eu quero saber como é". Não sabia a técnica, mas sua lingua quente e saudável me excitava loucamente. Puxei-o para mim e ele novamente penetrou-me, com um vigor de touro. Estava retesado novamente e começava a aprender a mexer muito bem lá. Ia até o fundo, vagarosamente e voltava, até quase retirar o pau de dentro de mim. A cabeça nos grandes lábios me botava louca.

Depois ele veio com a mão, começou a alisar minhas nádegas. Enfiou um dedo em meu cuzinho, enquanto me fodia na bucetinha. Aos poucos foi se concentrando novamente, bombando sempre, eternamente, sem cansar, como se estivesse disposto a fazer quantas vezes fosse necessário para chegar ao paraíso. Eu contraía meu cuzinho e abria as pernas para recebe-lo todo, sem percalços. De vez enquando fechava as pernas, obrigando-o a curvar mais a cintura. Novamente eu abria bem as pernas e ele enfiava até o fundo. Os olhos fechados, curtindo cada estocada como se fosse a única. Senti que o gozo ía vindo, pouco a pouco. Um abafamento dificultava minha respiração. Ele virava o corpo, quase de banda, deslizando ora de um lado das paredes internas, ora de outro. De repente pegou meus quadris e apertou, como se quisesse que minha bucetinha o mordesse. Eu então cruzei as pernas sobre suas costas, prendendo-o a mim. Eu ía gozar e ele també. Tentei segurar mais um pouco e Edu explodiu num urro de Leão. Não aguentou nem mais uma estocada. Mexi violentamente os quadris, para completar meu gozo e no mesmo instante, explodia em gritos e saltos, á minha revelia. O rapazinho era gostosíssimo, mesmo sem o saber. Ficamos ali, abraçadinhos, calados, até acalmar de todo nossas pulsações. Depois ele se desprendeu de mim e dormiu um curto sono. A noite veio surpreendê-lo dormindo com a cabeça em minhas coxas. Acordou assustado e procurou roupas. Ri baixinho, para tranquiliza-lo. Ele então confessou-me que nunca havia transado em sua vida. E que estava felis por haver trepado exatamente com a mulher de seus sonhos.



" Tudo bem ", eu lhe disse, " mas temos que ser discretos. Pois os garotos do meu tempo não gostavam dos rapazes que transavam com sua mães. Eduardo deu uma risadinha e me fez um pedido: " Vc vai deixar eu comer seu rabinho também?". Eu lhe disse: " Outro dia, hj já fizemos o bastante ". Paguei um último boquete para o rapaz e depois contou como foi minha transa anal com ele.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


cotos erotocos piscina casadaContos de casadas inrrustidascontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscontos erótico ginecoligista e novinhaconto comi uma buceta muito apertada que doeu meu pauconto gay virei viadinhocontos eroticos gay com novinhosconto eróticos dei pra meu pai depois de casadavideos porno com mulher com o cuzinho todo arrombado tentando cagar sem sentir dorcheiro de pica contos gaymulheres lindas de cornos na minha casaContos eroticos pega a força por pmcontos eroticos Araguainadominado e submisso contosporno do irmao que fode a prima de 4minutodconto porno o mendigo e seus cachorro comeu minha mulherCaralhogigantedentrobucetas gostosas e grandes e bonita cm tela bem ajustadapai conto gay me ensinouMeu sogro dividiu minha sogra comigo contos eroticosContos eróticas de vizinha e pedreiroconto foda com cachorroContos comendo irman dormindoadoro usar as calcinhas da minha esposacontos negao limpando quintal da casadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos de coroa com novinhoprofessor e aluna contoscontos eróticos gays perdi minha virgindade com coroa pauzudocontos de incestos detei de conchinha fiquei de pau durofui arrombado contos gaysorgia com os nerdes casa dos contoshome dar cu usano calcianhacontos erotikos comendo o cu da minha madrinhaGozaram na calcinha na cerca contocontos porno miudas e velhos contos eróticos transando com a titiadando a bunda fedida no mato contos eroticos gayscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentetreepei na pica de meu avôzinhocontos gay travesti apostaconto gay penistirando as pregas do cu da joycecontos eroticos glaucia cdcontos travesti que sai leite dos peitosela me endinou a roçar grelo com gtelo/contoesposa e filha dando cu pra um mendigo/conto eroticoContos eroticos coroas safadasComtos mae fodida pelo filho e sobrinhocontos er passando em casacontos eroticos fui cuidado meu sogro e ele viu meus pritospirulito do titio contos inocentecontos eróticos gay irmãos machos se esfregandocontos eroticos Gay de fui visitar meu tio e ele me comeucontos eróticos com fantasia pervertidapai q come filha no sitiocontosjumento comeu contoscontos incesto mãe fofinhaconto erotico: meu desejocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos eróticos dei meu curso para um cavalocontos eroticos gay meu tio de dezenove anos me estuprou dormindo quando eu tinha nove anoscontos fui brincar amoite de esconde esconde e dei o cu pra todos mulequesIncesto com meu irmao casado eu confessohestotia porno a grande fantasia de meu marido e c cornotracei minha irmã contoscontos ninha cachorra chupou minha bucetaarrombei a minha sogra chifreirahttp://okinawa-ufa.ru/conto_22456_ajudei-meu-amigo-comer-o-rabinho-da-minha-mulher.htmlmulheres que estejam dispostas a fazer zoofilia que mora no Rio Grande do Sulcontos eu com namorado eo primo dele com a namorada calcinha incesto contoscontos encoxando viado busaocontos eroticos minha esposaflavia e dois machos